Menu
2019-11-28T15:01:03-03:00
olho no futuro

Nos próximos 3 ou 4 anos, País terá sistema financeiro mais tecnológico, diz BC

Campos Neto afirmou que os bancos centrais têm sido alertados, por meio da demanda popular, que “precisam ser mais rápidos” em suas ações

28 de novembro de 2019
15:01
Roberto Campos Neto
Imagem: Raphael Ribeiro/Banco Central do Brasil
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quinta-feira, 28, que, "nos próximos três ou quatro anos, teremos um sistema financeiro muito mais tecnológico". Segundo ele, é importante entender o processo pelo qual o sistema financeiro está passando, "de modernização da intermediação financeira".

Durante evento do Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (Lift), na sede do BC, Campos Neto afirmou que a tecnologia é um "grande agente de democratização".

Ele citou ainda inovações tecnológicas com potencial de impactar o sistema financeiro, como os sistemas quânticos e o aumento da capacidade de armazenamento de dados. "Várias tecnologias estão avançando em estágio avançado, como o blockchain", pontuou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Campos Neto afirmou que os bancos centrais têm sido alertados, por meio da demanda popular, que "precisam ser mais rápidos" em suas ações.

O presidente do BC participou do evento de lançamento do programa Lift Learning, projeto para aproximar o meio acadêmico e as empresas do Sistema Financeiro Nacional (SFN).

A iniciativa é derivada do Lift, laboratório virtual lançado em maio do ano passado para viabilizar e promover protótipos de inovação financeira.

Inovação mais rápida

O presidente do BC afirmou que, com o Lift Learning e o sandbox regulatório ("caixa de areia regulatória"), "o Banco Central estará ainda melhor equipado para promover a inovação no Sistema Financeiro Nacional". De acordo com Campos Neto, o sandbox regulatório será anunciado "em breve".

Durante discurso, disse que, por meio de ações específicas, será possível fazer as inovações chegarem mais rapidamente ao cidadão.

Campos Neto afirmou ainda que "o processo de incorporação tecnológica ao Sistema Financeiro Nacional promove a inovação financeira e tem reflexos importantes para o sistema no sentido de democratizar, digitalizar, desburocratizar e desmonetizar".

De acordo com o presidente do BC, "esse processo de incorporação se intensificou nos últimos anos, principalmente devido a melhorias e redução de custos na capacidade de processamento, na armazenagem de informação, na organização da informação e na interpretação da informação e uso de dados".

O presidente do BC pontuou ainda que várias tecnologias estão despontando ou já em estágios avançados de uso, como o blockchain, o cloud, a inteligência artificial e a digitalização. "Precisamos trabalhar para incluir essas ferramentas no nosso dia-a-dia, mas sem perder de vista a segurança do sistema, que agora se desdobra também no ambiente cibernético", ressaltou.

Câmbio

Questionado sobre o câmbio após seu discurso, Campos Neto deixou o evento sem falar com a imprensa.
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

em busca de recursos

Eneva emite R$ 650 milhões em debêntures

Os recursos obtidos pela empresa vão ser usados para investimento, pagamento futuro ou reembolso relacionados ao projeto Parque dos Gaviões

arrumando as contas

País paga dívida com ONU e banco do Brics

Não pagamento à ONU poderia fazer com que o Brasil, pela primeira vez, perdesse o direito a voto no órgão a partir de 1.º de janeiro

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Selic a 4,5%: como ficam seus investimentos?

O Banco Central derrubou a taxa básica de juros brasileira para 4,5% ao ano, a nova mínima histórica. Isso mexe com a rentabilidade de aplicações da renda fixa e favorece os investimentos em ações, imóveis e fundos imobiliários. O que você precisa saber hoje: Mercados • A taxa básica de juro brasileiro renovou sua mínima histórica […]

fim do impasse?

Câmara aprova MP que transfere Coaf para o BC; texto segue para Senado

Outra mudança foi a retirada, com a aprovação de um destaque, da atribuição do Coaf de produzir informação para combate ao financiamento do terrorismo

Dinheiro no bolso do acionista

CVC paga R$ 62 milhões em juros sobre capital próprio aos acionistas

Para o pagamento, que será realizado no dia 8 de janeiro, será considerada a posição acionário em 23 de dezembro de 2019, respeitando a negociação realizada no dia

novos ventos

Estrangeiros injetam R$ 161 bilhões em aquisições no Brasil

Depois de um 2018 permeado por incertezas provocadas pela corrida eleitoral, o ambiente voltou a ficar mais favorável para fechar operações de fusões e aquisições no Brasil

dinheiro no caixa

Notre Dame Intermédica define ação a R$ 57 em nova oferta e movimenta R$ 5 bilhões

Companhia faz a oferta para levantar recursos para novos investimentos, liquidar debêntures e para pagar a aquisição do grupo Clinipam

guerra comercial

Negociadores de comércios dos EUA e China ‘mantêm contato próximo’, diz Pequim

No domingo (15), vence o prazo para que os EUA adotem tarifas extras a mais US$ 156 bilhões em importações chinesas

em brasília

Senado aprova pacote anticrime de olho em possíveis vetos de Bolsonaro

Projeto foi desidratado em relação ao conteúdo original encaminhado pelo ex-juiz da Lava Jato; Moro já defendeu que os pontos retirados sejam novamente discutidos no Congresso

Recado ao mercado

O BC até pode cortar a Selic em 2020, mas deixou claro que o ciclo está perto do fim

O Copom deixou a porta aberta para mais um corte de 0,25 ponto na Selic em 2020. E, ao não se comprometer com o próximo passo, o BC passou a mensagem de que a onda de reduções nos juros está quase terminando

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements