Menu
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Comércio eletrônico

No ringue judicial do Cade, embate Google versus dona da Buscapé ganha intervalo

Conselheira do órgão antitruste pediu vista no processo que foi aberto após denúncias de “raspagem” de conteúdo da E-Commerce pelo Google

19 de setembro de 2018
15:06 - atualizado às 22:40
Google: voto da relatora do caso no Cade já havia sido pelo arquivamento da denúncia - Imagem: Shutterstock

Um pedido de vistas apresentado nesta quarta-feira (19) pela conselheira do Cade Paula Azevêdo suspendeu o julgamento do processo aberto contra o Google após denúncia da E-Commerce, dona dos sites de comparação de preços Buscapé e Bondfaro.

O pedido de tempo para analisar o caso marca mais um capítulo dessa história que se arrasta desde 2011. Naquela época, a E-Commerce acusou o Google de estar fazendo "raspagem" de conteúdo de seus sites, copiando resenhas feitas por clientes sobre lojistas e produtos e apresentando em seu próprio site de busca de preços, o Google Shopping.

Google sai na frente

A conselheira relatora, Polyanna Vilanova, votou pelo arquivamento do processo e defendeu que, apesar de terem sido apresentadas evidências pontuais da "raspagem", não há provas de que isso tenha sido feito de forma sistemática. "Não ficou comprovada a existência de conduta anticompetitiva pelo Google", afirmou.

O voto de Polyanna acompanhou a recomendação da Superintendência-Geral do Cade e do Ministério Público Federal, que também opinaram, em seus pareceres, por arquivamento do processo por falta de provas.

Na abertura do julgamento, a advogada do Google, Leonor Cordovil, disse que houve exibição no Google Shopping de conteúdo dos outros buscadores de preços apenas uma vez, por conta de um erro técnico.

Já o advogado da E-Commerce, Rodrigo Zingales, criticou o arquivamento do caso sem aprofundamento da análise. "Será uma forte sinalização aos agentes de mercado de que tudo é válido para o Google", afirmou.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu