Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-12-02T19:14:42-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Muito barulho por (quase) nada

2 de dezembro de 2019
19:14
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Em um mundo em que o Twitter faz as vezes de diário oficial, Donald Trump decidiu revisitar a guerra comercial anunciando na rede social a retomada das sobretaxas para o aço. Só que desta vez o alvo foi o Brasil – junto com nossos hermanos argentinos.

Ao mirar sua metralhadora de tarifas para cá, o presidente dos Estados Unidos partiu da premissa (errada) de que a recente alta do dólar por aqui e no vizinho ocorreu de modo intencional como uma forma de tornar os nossos produtos mais baratos no mercado norte-americano.

Seja como for, trata-se de uma notícia negativa, e com o agravante de ter partido de um aliado de Bolsonaro. É claro que os críticos do presidente aproveitaram para “lacrar” nas redes sociais.

No mundo financeiro, os efeitos imediatos da medida eram potencialmente dois: nova alta do dólar frente ao real e queda das ações das siderúrgicas brasileiras. Só que nenhum dos dois aconteceu.

Pelo contrário, hoje o dólar fechou na mínima do dia e os papéis da siderúrgicas tiveram boa alta. O saldo para a bolsa como um todo também foi positivo: o Ibovespa subiu 0,64% e por pouco não voltou ao patamar de 109 mil pontos.

Como numa típica comédia de Shakespeare, entenda por que toda essa história acabou virando muito barulho por (quase) nada nesta reportagem do Victor Aguiar.

“Acima da média”

Fim de ano chegando, e o mercado já começa a fazer suas apostas para o cenário financeiro em 2020. Ao que tudo indica, a bolsa brasileira está bem na fita: depois de JP Morgan, Credit Suisse e BTG Pactual soltarem previsões positivas sobre o mercado brasileiro no ano que vem, hoje foi a vez do Bank of America entrar para o grupo dos otimistas. Saiba qual a projeção do banco americano para o Ibovespa.

Ano novo, carteira nova

A B3 divulgou hoje a primeira prévia da nova carteira do Ibovespa, que será válida de janeiro a abril de 2020. No total, o principal índice da bolsa contará com 71 ativos de 68 empresas, sendo três estreantes: Carrefour, Hapvida e SulAmérica. Mas a ação que terá o maior peso é uma velha conhecida dos investidores, como você confere nesta matéria.

Lá vem corte

Desde que o Copom embarcou em um ciclo de cortes da taxa Selic, os investidores ficam de orelha em pé a cada fala do presidente do Banco Central. O mercado está ávido por novos sinais de cortes, e um dos mais claros veio hoje. Apesar da alta do dólar, Roberto Campos Neto afirmou que, se a inflação continuar comportada, um novo corte nos juros estará no radar. Nesta matéria você fica sabendo os detalhes e, inclusive, o quanto a Selic pode cair.

Na eXPectativa para o IPO

A XP Investimentos enfim deu o pontapé para sua aguardada oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na bolsa norte-americana Nasdaq. A operação pode movimentar até US$ 2,1 bilhões (algo como R$ 8,9 bilhões). Saiba os principais números da aguardada oferta e até quanto podem embolsar os principais sócios da XP, incluindo o fundador Guilherme Benchimol.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Exile on Wall Street

Nota triste — a XP quer mesmo democratizar os investimentos no Brasil?

A XP seguiu os mesmos passos da Vitreo e lançou, depois, dois fundos próprios para investir em suas ações, com direito a matéria no InfoMoney. Matéria da XP, sobre fundos da XP, para comprar ações da XP.

Injeção de otimismo

Ibovespa abre em alta e dólar cai; mercados reagem bem ao Copom e à S&P

O Ibovespa sobe e recupera os 111 mil pontos, impulsionado pelos sinais do BC em relação à Selic e à visão positiva da S&P Global quanto ao Brasil

Mercado de capitais

IPO de empresas brasileiras no exterior deixa gosto amargo, diz presidente da B3

Com o avanço da tecnologia, o Brasil precisa ter uma regulação flexível senão corre o risco de perder o bonde, segundo Gilson Finkelsztain

sem negócio fechado?

Venda de ativos de dona da Ambev na Austrália é questionada por regulador

Órgão avaliou de maneira preliminar que a venda vai reduzir a concorrência no mercado de cidra e, possivelmente, no de cerveja

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

em busca de recursos

Eneva emite R$ 650 milhões em debêntures

Os recursos obtidos pela empresa vão ser usados para investimento, pagamento futuro ou reembolso relacionados ao projeto Parque dos Gaviões

arrumando as contas

País paga dívida com ONU e banco do Brics

Não pagamento à ONU poderia fazer com que o Brasil, pela primeira vez, perdesse o direito a voto no órgão a partir de 1.º de janeiro

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Selic a 4,5%: como ficam seus investimentos?

O Banco Central derrubou a taxa básica de juros brasileira para 4,5% ao ano, a nova mínima histórica. Isso mexe com a rentabilidade de aplicações da renda fixa e favorece os investimentos em ações, imóveis e fundos imobiliários. O que você precisa saber hoje: Mercados • A taxa básica de juro brasileiro renovou sua mínima histórica […]

fim do impasse?

Câmara aprova MP que transfere Coaf para o BC; texto segue para Senado

Outra mudança foi a retirada, com a aprovação de um destaque, da atribuição do Coaf de produzir informação para combate ao financiamento do terrorismo

Dinheiro no bolso do acionista

CVC paga R$ 62 milhões em juros sobre capital próprio aos acionistas

Para o pagamento, que será realizado no dia 8 de janeiro, será considerada a posição acionária em 23 de dezembro de 2019, respeitando a negociação realizada no dia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements