Menu
2019-06-07T18:55:52+00:00
A pauta é reforma da Previdência

Mudanças no BPC podem aumentar desigualdade e judicialização, diz pesquisadora

Governo Bolsonaro sugere que o BPC, que hoje é pago aos beneficiários (idosos e deficientes em situação de extrema pobreza) com 65 anos, passe para 70 anos

21 de maio de 2019
17:17 - atualizado às 18:55
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

A pesquisadora do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Luciana de Barros Jaccoud afirmou que as mudanças propostas em torno do Benefício de Prestação Continuada (BPC) na reforma da Previdência podem não só aumentar a desigualdade entre idosos e deficientes bem como servir de impulso para a judicialização envolvendo o tema.

"Teremos a ampliação da desigualdade com as mudanças propostas no BPC, sendo que justamente o BPC foi um dos pilares da redução da desigualdade no Brasil. Um país de desigualdade tem comprometimento com desenvolvimento econômico", alertou ela, durante audiência pública na Comissão Especial sobre BPC e abono salarial no âmbito da PEC da reforma da Previdência.

O governo sugere que o BPC, que hoje é pago aos beneficiários (idosos e deficientes em situação de extrema pobreza) com 65 anos, passe para 70 anos.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Em contrapartida, sugere que a partir dos 60 anos, os idosos nessa situação, com renda inferior a um quarto de salário mínimo, tenham acesso a um benefício de R$ 400,00.

O BPC, que equivale hoje a um salário mínimo está em vigor há 22 anos e antes não existia até então, conforme a pesquisadora do Ipea, que se debruça no assunto há anos.

O benefício atende, conforme ela, 4,650 milhões de beneficiários, sendo a maior parte, de 2,6 milhões, deficientes e 2,048 milhões de idosos.

"São pessoas de extrema vulnerabilidade. O BPC impacta positivamente na redução da pobreza e desigualdade no País. Melhora a vida dessas pessoas", avaliou Luciana, acrescentando que o BPC representa 79% da renda das famílias beneficiadas e quase metade é a renda total dessas pessoas.

O fato de o BPC estar associado ao salário mínimo é uma forma efetiva de retirar as pessoas da pobreza. Desvinculá-lo, segundo a pesquisadora, além de elevar a desigualdade social, terá efeitos ainda na questão do gênero uma vez que as mulheres são mais impactadas em sua vida laboral.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Agora vai?

Governo enviará ao Congresso na próxima semana projeto para destravar privatização da Eletrobras

Proposta deve conter os mesmos itens que estavam na Medida Provisória 879, que não foi votada pela Câmara

Olha quem apareceu

Rede de varejo Le Biscuit, da Vinci Partners, estreia no comércio online

Entrada da empresa no mundo online ocorrerá em etapas e segue uma tendência mundial

Olha a oportunidade aí

Movimentos para ofertas de ações no 2º semestre aceleram

Reuniões com os bancos de investimento se intensificam e companhias começam a fechar acordos para levar as ofertas adiante

Eita!

Chefes da Receita Federal ameaçam entrega de cargos por interferência política

De acordo com apuração, seis subsecretários do órgão estão fechados nessa posição

À beira do abismo

Sob pressão financeira, Oi procura bancos para encontrar saída

Operadora precisa levantar R$ 2,5 bilhões, mas ainda não tem ideia de como fará essa captação de recursos

Batalha contra a desaceleração

China divulga reforma de juros para reduzir custo de financiamento de empresas

Movimento anunciado deve reduzir ainda mais as taxas de juros reais para as companhias do país

Entrevista

Criador da CVM diz que mercado brasileiro não precisa de mais regulação

Para Roberto Teixeira da Costa, momento é de libertar a capacidade criativa das pessoas; em entrevista ao Seu Dinheiro, ele fala sobre mercado de capitais, economia brasileira e a figura do analista de investimentos

Seu Dinheiro na sua noite

Lucro, pra que te quero?

Podem me chamar de antiquado ou de romântico, mas sou do tempo em que empresa boa é empresa que dá lucro. Mas reconheço que, diante das mudanças abruptas na forma como consumimos produtos e serviços, olhar para a chamada última linha do balanço das companhias ficou meio fora de moda. No lugar do lucro, o […]

Xiiii...

Oi avisa Anatel que pode ficar sem dinheiro para operar a partir de fevereiro

Diagnóstico da situação da empresa indicou que o dinheiro em caixa da operadora chegou ao “mínimo necessário”

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: O furacão das eleições na Argentina e o fantasma da recessão mundial

Seu Dinheiro traz um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements