Menu
2019-04-04T14:01:03+00:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Construtora e incorporadora

Moody’s retira o rating da Gafisa e justifica: “questões comerciais”

Última ação da agência havia sido um rebaixamento do rating de B3 para Caa1, com perspectiva negativa

28 de novembro de 2018
20:03 - atualizado às 14:01
prédios em São Paulo
Gafisa vem passando por mudanças profundas nos seus negóciosImagem: shutterstock

A agência de classificação de risco Moody's anunciou nesta quarta-feira, 28, que vai retirar os ratings da construtora e incorporadora Gafisa. Segundo a agência, os motivos para a decisão foram questões comerciais.

Antes da mudança, a última ação da agência em relação à empresa havia sido um rebaixamento do rating de B3 para Caa1, com perspectiva negativa. Vale lembrar que esse nível, para os padrões da Moody's, equivaleria a uma situação muito próxima de um calote.

Mudanças nas ações

A Gafisa vem passando por mudanças profundas nos seus negócios. Depois da troca de comando e a chegada de Mu Hak You ao poder, a empresa aprovou na terça-feira, 26, a deslistagem de seus American Depositary Shares (ADSs) da Bolsa de Nova York. O programa da construtora passou do Nível 3 para o Nível 1, com negociação somente em mercado de balcão - o que, na prática, representa a passagem para uma patente menor de Wall Street.

Para operadores ouvidos pelo Broadcast/Estadão, depois de tantos problemas envolvendo a mudança na gestão de companhia nos últimos meses, o movimento inspira cautela.

Em relatório, a equipe de analistas da Guide Investimentos ponderou que a medida é parte da estratégia da nova gestão, onde a GWI busca otimizar as estruturas administrativas da empresa e reduzir custos. A Guide lembra que parte da administração anterior já foi destituída, e a GWI vinha questionando diversas práticas. "A medida pode ainda trazer rumores sobre eventual fechamento de capital também no Brasil", observa a corretora.

Depois da decisão, a Gafisa foi a público para justificar a mudança. Segundo a companhia, foram levados em consideração os custos e benefícios do atual programa de ADR. A construtora afirma que com o passar dos anos, a relevância do programa de ADR, em relação a liquidez e volume, reduziu significativamente, o que levou à sua reavaliação.

"No passado, quando houve a listagem, havia expectativa de que os benefícios, principalmente relacionados à captação de recursos, suplantariam os custos de manutenção do Programa de ADR nível 3, incluindo auditoria externa, despesas para atender às exigências da SOX (Sarbanes Oxley) e despesas com a NYSE", diz a Gafisa no documento.

*Com Estadão Conteúdo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

O Seu Dinheiro na sua noite

Atrás do trio elétrico

Questionado certa vez sobre quem seria o “novo Caetano Veloso”, o cantor e compositor baiano respondeu: “o novo Caetano Veloso sou eu.” Na época, a música popular brasileira apresentava uma renovação com nomes como Lenine, Zeca Baleiro e, principalmente, Chico César. O paraibano era apontado como o principal candidato a herdar o trono do baiano, […]

Vish!

CVM suspende atuação irregular de empresa que tem Ronaldinho Gaúcho como garoto-propaganda

A empresa oferece produtos por meio de site, de eventos presenciais e de redes sociais como Facebook e Twitter

Medidas

Multa de 40% sobre o saldo do FGTS não será tratada agora, diz secretário de Fazenda

Waldery Rodrigues não apresentou detalhes, mas afirmou que a diretriz das medidas que serão apresentadas na semana é melhorar o acesso aos recursos do fundo

Hakuna Matata

Os críticos não gostaram muito do novo Rei Leão. Mas, para os mercados, a Disney segue com cinco estrelas

Com O Rei Leão, a Disney emplacou um sexto sucesso de bilheteria somente em 2019, apesar das críticas mornas ao novo filme. E o mercado mostra-se cada vez mais confiante em relação à empresa

Olha só...

Indicada para o FED, Judy Shelton é a favor de corte de juros em 50 pontos-base já neste mês

As informações são do jornal Washington Post. Em declarações feitas por e-mail, ela ressaltou que defenderia um corte já na reunião feita em junho em que o banco optou por manter o juro entre 2,25% e 2,5% ao ano

De olho nas contas...

Governo anuncia contingenciamento de R$ 1,4 bilhão de despesas do Executivo

A medida se faz necessária em função do desbalanceamento entre receitas e despesas para atender à meta de déficit primário de R$ 139 bilhões. Detalhamento de FGTS sai nesta semana

Tempos de bonança

Por que não acredito em ‘guerra’ dos EUA contra o Irã ou contra a China

Penso que agora, o momento é de grande calmaria, apesar das crises entre EUA x China e EUA x Irã. Mas se ambas precedem alguma tempestade, só o tempo dirá

Novidades à vista

Bunge e BP criam joint venture de açúcar e bioenergia no Brasil

Bunge receberá US$ 775 milhões pela operação, dos quais US$ 700 milhões “relativos à dívida sem recurso da Bunge a ser assumida pela joint venture no fechamento da operação” e US$ 75 milhões da BP

De olho na China

Confuso com o setor de proteína animal? JBS e BRF são boas pedidas, diz Itaú BBA

Para os analistas do Itaú BBA, o surto de febre suína que atinge a China tende a abrir boas oportunidades para as empresas do setor de proteína animal — e JBS e BRF podem continuar se beneficiando

Comércio mundial

OMC: medidas restritivas de comércio são de US$ 339,5 bi entre out/18 e mai/19

Membros da OMC também implementaram 47 novas medidas destinadas a facilitar o comércio, incluindo a eliminação ou redução das tarifas de importação, a eliminação ou simplificação dos procedimentos aduaneiros para as exportações e a redução dos impostos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements