Menu
2019-09-25T19:32:00+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Avaliação do capitão

Metade da população desaprova a maneira de Bolsonaro governar, diz CNI-Ibope

Desde janeiro, a aprovação do governo vem caindo na série do Ibope: era de 67% em janeiro e caiu 23 pontos

25 de setembro de 2019
19:32
Bolsonaro
Imagem: Alan Santos/PR

Metade dos brasileiros desaprova a maneira do presidente Jair Bolsonaro governar o País, mostra pesquisa feita pelo Ibope e divulgada nesta quarta-feira, 25, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice de pessoas que desaprovam a maneira de Bolsonaro governar oscilou de 48% em junho para 50% este mês.

A aprovação, por sua vez, passou de 46% para 44% no mesmo período. Na série histórica do Ibope, esta é a segunda pesquisa em que o porcentual de entrevistados que desaprovam o governo Bolsonaro é marginalmente maior do que a quantidade de pessoas que aprovam a gestão.

Desde janeiro, a aprovação do governo vem caindo na série do Ibope: era de 67% em janeiro e caiu 23 pontos. A desaprovação, por outro lado, subiu 29 pontos: foi de 21% para 50%.

Segundo o levantamento, a parcela da população que considera o governo Jair Bolsonaro ótimo ou bom oscilou de 32% para 31%, em relação à edição de junho. O porcentual dos brasileiros que avalia a atual administração como ruim ou péssima oscilou de 32% para 34%, no comparativo. As variações ocorreram dentro da margem de erro da pesquisa.

Confiança

Em outro quesito do levantamento, 55% dos entrevistados dizem não confiar no presidente Jair Bolsonaro. O índice era de 51% em junho. Já os que confiam caíram de 46% para 42% entre um mês e outro.

Temer

De acordo com a pesquisa CNI/Ibope, o índice de brasileiros que considera o governo Bolsonaro melhor do que a gestão do ex-presidente Michel Temer caiu de 47% para 43% da população.

Segundo o levantamento, 33% dos entrevistados consideram que os dois governos são iguais, enquanto 20% avaliam que a atual gestão é pior do que a de Temer - ante 17% na última edição, realizada em junho. Outros 4% não souberam ou não quiseram responder.

Políticas ambientais

A população brasileira também está mais insatisfeita com as políticas ambientais do governo. Segundo o levantamento, a desaprovação sobre a atuação da área passou de 45% para 55% entre junho e setembro deste ano.

Além disso, as notícias sobre o governo mais lembradas pela população se referem justamente ao meio ambiente, alvo de críticas no Brasil e no exterior devido às queimadas na Amazônia. Entre os brasileiros, 22% lembraram de notícias relacionadas ao meio ambiente, considerando as queimadas na região amazônica e embates entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente francês, Emmanuel Macron.

O segundo grupo de notícias mais lembrado (11%) se refere à saúde do presidente Jair Bolsonaro, que passou pela quarta cirurgia após a facada no dia 8 de setembro.

A desaprovação da atuação do governo é maior em relação aos impostos (62%) e também em relação à taxa de juros (61%).

Outro tema que registrou aumento na desaprovação é o combate à fome e à pobreza, que subiu de 51% em junho para 57% em setembro; a desaprovação no combate ao desemprego, que passou de 55% para 59% no mesmo período.

O tema mais bem avaliado continua sendo a segurança pública, cuja aprovação é de 51%. A área é comandada pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, que foi enaltecido como "símbolo nacional" pelo presidente Jair Bolsonaro em discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas.

O Ibope ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios entre 19 e 22 de setembro. O levantamento anterior havia sido realizado de 20 e 26 de junho. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para cima e para baixo.

*Com Estadão Conteúdo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

De olho na economia

Armínio Fraga vê ‘obscurantismo’ e ambiente ‘envenenado’ como entraves à economia

Fraga destacou que o Brasil nunca investiu tão pouco na sua história e que para destravar o investimento será preciso dar mais clareza em áreas que vão além da econômica, como “temas de natureza distributiva”

Novidades à vista?

Petrobras negocia potencial consórcio para leilão de pré-sal, diz presidente

Muitas das maiores petroleiras do mundo, entre elas ExxonMobil, Royal Dutch Shell e BP, além da própria Petrobras, estão registradas para participar da disputa, marcada para 6 de novembro

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

As duas faces do dólar

No filme “As duas faces de um crime”, o eterno canastrão Richard Gere faz o advogado oportunista que defende um jovem acusado de assassinato. A coisa complica quando ele descobre que o garoto interpretado por Edward Norton sofre de múltiplas personalidades. Eu me lembro do filme toda vez que tento encontrar alguma explicação para o […]

Na gringa

Campos Neto: O que foi prometido está sendo entregue

Em encontros no exterior, presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, passa a mensagem de que existe um plano de reinvenção do país com dinheiro privado

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: O cabo de guerra no PSL

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Situação delicada

Papéis da Boeing caem 7% em NY com notícia de que companhia pode ter “enganado” FAA

De acordo com o periódico, o piloto Mark Forkner teria reclamado que o sistema conhecido como MCAS, na sigla em inglês, o teria deixado em apuros dois anos antes dos acidentes que tiraram a vida de várias pessoas

Boas novas

Ações da Eletrobras sobem após MME dizer que pode encaminhar PL sobre privatização da empresa até início de novembro

De , a proposta do governo federal para a privatização da Eletrobras ainda é a capitalização, com a diluição da participação da União na holding elétrica

nos eua

Reservas são vistas como seguro e não se fala em mudar isso, diz presidente do BC

Campos Neto mencionou que o que se lê sobre os altos custos para se manter as reservas internacionais no Brasil “não é a realidade” e que nos últimos 15 anos, os custos se igualaram às receitas

no velho continente

Há ‘sinais leves’ de supervalorização dos mercados, diz presidente do Banco Central Europeu

Draghi destaca ainda que o setor financeiro não bancário da zona do euro continua tomando risco, mas pontua que a resiliência do setor bancário permanece “sólida”

entrevista

‘Huck vai deixar de ser celebridade e ser líder?’, questiona FHC

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) assiste com ceticismo as articulações do apresentador global

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements