Menu
2019-07-02T13:58:09+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
boas do setor

Mercado de veículos novos cresce 10,5% em junho

Comparação é feita com mesmo mês do ano passado; no fechamento do primeiro semestre, o mercado somou 1,308 milhão de emplacamentos, o maior nível para o período desde 2015

2 de julho de 2019
12:28 - atualizado às 13:58
Carros em concessionária
Carros - Imagem: Shutterstock

O mercado de veículos novos cresceu 10,5% em junho ante igual mês do ano passado, para 223,2 mil unidades, informou nesta terça-feira, 2, a Fenabrave. Os dados são do balanço feito pela federação, que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Na comparação com maio, no entanto, as vendas caíram 9%, em razão da diferença de dias úteis, com dois a mais para maio.

Segundo o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr, o crescimento foi impulsionado principalmente pelas vendas para clientes corporativos. Ele diz que as chamadas vendas diretas, voltadas para empresas, cresceram 23,59% na primeira metade de 2019 ante igual período do ano passado, enquanto as vendas para o consumidor pessoa física subiram 2,15%.

"É um fenômeno atípico, de maior desequilíbrio, e as prováveis razões são a instabilidade política e na economia, com reformas ainda não aprovadas, queda do PIB e alto índice de desemprego", acrescentou.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

No fechamento do primeiro semestre, o mercado somou 1,308 milhão de emplacamentos, o maior nível para o período desde 2015, primeiro ano da retração do PIB durante a crise a econômica. O resultado representa crescimento de 12,1% em relação à primeira metade do ano passado.

Segmentos

Na categoria de veículos leves, que soma os segmentos de automóveis e comerciais, as vendas cresceram 9,4% em junho ante igual mês do ano passado, para 213,4 mil unidades.

O volume, se comparado a maio, significa recuo de 8,8%. No acumulado do ano, as vendas sobem 10,8% em relação a igual período do ano passado, para 1,248 milhão de unidades.

Entre os veículos pesados, os caminhões tiveram crescimento de 36,2% em junho ante igual mês do passado, com o emplacamento de 7,8 mil unidades. O número equivale a um recuo de 15,1% na comparação com maio. De janeiro a junho, foram 46,8 mil licenciamentos, avanço de 44,9% sobre o resultado de igual intervalo de 2018.

No caso dos ônibus, o mercado emplacou 1,9 mil unidades em junho, alta de 63,5% sobre junho do ano passado, mas baixa de 5,9% em relação a maio. De janeiro a junho, foram vendidas 12,4 mil unidades, expansão de 71,3% na comparação com a primeira metade do ano passado.

Corte na projeção

A Fenabrave cortou a previsão para o mercado de veículos novos em 2019, de crescimento de 11,1% para alta de 8,4%. O volume estimado cai de 2,852 milhões de unidades para 2,781 milhões de unidades, em conta que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Alarico Assumpção Jr. diz que o corte na projeção é influenciado no índice de confiança do consumidor e pelo alto nível de desemprego, num momento de revisão para baixo nas projeções para o crescimento do PIB em 2019. A previsão da Fenabrave para o avanço d PIB deste ano caiu de 2% para 0,9%.

O segmento que mais contribuiu para a revisão da projeção foi o de automóveis. Para esta categoria, a estimativa de crescimento foi reduzida de 10,3% para 7,5%. Entre os caminhões, a projeção de expansão foi elevada, de 15,4% para 17,6%.

Para os ônibus, a estimativa é de avanço de 19%, para 22,7 mil unidades. Para os comerciais leves, o crescimento previsto é de 10,9%, para 409,2 mil unidades.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

preço da violência

Ataque à Aramco, na Arábia Saudita, pode afetar 5% da produção mundial de petróleo

Ataques à Aramco ocorrem em meio à escalada das tensões entre os rebeldes houthis, aliados do Irã, com a Arábia Saudita, apoiada pelos EUA

Proteção para a sua carteira

Ao escalar sua seleção de ações, pense duas vezes antes de colocar Vale e Suzano na defesa

As ações das exportadoras Vale e Suzano, clássicas opções defensivas para um cenário de dólar forte, acumulam desempenho negativo no ano, pressionadas pelos preços do minério e da celulose em baixa. Se esses papéis já não têm mais o mesmo apelo defensivo de antes, quais ativos da bolsa podem ocupar o miolo da zaga do seu portfólio?

quem disse que tá ruim?

Novatas de tecnologia na bolsa americana têm desempenho acima do S&P 500 – mesmo levando em conta Uber e Lyft

Levantamento feito por publicação americana leva em conta 13 IPOs de tecnologia deste ano nas bolsas e mostram que os papéis, juntos, valorizaram mais que o S&P 500

tensão

Drones atacam instalações de petroleira na Arábia Saudita

Reivindicado pelos rebeldes houthis que combatem a intervenção saudita no vizinho Iêmen, ataque atingiu duas refinarias da Aramco

oportunidades à vista

Brasil consegue abertura do mercado egípcio para lácteos e Bolsonaro comemora

Produtores brasileiros poderão exportar, já a partir de outubro, produtos como leite em pó e queijos para o mercado egípcio

unicórnio vai à bolsa

Startup de escritórios compartilhados WeWork reduz poderes do CEO

Prestes a estrear na bolsa, a WeWork enfrenta a preocupações de investidores por conta de seu modelo de negócio.

olha a dupla aí

Com IPO da C&A e avanço da Amazon, mercado espera aceleração de investimentos no varejo

Especialistas avaliam a oferta pública inicial de ações da rede de lojas de vestuário e a escalada da varejista fundada por Jeff Bezos

novela com o bilionário

Executivo das criptomoedas pagou US$ 4,6 milhões por almoço com Warren Buffett – mas encontro pode não acontecer

CEO da Tron, Justin Sun, venceu leilão beneficente que promove um encontro com o lendário investidor, mas história teve desdobramentos inesperados

olhos lá na frente

Mineradora tem projeto de R$ 9,1 bi com megabarragem no Norte de MG

Projeto prevê uma das maiores barragens de rejeitos do País, mas é condenado por entidades como o Movimento dos Atingidos por Barragens; empresa afirma que o modelo é seguro

o melhor do seu dinheiro

MAIS LIDAS: Uma empresa que vale zero?

Mais lida da semana, matéria conta as duras críticas de um analista quanto ao negócio da Tesla, do bilionário Elon Musk. Veja outras notícias que bombaram no Seu Dinheiro nos últimos sete dias.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements