Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-06-18T19:43:50+00:00
Seu Dinheiro na sua noite

Insiste em zero a zero e eu quero um a um

18 de junho de 2019
19:43
O Melhor do Seu Dinheiro
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Você disse que não sabe se não. Mas também não tem certeza que sim. Se Djavan fosse um analista de mercado, representaria o sentimento dos investidores sobre o que vai acontecer com as taxas de juros no país.

Para muita gente, não é mais uma questão de “se”, mas de “quando” a Selic vai cair. Esse refrão ganhou força hoje depois de Mario Draghi, o presidente do BC europeu, anunciar que pode reduzir as taxas lá fora para dar um gás na economia da zona do euro.

Com uma possível queda dos juros na Europa e a certeza de que as taxas não vão subir nos Estados Unidos, a visibilidade para o Banco Central brasileiro atuar ficou bem maior.

"Pode ser, se é assim, você tem que largar a mão do não", aconselharia Djavan a Roberto Campos Neto, o presidente do Banco Central.

Até então, ele tem deixado claro que não vai mexer nos juros enquanto não houver uma definição do Congresso sobre a reforma da Previdência. Por isso quase ninguém espera que um novo ciclo de queda tenha início na reunião do Copom de amanhã.

Só que, diante da enxurrada de dados mostrando que a economia segue patinando e a inflação não preocupa, o mercado espera que o BC sinalize de forma mais clara a intenção de baixar os juros.

Seja como for, a perspectiva de um mundo com taxas de juros baixas por mais tempo tirou o mercado do zero a zero. As bolsas subiram forte mundo afora e por aqui o Ibovespa foi de carona. Com a alta de hoje, a bolsa brasileira ficou a apenas 596 pontos dos 100 mil. Os detalhes desse dia de euforia nos mercados você confere com o Victor Aguiar.

Sina

O dia pode até ser de decolagens, mas o sentimento que ainda predomina entre os investidores está mais para pouso forçado. Uma pesquisa do Bank of America Merrill Lynch divulgada hoje mostrou que os gestores globais de recursos estão com a confiança lá embaixo, e os níveis dessa medida se equiparam à famosa crise financeira de 2008. O Edu Campos traz os motivos que sustentam esse pessimismo ou, no jargão do mercado financeiro, esse monte de ursos.

Eu te devoro

Queda dos preços das matérias-primas, redução da concorrência, câmbio favorável. O cenário não podia ser melhor para as ações das companhias aéreas. Hoje, por exemplo, o setor teve mais uma boa notícia com a decisão do presidente Jair Bolsonaro de vetar a proibição para que as empresas cobrem pelas bagagens nos voos. Por essas e outras, os papéis da Gol e da Azul dispararam recentemente na B3. Mas será que o mercado não vem exagerando nesse otimismo? Eu tive acesso a um relatório do UBS em que os analistas comentam justamente sobre esse assunto. Confira qual a recomendação do banco suíço para as ações nesta matéria que eu escrevi.

Samurai

Paulo Guedes parece que conseguiu fazer a cabeça dos deputados e agora conta com um exército de políticos ao seu lado na guerra pelo R$ 1 trilhão de economia com a reforma da Previdência. A prova disso é que na comissão especial da reforma a pauta parecer ser uma só: como chegar a tal cifra. Não importa o caminho, quem entra ou quem sai, o que os parlamentares parecem decididos é pela manutenção da economia, como você confere nesta matéria.

Meu bem querer

Depois das turbulências recentes em Brasília, Bolsonaro resolveu dar um jeito na casa. E o caminho escolhido foi justamente o xadrez das posições no governo. O presidente fará mudanças no modelo da articulação política, e a ideia é transferir a Subchefia de Assuntos Parlamentares, hoje abrigada na Casa Civil, para a Secretaria de Governo, que agora será comandada pelo general Luiz Eduardo Ramos. Mas o que interessa (e surpreende) é o novo nome que vai fazer a coordenação política de todo o governo.

Nem um dia

Na onda de reestruturar a equipe, Bolsonaro também está na busca por um novo presidente dos Correios. O presidente já anunciou a saída de Juarez Cunha do cargo por agir como "um sindicalista". A indicação, inclusive, pode ser a última do governo federal, já que o capitão deu sinal verde para que a companhia fosse privatizada. Mas o presidente afirmou hoje que essa venda não é tão simples como parece e precisa do aval do Congresso.

Faltando um pedaço

Como uma empresa que chegou a faturar mais de R$ 130 bilhões entra em recuperação judicial? O caso Odebrecht ainda será muito estudado, mas pode trazer lições para você, investidor. É claro que não se trata apenas de uma questão de ética e condução dos negócios, mas de como o sucesso pode muitas vezes nos fazer tomar decisões erradas. O nosso colunista Felipe Miranda aproveitou a história da maior recuperação judicial do país para falar do seu comportamento no mercado financeiro, e como você deve estar sempre atento para não se afastar de suas origens. Recomendo a leitura!

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

De olho no pacto

Proposta sobre pacto federativo começará no Senado, diz presidente da CCJ

Ainda segundo a senadora, o governo já está trabalhando com o tema. “Não poderia ser diferente (o fato de começar pelo Senado), essa é a Casa da Federação. Eles já estão mexendo no pacto”, afirmou a presidente da CCJ

Mudanças à vista

Truxt Investimentos vende parte das ações que detinha do Banco Inter

A instituição financeira destacou que a venda da participação é “estritamente de investimento, não objetivando alteração do controle acionário ou da estrutura administrativa do banco”

Seu Dinheiro na sua noite

O falcão está à solta?

Entre os vários contatos que eu tinha nos anos em que escrevi diariamente o sobe e desce da bolsa e dos mercados, havia um experiente tesoureiro de um grande banco. Estava longe de ser a fonte mais bem humorada ou paciente, mas com o tempo ficamos amigos. Eu costumava recorrer a ele naqueles dias em […]

Futuro Embaixador?

Bolsonaro: Indicação de Eduardo como embaixador é juridicamente viável

Porta-voz da Presidência também afirma que Jair Bolsonaro ainda não decidiu sobre indicação do filho ao posto nos EUA

Vish!

Ex-presidentes do IBGE divulgam carta de protesto contra mudança no Censo 2020

Eles acusam a atual direção do instituto de improvisação e alertam para o risco de o próximo Censo deixar de fora 10 milhões de domicílios

Olha a dívida!

Tesouro: União bancou R$ 1,262 bilhão em dívidas de governos estaduais em junho

Embora o custo para a União com essas garantias seja crescente, o Tesouro está impedido de bloquear os repasses para Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás

Dados semanais

Balança tem superávit de US$ 695,509 milhões na segunda semana de julho

Em julho, o superávit acumulado é de US$ 1,819 bilhão. Já no total do ano, o superávit é de US$ 27,895 bilhões

reconciliação

Avaliação positiva de Bolsonaro salta de 14% para 55% entre agentes de mercado

Sondagem da XP Investimentos também mostra melhora na percepção com relação ao Congresso, Previdência na casa de R$ 850 bilhões e Ibovespa em 120 mil pontos

320% do PIB

Dívida global sobe a US$ 246 trilhões e endividamento de emergentes bate recorde

Instituto Internacional de Finanças (IIF) mostra que quanto menor o juro, maior o endividamento mundial, que está para bater o recorde visto no começo de 2018

Os detalhes sobre a nova cripto

Facebook: Libra não envolve política monetária nem competirá com bancos centrais

Segundo ele, a associação terá políticas para combater o uso da moeda para lavagem de dinheiro e financiamento de atos terroristas, entre outras questões de segurança nacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements