Menu
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Jogo duro

Guedes entra em campo e recebe parlamentares nesta terça-feira

Ministro terá conversas com deputados enquanto partidos já falam abertamente em desidratar a reforma da Previdência

2 de abril de 2019
9:38
O ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência pública da Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.
O ministro da Economia, Paulo Guedes - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Depois da troca de caneladas entre Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia ficou acertado que Paulo Guedes iria para o corpo a corpo com parlamentares para defender o texto da reforma da Previdência.

Guedes receberá congressistas do PSL, partido do presidente, DEM, de Maia, PSD e PRB. Ilustrando como o jogo é duro, Guedes, que acorda cedo e é leitor de jornais, certamente viu no “Estado de S.Paulo”, que os partidos preparam emendas para mudar a proposta, e leu na “Folha de S.Paulo”, que os líderes já articulam desidratar a PEC já na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Em tese, a CCJ, onde Guedes vai amanhã depois de uma desistência por temer balaços da base e da oposição, verifica se a proposta do governo não fere dispositivos constitucionais, a chamada admissibilidade.

Discussões sobre o conteúdo em si, o chamado mérito, serão ou seriam feitas apenas na Comissão Especial. Por isso da ideia de que a proposta passaria sem dificuldades e de forma relativamente rápida pela CCJ.

Para que essa percepção se torne realidade, além de Guedes gastar sua boa retórica e deitar seu poder de convencimento, será necessário fazer um trabalho junto ao presidente da comissão, Felipe Francischini, e ao relator, delegado Marcelo Freitas, para que as manobras visando modificar o texto na largada sejam derrubas.

É jogar com o regimento embaixo do braço e impedir coisas como uma votação ponto a ponto dos mais de 80 itens que constam da PEC enviada pelo governo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O ministro vinha pedindo pelo amor de Deus para darem a ele R$ 1 trilhão em economia e que cada “benesse” dada a um determinado grupo teria de ser compensada por outro.

Mas no Senado, na semana passada, já mudou um pouco o discurso, falando que se entregarem para ele algo entre R$ 600 bilhões a R$ 800 bilhões, teremos uma reforma, com R$ 1 trilhão ele faz um novo regime, garantindo potência fiscal para a capitalização.

Bolsonaro também entrará em campo, mas só na quinta-feira quando terá retornado de Israel e receberá parlamentares, coisa que ele já tem feito. Em entrevista à “TV Record”, o presidente falou em deixar pelo menos meio-dia da agenda livre para esses encontros e reforçou que a Previdência não é um projeto dele, mas sim do Brasil.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

O LEMA DE SÃO TOMÉ

Por que os gringos estão com o pé atrás em relação ao Brasil e à bolsa?

Apesar de o Ibovespa acumular alta em 2019, o fluxo de recursos estrangeiros para a bolsa no mercado à vista está negativo. Com a reforma da Previdência avançando aos trancos e barrancos, os gringos estão como São Tomé: só acreditam vendo

Transparência

Guedes defende mesma transparência do Copom para política de preços da Petrobras

Em entrevista, ministro voltou a defender que a estatal é livre para definir os preços

Petróleo

ANP nega mais prazo à Petrobras; campos terrestres irão para oferta permanente

Agência reguladora negou mais prazo para a estatal apresentar um plano de desativação de campos terrestres que não estão em produção há mais de seis meses

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: Siga o dinheiro

A vida dos milionários costuma fascinar as pessoas que ainda não chegaram e talvez nunca cheguem lá. Esse é o tipo de tema que costuma despertar as paixões humanas: admiração, inveja, raiva ou simplesmente a questão aspiracional. Quem não nasceu em uma família endinheirada certamente já pensou em como seria a sua vida se fosse […]

Atualização

Avianca cancela mais de 1.300 voos até dia 28

Guarulhos, Brasília e Galeão são os aeroportos mais prejudicados pelos cancelamentos. Já Congonhas e Santos Dumont parecem ter sido poupados

Entrevista

‘O Brasil precisa apressar o passo nas reformas’, diz conselheiro de Paulo Guedes

Para Carlos Langoni, Brasil precisa se apressar porque o processo de “desaceleração sincronizada” da economia mundial impõe desafios ao país. Confira na entrevista

Piora nas contas

Déficit estrutural do setor público chega a 0,7% do PIB em 2018

Devido à deterioração das contas dos Estados e municípios, movimento de melhora das contas públicas pelo resultado oficial não aconteceu no estrutural, que apresentou piora no ano passado

Preço do diesel

Em áudio, Onyx diz que deu uma ‘trava na Petrobras’

Ministro da Casa Civil diz que os caminhoneiros podem ficar sossegados que o governo tem trabalhado para resolver o problema deles

Na mira de quem tem grana

Para que cidades os milionários estão se mudando?

Estudo mostra que Dubai, Los Angeles, Melbourne, Nova York, Sydney, Miami e São Francisco caíram nas graças dos endinheirados

Mercados

O que preocupa gestores de US$ 12 trilhões e uma oportunidade para o Brasil

O país tem que abocanhar trilhão ou menos centenas de bilhões desse dinheiro que está à procura de retornos atrativos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu