Menu
2019-04-02T09:38:42+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Jogo duro

Guedes entra em campo e recebe parlamentares nesta terça-feira

Ministro terá conversas com deputados enquanto partidos já falam abertamente em desidratar a reforma da Previdência

2 de abril de 2019
9:38
O ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência pública da Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.
Paulo Guedes, ministro da Economia - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Depois da troca de caneladas entre Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia ficou acertado que Paulo Guedes iria para o corpo a corpo com parlamentares para defender o texto da reforma da Previdência.

Guedes receberá congressistas do PSL, partido do presidente, DEM, de Maia, PSD e PRB. Ilustrando como o jogo é duro, Guedes, que acorda cedo e é leitor de jornais, certamente viu no “Estado de S.Paulo”, que os partidos preparam emendas para mudar a proposta, e leu na “Folha de S.Paulo”, que os líderes já articulam desidratar a PEC já na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Em tese, a CCJ, onde Guedes vai amanhã depois de uma desistência por temer balaços da base e da oposição, verifica se a proposta do governo não fere dispositivos constitucionais, a chamada admissibilidade.

Discussões sobre o conteúdo em si, o chamado mérito, serão ou seriam feitas apenas na Comissão Especial. Por isso da ideia de que a proposta passaria sem dificuldades e de forma relativamente rápida pela CCJ.

Para que essa percepção se torne realidade, além de Guedes gastar sua boa retórica e deitar seu poder de convencimento, será necessário fazer um trabalho junto ao presidente da comissão, Felipe Francischini, e ao relator, delegado Marcelo Freitas, para que as manobras visando modificar o texto na largada sejam derrubas.

É jogar com o regimento embaixo do braço e impedir coisas como uma votação ponto a ponto dos mais de 80 itens que constam da PEC enviada pelo governo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O ministro vinha pedindo pelo amor de Deus para darem a ele R$ 1 trilhão em economia e que cada “benesse” dada a um determinado grupo teria de ser compensada por outro.

Mas no Senado, na semana passada, já mudou um pouco o discurso, falando que se entregarem para ele algo entre R$ 600 bilhões a R$ 800 bilhões, teremos uma reforma, com R$ 1 trilhão ele faz um novo regime, garantindo potência fiscal para a capitalização.

Bolsonaro também entrará em campo, mas só na quinta-feira quando terá retornado de Israel e receberá parlamentares, coisa que ele já tem feito. Em entrevista à “TV Record”, o presidente falou em deixar pelo menos meio-dia da agenda livre para esses encontros e reforçou que a Previdência não é um projeto dele, mas sim do Brasil.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Apoio declarado

Em podcast, Maia diz que decisão do governo de transferir Coaf para BC é boa

Presidente da Câmara afirmou também que a Casa irá discutir a proposta de autonomia do Banco Central

Seu Dinheiro na sua noite

Belo, recatado e dólar

Foi Edmar Bacha, um dos criadores do Plano Real, quem ensinou a jamais fazer previsões sobre o dólar. É dele a conhecida frase de que a taxa de câmbio foi criada por Deus apenas para humilhar os economistas. Hoje foi um típico dia de humilhação para quem acompanha o mercado financeiro. Mesmo com o noticiário […]

Google e Facebook na mira

Procuradores dos EUA preparam investigação antitruste de gigantes de tecnologia

Investigações devem se concentrar no uso de algumas plataformas de tecnologia dominantes para ofuscar a concorrência

Dança das cadeiras

Receita confirma substituição do subsecretário-geral João Paulo Ramos Fachada

Servidor de carreira, Fachada era o número dois da Receita e é, na prática, o responsável pela gestão do dia a dia do Fisco

Agilidade

Líder do governo defende votar reforma tributária em 45 dias no Senado

Se executado, o prazo coincidiria com a tramitação da reforma da Previdência na Casa

Grupo das aéreas

Avianca Brasil deixará Star Alliance em setembro

Com o movimento, a rede global de companhias aéreas não terá mais empresas brasileiras entre seus membros

Enquanto isso, no Congresso...

Projeto de Lei que reduz para 1% royalties de campos de petróleo marginais avança no Congresso

PL 4663/2016, de autoria de Beto Rosado (Progressista/RN) propõe cortar de 10% para 1% o royalty sobre a produção de campos marginais

BR Distribuidora na conta

Postos ‘bandeira branca’ ganham força e geração de caixa de gigantes de distribuição decepcionam no 2º tri

No centro do problema, as gigantes do setor BR Distribuidora, Raízen Combustíveis e Ipiranga apontaram um vilão em comum: a crise econômica

Expectativas

Vice-presidente da Toyota Brasil diz que venda direta deve chegar a 50% no país em 2019

Vendas diretas são como o setor chama os veículos vendidos pelas montadoras diretamente para os clientes

Comércio com o exterior

Balança comercial tem superávit de US$ 701 milhões na terceira semana de agosto

Em agosto, o superávit acumulado é de US$ 1,222 bilhão. Já no total do ano, o superávit é de US$ 29,697 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements