Menu
2019-04-20T14:10:11+00:00
Mudanças no horizonte

Governo promete à indústria “revogaço” e pacote de competitividade em 15 dias

Promessas foram feitas durante encontro entre onze entidades industriais, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes

25 de março de 2019
19:03 - atualizado às 14:10
Jair Bolsonaro e Paulo Guedes
Jair Bolsonaro e Paulo Guedes - Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock / Fotos Públicas

Além de finalmente realizar um "revogaço" de medidas burocráticas nos próximos dias, o governo prometeu nesta segunda-feira, 25, a empresários da indústria o lançamento de um pacote de competitividade para as empresas nas próximas duas semanas - incluindo ações para baratear o custo da energia. Onze entidades industriais se reuniram nesta segunda com o presidente Jair Bolsonaro e com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para manifestarem apoio integral à reforma da Previdência.

"É preciso limpar o terreno para que o empreendedor se sinta seguro e confortável para tocar os seus negócios", afirmou o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Valente Pimentel. "O governo nos disse nesta segunda que fará nos próximos dias um 'revogaço' de medidas que complicam o ambiente de negócios. Mas ainda não temos detalhes sobre quais normas desse entulho burocrático serão derrubadas", completou.

Os executivos também levaram ao governo a necessidade de realização de uma reforma tributária com mais transparência e justiça na cobrança de impostos, isentando completamente as exportações. A necessidade de uma maior disponibilidade de crédito de longo prazo também foi levada pelos empresários ao Planalto.

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antônio Carlos Megale, afirmou que o custo de capital de giro hoje é um dos maiores entraves enfrentados pela indústria. "Embora tenhamos hoje uma Selic controlada no nível mais baixo da história, ainda há um custo excessivo de crédito que tira competitividade dos produtos nacionais", comentou.

Da sua parte, o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, alertou que as exportações brasileiras de produtos manufaturados estão estagnadas desde 2014 devido ao custo Brasil. "Acreditamos que a aprovação das reformas previdenciária, trabalhista e tributária possibilitará ao País retomar o crescimento nesses embarques", afirmou.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, apontou que há hoje uma demanda reprimida muito grande no setor. "É preciso retornar a confiança na economia para que as empresas possam voltar a investir e tomar crédito. O mercado é enorme e dá para ajudar muito o País a crescer", avaliou.

Já o presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), José Ricardo Roriz Coelho, lembrou que o Brasil tem um déficit considerável em infraestrutura e destacou que os investimentos feitos anualmente não cobrem nem a manutenção das estruturas. Ele destacou o programa de concessões do governo, com o potencial de atração de investimentos internacionais.

A Coalizão Indústria reúne 11 entidades industriais, que representam 39% do Produto Interno Bruto (PIB) do setor (R$ 485 bilhões) e 58% das exportações manufatureiras (R$ 151 bilhões), além de 30 milhões de empregos. As companhias desses segmentos pagam R$ 250 bilhões em impostos anualmente.

Entre os membros do grupo estão Instituto Aço Brasil, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Associação Brasileira da Indústria de Brinquedos (Abrinq), Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Associação Brasileira de Indústria de Máquinas Equipamentos (Abimaq), Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) e Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit).

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Você lembra do Windows Phone?

Bill Gates admite erro que poderia ter mudado a história dos smartphones

Em 2008, em uma reunião de emergência, a Microsoft decidiu remodelar os planos do seu sistema operacional para se adequar. E embora Gates tenha deixado o cargo de CEO em 2000, é provável que o seu conselho tenha sido levando em consideração

sem consenso

Líder do governo elogia projeto de agências reguladoras criticado por Bolsonaro

Para o senador Fernando Bezerra Coelho, o texto, já aprovado pela Câmara, aperfeiçoou o processo de escolha para o comando das agências

resenha com rodrigo

Maia lança podcast e diz que relatório deve ser votado até dia 27

Publicação será semanal e a previsão é de que seja publicado às segundas-feiras nas redes sociais do deputado

por mais impostos

George Soros e outros bilionários assinam carta pedindo imposto sobre grandes fortunas

Os herdeiros Regan Pritzker e Abigail Disney, além do cofundador do Facebook, Chris Hughes, e outras 15 pessoas assinam o documento pedindo o compromisso dos candidatos a Presidência dos EUA

de olho na reforma tributária

‘Claro que a proposta de reforma não é anti-Guedes’

Baleia Rossi, líder do MDB na Câmara, acredita que é um cenário positivo para a aprovação da mudança do sistema tributário brasileiro

foco na agenda econômica

Congresso quer protagonismo e promete votar a reforma tributária ainda este ano

PEC proposta acaba com três tributos federais – IPI, PIS e Cofins. Extingue o ICMS, que é estadual, e o ISS, municipal. Todos eles incidem sobre o consumo

Valor menor que as estimativas

Investimento direto no país soma US$ 7,070 bi em maio, diz BC

No acumulado do ano até maio, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou US$ 35,137 bilhões

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

fala bc

Setor externo tem superávit de US$ 662 milhões em maio, revela BC

Estimativa para a dívida externa brasileira em maio é de US$ 322,476 bilhões, segundo a instituição; ano de 2018 terminou com uma dívida de US$ 320,612 bilhões

Seu mentor de investimentos

A pirâmide do Rei do Gado

Para quem investiu nos bois de papel, que não eram tão gordos assim, o desfecho foi trágico: cerca de 30 mil investidores perderam 3,9 bilhões de reais, uma média de 130 mil reais per capita

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements