Menu
2019-08-25T16:25:22+00:00
avanços no diálogo

G-7: EUA e Japão fecham acordo; Japão vai comprar excedente de milho americano

No entanto, segundo Trump, tarifas de automóveis dos EUA, que as autoridades japonesas queriam ver reduzidas, permanecerão onde estão

25 de agosto de 2019
16:25
Donald Trump
Imagem: Shutterstock

O presidente americano, Donald Trump, disse que os Estados Unidos e o Japão chegaram a um acordo comercial que, "em princípio", abriria caminho para mais exportações agrícolas norte-americanas para o Japão, ao mesmo tempo em que abandonaria a ameaça de aumento de tarifas norte-americanas sobre carros japoneses.

"Estamos trabalhando em um acordo com o Japão há muito tempo", disse Trump em um evento improvisado na cúpula do G7, onde se juntou pela segunda vez com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe. Trump disse que, como parte do acordo, o Japão concordou em comprar uma parcela significativa do excedente de milho dos EUA.

As tarifas de automóveis dos EUA, que as autoridades japonesas queriam ver reduzidas, permanecerão onde estão, disse Trump. No entanto, o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, disse que outras tarifas dos EUA seriam retiradas. Trump disse esperar que os líderes assinem o acordo no próximo mês, na ocasião da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Abe disse que ainda há "algum esforço remanescente que precisa ser feito no nível de trabalho", mas que os dois lados chegaram a um consenso sobre as questões centrais do comércio agrícola e industrial. O primeiro-ministro disse que o setor privado do Japão compraria milho dos EUA por causa de problemas com pesticidas. "O setor privado japonês ouve o setor público japonês", brincou Trump. "É um pouco diferente."

Trump retirou os EUA da não ratificada Trans-Pacific Partnership de 12 nações, que incluiu o Japão, em seu primeiro dia de trabalho no escritório em 2017. Um TPP revisado entrou em vigor no ano passado sem os EUA, e agora os agricultores americanos estão reclamando que os países membros - incluindo Austrália, Canadá e Nova Zelândia - e a União Europeia têm maior acesso aos mercados japoneses de carne bovina, suína e laticínios, há muito protegidos.

Os agricultores americanos também estão sofrendo com a queda nas vendas para a China, que cortou as compras agrícolas dos EUA em retaliação às tarifas de Trump sobre mais de US $ 250 bilhões em importações chinesas. O ministro da Revitalização Econômica do Japão, Toshimitsu Motegi, disse em Washington, no início desta semana, que as negociações entre o Japão e os EUA estavam em seus estágios finais.

Uma opção que os negociadores estavam buscando é fechar um acordo que não precisaria de ratificação no Congresso, de acordo com pessoas familiarizadas com as negociações. Ainda não está claro se o acordo anunciado no domingo precisaria passar pelo Congresso. Fonte: Dow Jones Newswires.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

tensão

Preços do petróleo disparam após ataques na Arábia Saudita

Duas grandes refinarias da empresa petrolífera Aramco foram atacadas no último sábado, 14; oferta de petróleo no mundo pode sofrer uma queda de até 5%; neste domingo, contratos futuros chegaram a saltar 19%

após ataques

Petroleira saudita diz que pretende retomar um terço da produção até esta segunda

As atividades da Aramco, a estatal saudita, foram interrompidas devido a um ataque contra suas unidades no último sábado 14

guerra comercial

‘O objetivo de Washington é usar bullying e pressão’, diz embaixador da China no Brasil

Para Yang Wanming, comércio entre Brasil e China tende a sofrer no médio e longo prazos; ele diz que a guerra comercial arruinou a confiança do mercado internacional

a hora e a vez da americana

O que a Amazon, de Jeff Bezos, quer no Brasil?

Gigante varejista dos Estados Unidos avança no Brasil com lançamento do serviço Prime, mas o que isso significa para o setor do varejo e a concorrência?

tendência

Marfrig vai exportar carne vegetal para ao menos quatro países

Companhia brasileira anunciou no início de agosto a produção e comercialização de produtos à base de proteína vegetal, numa parceria com a americana ADM

tensão

Ataque à Aramco, na Arábia Saudita, pode afetar 5% da produção mundial de petróleo

Ataques à Aramco ocorrem em meio à escalada das tensões entre os rebeldes houthis, aliados do Irã, com a Arábia Saudita, apoiada pelos EUA

Proteção para a sua carteira

Ao escalar sua seleção de ações, pense duas vezes antes de colocar Vale e Suzano na defesa

As ações das exportadoras Vale e Suzano, clássicas opções defensivas para um cenário de dólar forte, acumulam desempenho negativo no ano, pressionadas pelos preços do minério e da celulose em baixa. Se esses papéis já não têm mais o mesmo apelo defensivo de antes, quais ativos da bolsa podem ocupar o miolo da zaga do seu portfólio?

quem disse que tá ruim?

Novatas de tecnologia na bolsa americana têm desempenho acima do S&P 500 – mesmo levando em conta Uber e Lyft

Levantamento feito por publicação americana leva em conta 13 IPOs de tecnologia deste ano nas bolsas e mostram que os papéis, juntos, valorizaram mais que o S&P 500

tensão

Drones atacam instalações de petroleira na Arábia Saudita

Reivindicado pelos rebeldes houthis que combatem a intervenção saudita no vizinho Iêmen, ataque atingiu duas refinarias da Aramco

oportunidades à vista

Brasil consegue abertura do mercado egípcio para lácteos e Bolsonaro comemora

Produtores brasileiros poderão exportar, já a partir de outubro, produtos como leite em pó e queijos para o mercado egípcio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements