Menu
2019-06-21T19:03:03+00:00
empresa quer nova plataforma

Fleury vai além do diagnóstico com hospital de um dia e gestão de saúde

Rede quer oferecer alternativas mais em conta do que sistema tradicional de planos e hospitais; em menos de cinco meses, investimentos em novas frentes, que inclui também centro de tratamento de doentes crônicos, somaram R$ 30 milhões

21 de maio de 2019
8:05 - atualizado às 19:03
Carlos Marinelli
02-05-15 SAO PAULO / SP/ ECONOMIA/ FLEURY/ Carlos Marinelli, presidente do grupo Fleury. - Imagem: GABRIELA BILO/ ESTADAO

Nos últimos cinco meses, o quase centenário grupo Fleury tem se lançado em novas frentes para reinventar sua plataforma de negócios. A mais recente delas, que será aberta nesta terça-feira, 21, em Higienópolis, é seu primeiro Day Clinic. Nesse centro de atendimento, pacientes com necessidades de atendimento ortopédico fazem tratamentos e pequenas cirurgias e têm alta no mesmo dia. É mais um passo da companhia que quer se consolidar como um plataforma de saúde, indo além da medicina diagnóstica.

Desde dezembro, o grupo vem se lançando em novas frentes para construir essa nova plataforma de negócios. No fim de 2018 comprou a SantéCorp, empresa voltada à gestão da saúde de funcionários dentro das empresas. Em fevereiro, inaugurou um centro de infusões para aplicação de medicamentos intravenosos no centro de imunobinobiologia do grupo, no Morumbi. Doentes crônicos, que precisam tomar medicamentos com regularidade, em vez de irem ao hospital vão ao centro. Nos três projetos, foram investidos R$ 30 milhões.

As novas áreas de atuação não significam que o Fleury pretenda virar um hospital, muito menos uma empresa de planos de saúde. "Todo mundo está preocupado com a sustentabilidade do setor de saúde", afirma Jeane Tsutsui, diretora executiva de negócios da marca Fleury.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

De acordo com a executiva, o objetivo é ampliar a atuação ambulatorial, realizando procedimentos de pequena complexidade fora do hospital, onde o risco de infecção, bem como os custos são maiores. Segundo Jeane, a literatura médica internacional mostra que a redução de custos num procedimento realizado num Day Clinic é, em média, 20% menor do que o mesmo procedimento feito em um hospital tradicional.

Nas contas de Rodrigo Abdo, sócio-diretor da Setrus, consultoria especializada no setor de saúde, porém, essa economia pode ser muito maior e chegar a 50%. Para Abdo, a estratégia do Fleury de se posicionar como uma plataforma de negócios em saúde, expandindo para ramos correlatos aos da medicina diagnóstica, é muito adequada à tendência do mercado.

O grande número de pedidos de exames feitos por médicos, cuja a necessidade algumas vezes é questionada, pressiona os custos do sistema de saúde como um todo. Segundo o consultor, nesse ponto o grupo está construindo um modelo de negócio que entrega mais soluções, com menor custo de operação.

Um dia

Além do Day Clinic, no qual o paciente realiza o procedimento cirúrgico ou ambulatorial em, no máximo, 12 horas, a marca Fleury tem 13 centros integrados de diagnóstico em São Paulo. Entre eles, há diferentes especialidades, como o de neurologia e medicina do sono, endoscopia digestiva avançada e medicina fetal.

De acordo com Jeane, um dos fatores que determinaram a instalação do Day Clinic no centro de excelência ortopédica do grupo é que 70% das cirurgias e procedimentos da área ortopédica podem ser feitos em ambiente de atendimento diário.

Sem estrangeiros

No passado, o Fleury chegou a ter um Day Clinic, mas era voltado para cirurgias em geral. Ele estava instalado no mesmo prédio no qual vai funcionar a nova versão desse modelo de negócio.

O antigo Day Clinic operou até 2009 e foi descontinuado por ocasião da abertura de capital da empresa. Como, na época, havia uma lei que não permitia a entrada de capital estrangeiro no setor de hospitais, o grupo decidiu sair do negócio para poder captar recursos no mercado. Com a mudança na lei e o plano estratégico de ampliar a atuação para além da medicina diagnóstica, o grupo voltou a apostar nesse modelo.

O Grupo Fleury, que faturou R$ 2,9 bilhões em 2018 e lucrou R$ 331,6 milhões, não revela se pretende ter mais Day Clinic em outros centros de diagnóstico. "Estamos avaliando todas as oportunidades para oferecer eficiência e qualidade para o sistema", diz Jeane.

Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Seu Dinheiro na sua noite

Tupi or not tupi

Há quase um século, o escritor Oswald de Andrade redigia o Manifesto Antropofágico, o clássico (e divertidíssimo) texto no qual defende a valorização de uma cultura verdadeiramente brasileira. A ideia não era se opor à influência estrangeira, mas devorá-la. A zoeira com o monólogo de Shakespeare em Hamlet (“To be, or not to be”) sintetiza […]

No júri

Petrobras tem vitória no Carf em processo envolvendo R$ 5,1 bilhões

Processo administrativo fiscal trata da cobrança de CIDE-Importação sobre remessas ao exterior para pagamento de contratos de afretamento

Crédito mais barato

Caixa apresenta nova modalidade de financiamento com juros atrelados ao IPCA

Taxas de juros da nova modalidade vão oscilar entre 2,95% a 4,95% ao ano mais a variação do IPCA. A demanda estimada pelo produto está na casa de R$ 50 bilhões

Vai tranquilo

Maia sobre reforma tributária: “não estamos com pressa”

Presidente da Câmara diz querer estabelecer um debate sobre o tema de forma tranquila e profunda

De mudança e sob nova direção

Após governo mandar Coaf para o BC, Ricardo Liáo é nomeado novo presidente do órgão

Indicação é vista como uma forma de garantir certa continuidade na administração do Coaf

Sem sinal

Oi perde quase metade do valor na bolsa em apenas quatro dias

Com mais de 37,5 milhões de clientes no país, Oi passa a ser avaliada em apenas R$ 4,4 bilhões na B3; só hoje, as ações ordinárias da operadora registraram uma desvalorização de 27%, cotadas a R$ 0,73

DE OLHO NO GRÁFICO

Queda do Ibovespa, S&P e as ações para ficar de olho

No De Olho no Gráfico de hoje, Fausto Botelho fala de suas expectativas para o Ibovespa, o S&P, o Nasdaq, o dólar e o desempenho das ações para as quais tem recomendação de venda

Primeiro texto

Relator da reforma da Previdência no Senado diz estar fazendo esforço para entregar relatório na sexta-feira

A presidente da CCJ, Simone Tebet, já havia dito que essa era a previsão, sendo que a leitura do documento será feita no dia 28

Siga o dinheiro

Fluxo do gringo na bolsa em 2019 ainda é positivo e eu posso provar

Dados disponibilizados pela B3, que mostram saída de R$ 19 bilhões até 15 de agosto, não contabilizam valores movimentados em ofertas de ações

um passo atrás

‘Não quero submeter meu filho ao fracasso’, diz Bolsonaro sobre Embaixada

Presidente admitiu a possibilidade de desistir da nomeação de seu filho, após “guerra de pareceres” no Senado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements