Menu
2019-04-04T14:42:05+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Ranking de cidades

Esqueça Nova York. A cidade dos ultra-ricos agora tem outro nome

Região chinesa de Hong Kong assumiu a liderança dos lugares com mais magnatas no mundo

26 de novembro de 2018
16:46 - atualizado às 14:42
hong-kong
Mercado de ações e crescimento chinês foram peças-chave para a liderança de Hong Kong - Imagem: Shutterstock

Dê uma resposta rápida: onde você diria que vivem os magnatas do mundo? Se sua resposta foi Nova York ou Londres, então está na hora de sair da caixinha ocidental.

Isso porque Hong Kong virou líder em um ranking feito pela Wealth-X, que mostra os principais destinos das pessoas mais endinheiradas do planeta, e que foi publicado no site da CNN. No levantamento de 2017, a região chinesa desbancou Nova York como a capital dos super-ricos, posição ocupada pela cidade americana desde que a empresa começou a fazer esse tipo de levantamento, em 2011.

O estudo da Wealth-X mostra dois fatores interessantes que ajudaram a impulsionar Hong Kong no ranking. O primeiro deles é o boom do seu mercado de ações, com crescentes ligações financeiras com a economia chinesa mais ampla.

Já o segundo fator é mais óbvio: o rápido crescimento econômico da China nas últimas décadas ajudou a impulsionar o número de pessoas ultra-ricas na região. Vale lembrar que a pesquisa define um ultra-rico como aquela pessoa que possui em sua conta US$ 30 milhões ou mais.

Estados Unidos segue como favorito

Entre os bilionários mais conhecidos de Hong Kong estão Li Ka-shing. Ele tem um verdadeiro império que controla portos, redes de telecomunicações e empresas de energia em todo o mundo.

Mas, apesar da liderança, Hong Kong está praticamente isolada dentro de uma lista recheada de cidades americanas. Os Estados Unidos continuam sendo o país preferido dos mais ricos do mundo e abrigam quase um terço dos indivíduos com os patrimônios líquidos mais elevados do mundo.

Essa configuração, no entanto, caminha para mudanças. A Ásia - ajudada pela China - vem se aproximando dos americanos e, no ano passado, viu o número de bilionários que residem na região crescer 20%.

Globalmente, o número de indivíduos ultra-ricos aumentou 13% no ano passado, para mais de 250.000. A riqueza total combinada dessas pessoas atingiu US$ 31,5 trilhões.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Próximos passos

Banco dos BRICS quer trabalhar com mais empréstimos em moedas locais

NDB tem como foco o financiamento de projetos no Brasil, na Rússia, na Índia, na China e na África do Sul

Trato feito

Grupo Prumo e Siemens AG assinam acordo de cooperação em projetos de energia

Assinatura ocorreu durante a reunião do BRICs, em cerimônia que contou com a presença dos principais executivos das companhias envolvidas

Ficou difícil

Negociação EUA-China trava por questão de compras agrícolas, dizem fontes

Impasse sobre agricultura cria outro obstáculo no caso, conforme Pequim e Washington tentam fechar a fase 1 do acordo

Mantendo relações

Bolsonaro confirma viagem à Índia em janeiro de 2020

Mais cedo, presidente teve reunião com o presidente da China, Xi Jinping, para a assinatura de acordos bilaterais

Hora de comprar

Quer uma ação com potencial de alta de 20%? o J.P. Morgan recomenda a Totvs

Apesar de as ações ON da Totvs já acumularem ganhos de mais de 125% em 2019, o J.P. Morgan ainda vê espaço para valorização nos papéis até o ano que vem

Reação do mercado

C&A frustra expectativas em primeiro balanço após IPO e ações caem forte

Um dos pontos que chamaram a atenção no balanço da companhia foi o fato de que o lucro líquido fechou o terceiro trimestre com queda de 40,5%, ante o mesmo período de 2018, assim como o fato de que a companhia perdeu poder competitivo e houve desaceleração das vendas nas mesmas lojas

Tribunal da concorrência

Cade vai revisar compra da Fox pela Disney, já que Fox Sports não foi vendida

Em sua sentença, o tribunal concorrencial condicionou a aprovação do negócio à venda do canal Fox Sports, o que não ocorreu até agora

Dá-lhe recuperação

Lucro das três maiores estatais brasileiras no ano até setembro atinge o maior valor em 26 anos

Resultado de R$ 52,065 bilhões em 2019 é 53% superior ao acumulado no mesmo período de 2018, de R$ 33,966 bilhões

Entrando dólares

Fluxo cambial total em novembro até dia 8 é positivo em US$ 256 milhões

Resultado inicia o mês positivo depois de encerrar outubro com saídas líquidas de US$ 8,494 bilhões

Precisa melhorar isso aí

Em reunião em Brasília, representantes dos BRICS dizem que cooperação do grupo está aquém do potencial

Grupo realiza nesta quarta-feira uma série de encontros e debates em Brasília para decidir os seus próximos passos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements