Menu
2018-09-23T22:44:09+00:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
16 anos após compra

Garoto já ‘envelheceu’, mas drama da venda para Nestlé pode voltar ao Cade

Imbróglio judicial em torno da compra da Garoto pela Nestlé deve ir a novo julgamento após companhia ter recurso negado

20 de setembro de 2018
10:57 - atualizado às 22:44
homem mais velho mostra desespero
Nestlé não cumpriu acordo com o Cade que determinava a venda de marcas

O imbróglio judicial ao redor da compra da Garoto pela Nestlé, concretizada há 16 anos, pode voltar a ser analisada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A fusão das empresas foi realizada em 2002, mas já havia sido vetada em 2004. À época, a Nestlé recorreu e conseguiu suspender a decisão em 2005.

Em 2002, a Nestlé tinha 34% do mercado de chocolate do País - ao comprar a Garoto, chegou a 58%, ante 33% da Lacta. Mesmo com a entrada de novas rivais, o mercado continua a ser dominado pelas três empresas.

Não satisfeita, em 2009, a Justiça determinou que o Cade julgasse o negócio novamente. Desde então, a empresa entrou com diversos recursos e o assunto se perdeu no tempo.

Na semana passada, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região negou recurso da Nestlé, o que, na prática, mantém a decisão de 2009, que determina novo julgamento.

Vendem-se algumas marcas

A nova análise deve levar em conta o fato de a marca não ter cumprido o acordo negociado com o Cade em 2017, que previa a venda de um pacote de dez marcas, como Chokito, Serenata de Amor, Lollo e Sensação. O prazo inicial acabou em outubro do ano passado, foi prorrogado até meados deste ano, mas as marcas não foram vendidas.

Com o descumprimento, o Cade poderia até leiloar as marcas ou determinar a revogação da compra da Garoto. Isso significaria que as duas empresas teriam de ser separadas mesmo tanto tempo após o negócio.

Com condições

Uma das dificuldades para a venda das marcas pela Nestlé é que, no acordo, o Cade proibiu que seja feita para um rival de grande porte, tirando, dessa forma, a Mondelez (dona da Lacta) do páreo.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Próximos passos

Banco dos BRICS quer trabalhar com mais empréstimos em moedas locais

NDB tem como foco o financiamento de projetos no Brasil, na Rússia, na Índia, na China e na África do Sul

Trato feito

Grupo Prumo e Siemens AG assinam acordo de cooperação em projetos de energia

Assinatura ocorreu durante a reunião do BRICs, em cerimônia que contou com a presença dos principais executivos das companhias envolvidas

Ficou difícil

Negociação EUA-China trava por questão de compras agrícolas, dizem fontes

Impasse sobre agricultura cria outro obstáculo no caso, conforme Pequim e Washington tentam fechar a fase 1 do acordo

Mantendo relações

Bolsonaro confirma viagem à Índia em janeiro de 2020

Mais cedo, presidente teve reunião com o presidente da China, Xi Jinping, para a assinatura de acordos bilaterais

Hora de comprar

Quer uma ação com potencial de alta de 20%? o J.P. Morgan recomenda a Totvs

Apesar de as ações ON da Totvs já acumularem ganhos de mais de 125% em 2019, o J.P. Morgan ainda vê espaço para valorização nos papéis até o ano que vem

Reação do mercado

C&A frustra expectativas em primeiro balanço após IPO e ações caem forte

Um dos pontos que chamaram a atenção no balanço da companhia foi o fato de que o lucro líquido fechou o terceiro trimestre com queda de 40,5%, ante o mesmo período de 2018, assim como o fato de que a companhia perdeu poder competitivo e houve desaceleração das vendas nas mesmas lojas

Tribunal da concorrência

Cade vai revisar compra da Fox pela Disney, já que Fox Sports não foi vendida

Em sua sentença, o tribunal concorrencial condicionou a aprovação do negócio à venda do canal Fox Sports, o que não ocorreu até agora

Dá-lhe recuperação

Lucro das três maiores estatais brasileiras no ano até setembro atinge o maior valor em 26 anos

Resultado de R$ 52,065 bilhões em 2019 é 53% superior ao acumulado no mesmo período de 2018, de R$ 33,966 bilhões

Entrando dólares

Fluxo cambial total em novembro até dia 8 é positivo em US$ 256 milhões

Resultado inicia o mês positivo depois de encerrar outubro com saídas líquidas de US$ 8,494 bilhões

Precisa melhorar isso aí

Em reunião em Brasília, representantes dos BRICS dizem que cooperação do grupo está aquém do potencial

Grupo realiza nesta quarta-feira uma série de encontros e debates em Brasília para decidir os seus próximos passos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements