Menu
2019-04-20T15:16:25+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Com orçamento apertado

Doria negocia leilão da Rio-Santos e do Ferroanel

Segundo governador de São Paulo, João Doria, foi montado um cronograma “acelerado” para tirar os projetos do papel, com a criação de grupos de trabalhos específicos e previsão de novas reuniões ainda em janeiro

11 de janeiro de 2019
7:13 - atualizado às 15:16
Estrada
Estrada - Imagem: shutterstock

Em busca de um respiro com o orçamento apertado para fazer novos investimentos, os governos federal e de São Paulo vêm discutindo algumas privatizações.

Nessa quinta-feira, 10, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, discutiram, em reunião em Brasília.

Entraram nas discussões as formas de viabilizar a construção do Ferroanel, a concessão da Rodovia Rio-Santos (BR-101) e o projeto do trem de passageiros Intercidades.

“Os projetos serão feitos a quatro mãos, com recursos da iniciativa privada”, disse o ministro, após o encontro.

Segundo Doria, ontem mesmo foi montado um cronograma “acelerado” para tirar os projetos do papel, com a criação de grupos de trabalhos específicos e previsão de novas reuniões ainda em janeiro.

Os dois lados têm pressa e querem colocar licitações na rua o mais rápido possível. A ideia é aproveitar estudos e soluções que já vinham sendo feitos nos governos anteriores, como a construção do Ferroanel pela MRS em contrapartida à renovação antecipada de contratos da concessionária.

Depois de se reunir com o ministro, Doria, encontrou o presidente Jair Bolsonaro, acompanhado de três de seus secretários, ex-ministros do governo de Michel Temer: Antônio Imbassahy, Alexandre Baldy e Henrique Meirelles, que disputou a eleição à Presidência.

Na reunião com Bolsonaro, o governador discutiu o projeto de privatização da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e a mudança de endereço do maior entreposto de frutas e verduras da América Latina, atualmente na Vila Leopoldina, na zona oeste de São Paulo. A nova área que será ocupada não foi divulgada por Doria, mas ele disse que Bolsonaro foi “muito positivo e o assunto deve avançar”.

O endereço atual concentra uma grande quantidade de caminhões e dificulta o acesso da população à região. Com o crescimento do local, os congestionamentos frequentemente se estendem até as marginais.

O Ceasa foi construído pelo governo do Estado de São Paulo na década de 60 em um terreno do governo federal. Na década de 90, o espaço passou a ser administrado pela União.

No entanto, uma parceria entre União, Estado e município de São Paulo será responsável pela mudança do Ceagesp da Vila Leopoldina já que a competência pela gestão da logística de abastecimento e distribuição de alimentos é das três esferas do poder público.

Eles também falaram sobre o projeto de um parque, administrado pela iniciativa privada, na área hoje ocupada pelo Aeroporto do Campo de Marte e do museu aeroespacial. Doria destacou que a pista de pouso e decolagem será mantida mesmo sem utilização.

Recursos

Discutida há anos, a construção de trecho do Ferroanel é orçada em R$ 5 bilhões, de acordo com os últimos estudos, e será feita como contrapartida à renovação antecipada, por mais 30 anos, de diversos contratos da operadora MRS.

Ainda no governo Temer foi anunciado que a MRS construiria 53 quilômetros da ferrovia, entre as estações de Perus, em São Paulo (SP), e de Manoel Feio, em Itaquaquecetuba (SP).

Já a Rio-Santos (BR-101) será concedida dentro do pacote de concessão das rodovias hoje com a CCR Nova Dutra, cujo contrato vence em 2021. A ideia é usar o pacote para conseguir investimentos para a Rio-Santos como contrapartida à concessão da movimentada Dutra.

“É uma rodovia muito importante para o turismo, não faz sentido que uma rodovia dessa importância não esteja concedida e operada pelo setor privado”, completou Doria.

No caso do trem Intercidades, o ministro informou que será uma licitação privada para que o transporte de passageiros possa ser feito com o compartilhamento de linhas que já existem no transporte de cargas.

Segundo Freitas, o transporte de cargas é pequeno e existe capacidade para que haja o compartilhamento com o transporte de passageiros na região, que ligará a capital a Campinas e Vale do Paraíba.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Risco de rompimento

Vale realiza obras para conter lama da barragem de Cocais

Deslizamento na mina de Gongo Soco pode provocar abalo sísmico suficiente para provocar o rompimento da barragem

Negociações

Samuel Moreira quer apresentar relatório sobre reforma da Previdência em 15 dias

Rodrigo Maia sinalizou ao governo que vai encampar a proposta final do relator

Não é só na Educação...

Bloqueio de verba foi superior a 40% em 300 projetos

O governo federal congelou todo o Orçamento previsto neste ano para políticas em áreas sensíveis; cerca de 140 projetos estão com 100% dos recursos bloqueados, a maioria na área de infraestrutura

Seu Dinheiro no Domingo

A semana do tsunami

Semana foi pródiga em eventos com elevado poder de destruição e terminou com uma enigmática mensagem distribuída por Bolsonaro

Relações exteriores

Governo vê pouca chance de entrada do Brasil na OCDE

No encontro da OCDE de maio, os representantes dos EUA informaram que não “tinham instrução” sobre a chegada de novos membros

Dois anos de Joesley Day

Os bastidores da relação dos donos da JBS com o poder

No livro “Why not”, a jornalista Raquel Landim fala sobre a trajetória da gigante das carnes

Caso Queiroz

Justiça determina acesso a notas fiscais de Flávio Bolsonaro

Medida consiste em ampliação de quebra de sigilo bancário; Receita terá que encaminhar ao MP do Rio as notas de bens e serviços adquiridos pelo senador entre 2007 e 2008

Para além da lagosta e do vinho

Em cenário de cortes, STF prevê mais gastos

Entre os gastos previstos, estimados em R$ 29,5 milhões, estão a compra de veículos blindados, a troca de aparelho de telefone fixo, a reforma no gabinete da presidência do tribunal, além de refeições com lagosta e vinho

Congresso

‘Não haverá nova proposta da Previdência’, diz líder do governo na Câmara

Após conversa com o relator da reforma na Comissão Especial, Samuel Moreira, Major Vitor Hugo disse não acreditar que os deputados enviem uma proposta própria, mas sim um substitutivo para facilitar mudanças no texto atual

QUE BOLSA É ESSA?

O gigante Itaú, definitivamente, não está adormecido

O retorno sobre patrimônio líquido anualizado (ROE, da sigla em inglês) ficou em 23,6% – nada mau para um gigante que vem sendo atacado por todos os lados… Mas boa parte das fintechs moderninhas ainda não gera resultado, quanto mais caixa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu