Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-09-23T19:29:35+00:00
Seu Dinheiro na sua noite

Dólar ladra, mas (ainda) não morde

23 de setembro de 2019
19:29
O Melhor do Seu Dinheiro
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Como todos sabemos, o câmbio no Brasil é flutuante. Mas toda vez que o dólar sobe com consistência, uma certa apreensão surge no mercado. O temor não é só pela alta da moeda, mas pelo que ela pode representar.

No limite, uma desvalorização muito acentuada do real pode despertar pressões inflacionárias e ameaçar o processo de queda da taxa básica de juros (Selic).

Mas como gostam de dizer os diretores do Banco Central, o câmbio flutuante é a primeira linha de defesa contra choques externos. Isso quer dizer que a alta do dólar ajuda a amortecer os efeitos de uma piora nas condições do mercado internacional.

E não é de hoje que os investidores estão com um pé atrás em relação ao desempenho da economia global. O grande receio é o de que as autoridades não tenham bala na agulha para evitar uma recessão.

Além do cenário nebuloso lá de fora, o dólar ganhou força depois da sinalização do BC brasileiro de que os juros vão continuar em queda firme. Ou seja, aquele ganho que muitos investidores internacionais tinham com a diferença entre os juros praticados aqui e lá fora vai ficar cada vez menor.

Dito tudo isso, a verdade é que o dólar no patamar atual é como aquele velho cão do ditado popular: ladra mas não morde. Com a alta de hoje para R$ 4,171, a moeda do país de Donald Trump acumula um ganho de 7,64% em 2019.

Embora não seja algo de se desprezar, trata-se de uma variação bem menor se compararmos, por exemplo, com o período de tensão pré-eleitoral do ano passado, quando o câmbio chegou a ter uma desvalorização de mais de 25%.

Os temores com indicadores fracos da economia lá fora também mexeram com a bolsa, mas no fim do dia o Ibovespa fechou perto do zero a zero. Saiba com o Victor Aguiar tudo o que mexeu com o dólar e com as ações nesta segunda-feira.

Na prateleira da renda fixa

Uma novidade surgiu na prateleira da renda fixa para quem está em busca de diversificar os investimentos. Ou melhor, duas. O Itaú Unibanco lançou hoje dois novos fundos de índice negociados em bolsa – mais conhecidos pela sigla em inglês ETF – que têm como referência uma cesta de títulos públicos. Saiba mais como funcionam os dois fundos e quais as vantagens em relação a outras aplicações nesta matéria do Kaype Abreu.

Agro é pop

As ações da Fertilizantes Heringer, que são negociadas na bolsa de 2007, caíram no limbo no começo deste ano com o pedido de recuperação judicial da empresa. Pois hoje elas foram resgatadas depois que a companhia recebeu uma oferta de compra de dois grupos russos. A notícia fez com que os papéis da empresa fechassem em alta de mais de 33%. Saiba mais sobre a proposta e quanto os russos estão dispostos a colocar na Heringer.

Guerra pelo seu celular

Os efeitos das disputas comerciais entre Estados Unidos e China respingam para todos os lados, inclusive no Brasil. A bomba da vez explodiu no campo da tecnologia, mais especificamente no leilão de cobertura 5G. O lobby feito pelo presidente norte-americano Donald Trump contra a empresa chinesa Huawei vem colocando em xeque a participação dela no processo brasileiro. Confira nesta nesta matéria tudo o que está em jogo nessa corrida tecnológica que vale bilhões.

Compre e mantenha!

Lenda é lenda, não tem jeito. Outro dia eu citei aqui na newsletter a famosa estratégia do bilionário Warren Buffett de encontrar e comprar ações na bolsa por um preço menor do que elas realmente valem. Agora chegou a hora de contar o que ele faz depois de comprar essas ações. Será que ele vende logo que elas começam a subir ou em caso de queda para limitar o prejuízo? Nada disso. Saiba mais sobre a conhecida estratégia “buy and hold” , que aliás nem foi criada pelo investidor norte-americano.

No pain, no gain

A máxima das academias de musculação em muitos casos pode se aplicar ao mercado financeiro. E também vale para você que decidiu colocar uma parte dos seus investimentos na bolsa, como bem destaca o nosso colunista Felipe Miranda. No texto de hoje, ele explica por que os percalços são inevitáveis no caminho de todo o investidor. Enfrentar períodos de instabilidade, que inclusive podem ser prolongados, é praticamente inevitável se você quiser avançar para a etapa de bonança. Vale a pena a leitura!

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

*Colaboração Fernando Pivetti.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Ações para uma vida

Conheça os 5 maiores investimentos da carteira do bilionário Warren Buffett

Em junho deste ano, a holding de Warren Buffett detinha na carteira ações de 47 companhias. Mas cinco delas representavam 69% do total em valor de mercado. Confira quais são as queridinhas do “oráculo de Omaha”

QUER GANHAR DINHEIRO?

5 estratégias para lucrar na bolsa olhando apenas os gráficos

Quem souber interpretar esses movimentos pode ter insights valiosos sobre a tendência de preços.

Impasse sem fim

Hoje não? Hoje sim. Parlamento britânico volta a adiar votação sobre acordo do Brexit

Foi um duro golpe para primeiro-ministro Boris Johnson, que poderá se ver obrigado a pedir à União Europeia o adiamento da saída do Reino Unido

Sócios na bolsa

Banco do Brasil atrai mais de R$ 7 bilhões em recursos de pessoas físicas em oferta de ações

Uma parcela de 30% da emissão do Banco do Brasil foi destinada ao varejo, embora a demanda fosse suficiente para cobrir o total da oferta, de R$ 5,8 bilhões

O melhor do Seu Dinheiro

MAIS LIDAS: Um novo modelo para o concurso público

Durante um bom tempo, se você digitasse “Banco do Brasil” no Google, a primeira palavra sugerida para a busca seria “concurso”. Ainda hoje o termo aparece bem à frente nas pesquisas do site do que “investimentos”, por exemplo. A estabilidade de uma carreira no serviço público continua sendo a aspiração de muita gente, ainda mais […]

Governança corporativa

Após vender Via Varejo, GPA dá novo passo para migrar ações ao Novo Mercado da B3

Pão de Açúcar publicou o primeiro aviso da oferta pública de aquisição (OPA) da Almacenes Éxito, que possui ações listadas na Colômbia, dentro da reestruturação das operações do grupo francês Casino na América Latina

Maquininhas de cartão

Luz verde! UBS inicia cobertura de ações da Stone com recomendação de compra

O preço-alvo para as ações da Stone, que são negociadas na Nasdaq, foi definido em US$ 42, o que representa um potencial de alta da ordem de 23%

Briga política

Bolsonaro quer processar deputado que o chamou de ‘vagabundo’

Em áudio vazado de uma reunião interna da legenda, o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir, também disse que vai “implodir” o presidente Jair Bolsonaro

Smartphone

Com iPhone 11 mais barato, Apple volta a atrair fila de lançamento

Preços do iPhone 11 ainda são salgados e variam entre R$ 5 mil e R$ 9,6 mil, mas estão um pouco abaixo de 2018, quando a Apple lançou o modelo XR por pelo menos R$ 5,2 mil

Sopa de letrinhas

Entenda como funciona o rating, a nota de crédito dos países e das empresas

A avaliação sobre a capacidade financeira de países e empresas de uma maneira padronizada serve para que os investidores conheçam o nível de risco a que estão se expondo na hora de comprar títulos de dívida. Eu conto para você o conceito que está por trás dessas notas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements