Menu
2019-06-07T18:53:48+00:00
União vs Distrito Federal

Disputa por IR trava repasse de R$ 5 bilhões

Equipe econômica quer resolver o impasse para ajudar a mitigar a situação dos Estados, que enfrentam aguda crise fiscal e negociam novo plano de socorro financeiro

2 de maio de 2019
7:51 - atualizado às 18:53
Prédio da Receita Federal
Imagem: Reprodução/Agência Brasil

Uma disputa jurídica entre a União e o Distrito Federal sobre a quem cabe ficar com o Imposto de Renda retido na fonte dos salários de policiais e bombeiros trava o repasse de R$ 5 bilhões para Estados e municípios.

A União, com respaldo do Tribunal de Contas da União (TCU), diz que o IR retido na fonte dos salários pagos com Fundo Constitucional pertence ao governo federal. A dívida acumulada é de R$ 10 bilhões. O TCU mandou o DF devolver esse valor à União, que é obrigada a repartir a metade com Estados e municípios.

Mas o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), já avisou que não vai devolver o dinheiro e recorreu, na terça-feira, ao Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo uma liminar para evitar a suspensão do repasse.

De 2010 até o mês passado, uma liminar do TCU garantiu que esses recursos ficassem com o DF, mas a cautelar foi derrubada pelos ministros. Por ano, a fatura é de cerca de R$ 700 milhões.

A equipe econômica quer resolver o impasse para ajudar a mitigar a situação dos Estados, que enfrentam aguda crise fiscal e negociam novo plano de socorro financeiro. O governador informou, por meio da sua assessoria, que primeiro serão esgotadas as alternativas jurídicas.

O entendimento do DF é que não haveria a necessidade de pagamento, uma vez que o desconto seria feito no ato do repasse.

Segundo apurou o Estado, o descontentamento da área econômica é grande com a demora do julgamento da cautelar que impediu o repasse de recursos para os demais Estados e municípios. O processo tinha como relator o ministro Raimundo Carreiro, quem concedeu a liminar garantidora dos recursos ao Distrito Federal. Em janeiro de 2017, quando ele assumiu a presidência do tribunal, o processo passou a ser relatado pelo ministro Aroldo Cedraz.

Em março, o TCU determinou que a União deixasse de repassar imediatamente ao DF a arrecadação do IRRF incidente sobre as remunerações e proventos dos servidores do Corpo de Bombeiros Militar e das polícias civil e militar. Essa medida já garante mais recursos aos Estados e municípios.

O Ministério da Economia informou que vai negociar a devolução do dinheiro. Segundo a pasta, o TCU determinou que a União e o DF avaliem a conveniência e oportunidade de submeter à Câmara de Conciliação e Arbitragem da Administração Federal da Advocacia-Geral da União para o ressarcimento aos cofres do Tesouro Nacional dos valores retidos indevidamente pelo Distrito Federal.

Para o governo federal, não cabe a apropriação do Imposto de Renda por parte do DF, porque não é ele que efetua o pagamento dos servidores e militares das forças de segurança, mas a União. A União já repassa R$ 14,2 bilhões ao DF pelo Fundo Constitucional. No julgamento, a defesa da União destacou que 26 governadores e milhares de prefeitos tinham interesse nesse processo e que R$ 5 bilhões eram para terem sido repassados a eles na última década. Para a União, há uma apropriação indébita de recursos pelo Distrito Federal.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

sem passagem de volta

Petrobrás e Uruguai firmam acordo sobre distribuidoras de gás

Estado uruguaio assumirá as operações da Conecta S.A. e a Distribuidora de Gas de Montevideo

a bula do mercado

Expectativa com Livro Bege deve manter ativos locais à deriva

Fed divulgará o documento às 15h

a volta por cima?

Oi quer ser uma empresa de fibra

Em recuperação judicial e com dívidas bilionárias, operadora dá uma guinada na sua estratégia e indica que pode vender seu negócio de telefonia móvel 

Será que volta?

Maia pede apoio de governadores a PEC para reinclusão de Estados na Previdência

“A gente vai precisar que o PT, PSB, PDT, PCdoB possam ajudar a aprovar a PEC paralela, senão vai acabar tendo obstrução de alguns pelos mesmos motivos que nós tivemos que tirar Estados e municípios da PEC da Previdência encaminhada pelo governo”, afirmou Maia

Seu Dinheiro na sua noite

Como será o amanhã?

Responda quem puder. Aliás, todas as suas decisões de investimento deveriam ter essa pergunta em mente. É com base no que será o amanhã, ou na ideia de cada um sobre o amanhã, que funciona o tal mercado financeiro. Bola de cristal, jogo de búzios, cartomante… Na canção que ficou famosa na voz da Simone, […]

De olhos bem abertos

CVM alerta que Robô Investe, página que possui mais de 22 mil seguidores no Facebook, possui atuação irregular

A comissão disse que recebeu uma série de denúncias em seu serviço de atendimento ao cidadão e verificou indícios de que os envolvidos vêm oferecendo serviço de análise de valores mobiliários

Colocando de volta?

Alcolumbre defende inclusão de Estados e municípios na reforma da Previdência

“Nesse caso, se o relator da matéria, o senador Tasso, tem o desejo de incluir, se é o sentimento do Senado como Casa da Federação, eu espero que o Senado possa debater e incluir Estados e municípios na nova Previdência”, disse o presidente do Senado

DE OLHO NO GRÁFICO

Sinal amarelo no S&P, o futuro do Ibovespa e 14 ações

No vídeo de hoje, Fausto Botelho analisa o futuro dos papéis de B3, Banco do Brasil, Iguatemi, Itaúsa, Itaú Unibanco, Klabin, Kroton, Minerva, Odontoprev, Petrobras, Santander, Ultrapar e mais

Uma das cartas mais esperadas do mercado

Gestora SPX projeta corte no próximo Copom e acredita que Selic pode chegar a 5% ao ano

Apesar de estar mais positiva com Brasil, a carta fez ressalvas sobre o enfraquecimento das economias mundiais e disse para tomarmos cuidado com os “leões e o dragão” que estão à solta no mercado

Banco de serviços

Presidente do BNDES pede dois meses para explicar caixa-preta

Gustavo Montezano também esclareceu que BNDES vai acelerar venda de participações em empresas neste ano, mas que não tem um número para dar. Carteira soma R$ 110 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements