Menu
2019-06-14T13:23:26+00:00
Economia em marcha lenta

Dificuldades da economia frustraram planos de investimento de indústrias, diz CNI

Pesquisa aponta que, entre as empresas que investiram, 51% não conseguiram realizar projetos como planejado. Dessas, 38% realizaram os investimentos parcialmente, 9% adiaram para 2019 e 4% cancelaram

14 de junho de 2019
13:23
Produção industrial
Produção industrial - Imagem: José Patricio/Estadão Conteúdo

As dificuldades de recuperação da economia frustraram os planos de investimentos das grandes indústrias no ano passado. De acordo com pesquisa sobre os Investimentos na Indústria 2018-2019, divulgada nesta sexta-feira, 14, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 75% das empresas fizeram algum tipo de investimento no ano passado, abaixo dos 81% que planejavam investir no ano.

A pesquisa aponta que, entre as empresas que investiram, 51% não conseguiram realizar projetos como planejado. Dessas, 38% realizaram os investimentos parcialmente, 9% adiaram para 2019 e 4% cancelaram ou adiaram para depois de 2019.

"A frustração dos planos de investimento em 2018 deve-se à decepção com a retomada da economia. Em particular, o crescimento da demanda ficou abaixo do que se esperava, especialmente por causa do elevado desemprego. Além disso, as incertezas internas e externas que contaminaram boa parte do ano passado também trouxeram riscos ao investimento", afirma o gerente-executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, por meio de nota.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O economista acrescenta ainda que a maior parte dos investimentos é financiada com capital próprio das empresas. Diante da situação financeira mais debilitada que em anos anteriores, o investimento ficou prejudicado. Para Castelo Branco, a recuperação do investimento é fundamental para a retomada do crescimento sustentado.

A pesquisa mostra ainda que, entre as empresas que investiram no ano passado, 56% destinaram recursos para a continuação de projetos anteriores e 44% aplicaram em novos projetos. O objetivo principal dos investimentos em 2018 foi a inovação (53% das empresas). Outras 28% investiram no aumento da capacidade de produção, o que foi o maior porcentual registrado desde 2012.

Expectativas

Para este ano, as expectativas são positivas, segundo a CNI. Quatro em cada cinco empresas de grande porte planejam investir. Os principais objetivos do investimento previsto para este ano são a melhoria do processo produtivo (36%) e o aumento da capacidade da linha atual (22%). Os empresários dizem, segundo a pesquisa, que a expectativa de crescimento do consumo e os avanços tecnológicos estimularam a intenção de investimentos para este ano.

A pesquisa aponta ainda que o excesso de regulação e de burocracia e a falta de recursos financeiros interferiram nas decisões de investimentos para este ano. Mais da metade, 51% das indústrias afirmam que os recursos financeiros desestimularam os planos. Outras 49% apontaram a regulação e a burocracia como fatores que atrapalharam a disposição para investir.

A pesquisa foi feita entre 24 de janeiro e 15 de abril, com 334 indústrias de grande porte.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

ficou pra semana que vem

Moro adia ida à Câmara para falar sobre mensagens vazadas

O ministro havia sido convidado por quatro comissões da Casa para prestar esclarecimentos na próxima quarta-feira, 26, sobre supostas mensagens reveladas pelo Intercept Brasil

A Bula da Semana

A Bula da Semana: Mundo mais suave, apesar da guerra

Viés dovish dos principais bancos centrais no mundo em resposta à desaceleração econômica causada pela guerra comercial alimenta o apetite por ativos de risco

Entrevista

Ex-diretor do BC diz que só o corte de juro não destrava economia do país

José Júlio Senna, economista do Ibre-FGV, diz que empresários já têm à disposição dinheiro mais barato. “E nem por essa razão há fila de empresários querendo tomar crédito.”

A Bula do Mercado

Semana promete novidades sobre guerra comercial e Previdência

Donald Trump e Xi Jinping devem se reunir durante o G20 para tratar da disputa tarifária e a comissão especial na Câmara deve votar o parecer da reforma da Previdência

Vídeo

Como investidor, eu devo me preocupar com o Brexit?

No próximo domingo (23), a escolha pelo Brexit completa três anos, mas o processo ainda se arrasta, e a saída do Reino Unido da Unidão Europeia foi adiada para outubro; mas qual o impacto que isso pode ter no seu bolso?

ENTREVISTA

“Assistimos a um parlamentarismo branco na reforma”, diz economista

O economista Fabio Giambiagi, especialista no tema, está “relativamente otimista” com a aprovação da mudança constitucional

Bancos públicos

CPI vê falhas no BNDES em operações no exterior

Entre os principais pontos levantados até agora estão ausência de critérios para rebaixamento de risco antes de conceder o crédito e a falta de auditoria para fiscalizar a aplicação do dinheiro

Agricultura

Chinês Qu Dongyu é eleito diretor-geral da FAO; Tereza Cristina comemora

O vice-ministro chinês assume o mandato a partir de 1º de agosto, no lugar do brasileiro José Graziano da Silva, que ocupa o cargo desde 2012

Pedido negado

Fachin nega habeas a ex-dirigente da Petrobras condenado a 10 anos na Lava Jato

Em fevereiro de 2018, o ex-gerente da estatal petrolífera foi condenado pelo então juiz federal Sérgio Moro

PRAGMATISMO

O ex-comunista que tem fé na reforma da Previdência

O deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência, diz agradar ao mesmo tempo o governo e a oposição

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements