Menu
2018-10-04T12:26:14+00:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Esquenta dos mercados

Depois do Ibope de ontem teremos ressaca na bolsa?

Pesquisa mostrou avanço marginal de Bolsonaro e Haddad, com empate técnico no segundo turno, porém com vantagem para petista; mercados podem não reagir bem nesta quinta

4 de outubro de 2018
7:34 - atualizado às 12:26

Bom dia, investidor! Os resultados da pesquisa Ibope divulgados ontem à noite podem ter deixado os brasileiros confusos. A coisa está polarizada pra caramba, e justo com os candidatos de maior rejeição. A festa vista nos mercados locais nos últimos dias, com alta da bolsa, disparada das estatais e dos bancos e queda forte do dólar, pode não se repetir nesta quinta (04). Em compasso de espera, o investidor estará só pelo Datafolha hoje à noite. Ah, e também tem debate na "Globo", às 22h05.

Nos últimos dois dias, o avanço de Bolsonaro e o recuo de Haddad nas pesquisas animaram os mercados, que apostam na agenda pretensamente liberal do capitão reformado do Exército, ou simplesmente ecoam um sentimento antipetista.

Só que o Ibope de ontem voltou a mostrar um cenário embolado. Os dois líderes nas pesquisas cresceram apenas na margem de erro: Bolsonaro subiu de 31% para 32% das intenções de voto, enquanto Haddad passou de 21% para 23%. Ambos estão isolados na liderança e todos os outros candidatos permaneceram estagnados, algo como terceiras vias inviáveis.

Com apenas 38% dos votos válidos, a chance de vitória de Bolsonaro em primeiro turno parece baixa. Favorece a sua candidatura o fato de que candidatos a governador mais à direita e líderes da bancada evangélica e da "bancada da bala", no Congresso, tenham declarado seu apoio a ele, o que melhora suas chances de governabilidade.

Pesa contra o candidato do PSL o fato de que Haddad cresceu de 13% para 18% no Sudeste e o empate técnico entre os dois no segundo turno, porém com vantagem para Haddad (43% a 41%). A rejeição aos dois também caiu dentro da margem de erro. Tudo isso segundo o Ibope.

Dois dias de euforia

Os mercados locais viveram dois dias de festa na terça e na quarta devido aos resultados das pesquisas. Ontem, os investidores chegaram a apostar numa vitória de Bolsonaro ainda no primeiro turno, o que levou o Ibovespa a ultrapassar os 85 mil pontos e derrubou o dólar para R$ 3,82 logo no início do pregão.

Mas ao longo do dia, dados fortes de criação de empregos e do setor de serviços nos Estados Unidos levaram os juros dos títulos americanos lá para cima, numa expectativa de que o Fed precise realizar um aperto monetário ainda maior para conter uma inflação potencialmente mais elevada com uma economia tão aquecida. No fim da tarde, Jerome Powell, o presidente do Fed, minimizou a possibilidade disso ocorrer.

Resultado: com a maior atratividade dos títulos do governo dos EUA, o dólar subiu frente a boa parte das moedas internacionais, limitando as perdas da moeda americana por aqui. O dólar fechou a R$ 3,88, queda de 1,28%, e o Ibovespa com recuo de 2,04%, aos 83.273 pontos.

Estatais mais uma vez se destacaram nas altas, notadamente Eletrobrás e BB, com a redução do medo de ingerência de um novo governo do PT. Petrobras também subiu, ajudada pelos preços do petróleo. Na outra ponta, exportadoras caíram pelo enfraquecimento do dólar, o que incluiu a Vale.

Hoje, a euforia pode não se repetir, e lá fora os mercados já parecem pessimistas em relação ao Brasil. Logo após a divulgação da pesquisa Ibope, os recibos de ações brasileiras negociadas em Nova York operavam em baixa no "after hours". O iShare MCSI Capped ETF (EWZ) caia cerca de 2%, depois de fechar o pregão regular com alta de 3,2%.

Dia fraco

Por aqui, teremos apenas os dados de setembro da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), às 11 horas. Nos Estados Unidos, os investidores estarão atentos à possibilidade de o Fed ter que subir os juros mais rapidamente, monitorando a fala do dirigente do Fed Randal Quarles, às 10h15.

Ainda nos EUA, saem os indicadores de auxílio-desemprego às 9h30 e os dados de encomendas à indústria às 11 horas.

*Com informações do Bom Dia Mercado, de Rosa Riscala. Para ler o Bom Dia Mercado na íntegra, acesse www.bomdiamercado.com.br

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

A Bula do Mercado

Mais um feriado testa mercado

Pausa na cidade de São Paulo amanhã deve enxugar a liquidez dos mercados domésticos, provocando distorções nos preços dos ativos

Não vai ter Disney

Dólar a R$ 4,20 surpreende, mas nem tanto. Olho no BC

Mercado aguarda algum aceno do Banco Central (BC), que pode vir pela mesa de operações ou na fala de Roberto Campos Neto, que participa de audiência no Senado

Nada de aumento

“Há zero possibilidade de aumentar a carga de impostos”, diz Waldery

Waldery explicou que a meta de déficit primário de 2019 está mantida em R$ 139 bilhões, mas lembrou que o saldo negativo deve ficar abaixo dos R$ 80 bilhões

Contas públicas

Governo central deve fechar 2019 com déficit abaixo de R$ 80 bi, diz Guedes

Guedes voltou a dizer que o sucesso do leilão da cessão onerosa também ajudou a fazer um resultado fiscal melhor, além de permitir um maior repasse de recursos para Estados e municípios. “O ano de 2019 foi interessante, porque conseguimos muita colaboração com Congresso nas reformas econômicas. Também houve muita colaboração do Judiciário”, completou

Novidades na cervejaria

Ambev anuncia Jean Jereissati como presidente da companhia em 2020

A partir de 1º janeiro de 2020, Jereissati Neto acumulará as funções de diretor-presidente e diretor de vendas e de marketing

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Game over? A vida com o dólar acima de R$ 4,20

A primeira vez que o dólar atingiu o patamar de R$ 4,20 foi em setembro de 2015. Eu me lembro de receber a notícia de uma forma bem inusitada, no meio da plateia de um evento voltado a grandes investidores. Enquanto o palestrante da vez tentava injetar alguma esperança sobre as perspectivas da economia brasileira em […]

Olho nos números

BMG não agrada mercado em primeiro balanço após IPO e ações caem

Apesar da queda acentuada dos papéis, ao comentar o balanço do BMG, os analistas do BTG Eduardo Rosman e Thomas Peredo se mostraram mais tranquilos com o resultado e destacaram que os números vieram dentro do esperado pela maioria dos investidores com quem conversaram

Gestoras

JGP segue comprada em bolsa enquanto acompanha guerra de narrativas

Gestora discute tese de que a manufatura e o comércio global estão próximos ao fundo do poço e prestes a se recuperar

Mudança de coleção

Dona da Le Lis Blanc e Dudalina, a Restoque tenta pôr ordem na casa. O mercado está cético

Em meio a um processo de mudança de estratégia, a Restoque reportou mais um conjunto de resultados trimestrais desanimadores, o que fez suas ações chegarem às mínimas em mais de três anos

Mudanças à vista

Desoneração da cesta básica vai acabar, diz Tostes Neto

Para compensar o gasto com tributo, o governo deve devolver dinheiro aos mais pobres como adicional aos programas sociais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements