Menu
2019-10-15T10:49:02+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
será que vai se manter?

De volta ao topo: Apple supera Microsoft e volta a ser a empresa mais valiosa do mundo

Neste ano, as ações da companhia fundada por Steve Jobs já subiram 50%, graças a grandes ganhos no primeiro semestre

15 de outubro de 2019
8:10 - atualizado às 10:49
Apple
Apple - Imagem: Shutterstock

A Apple voltou a ser a empresa mais valiosa do mundo, ultrapassando a Microsoft, mesmo com suas ações tendo terminado o dia em queda nesta segunda-feira (14).

Os papeis da gigante de tecnologia fundada por Steve Jobs registraram queda de 0,14%, fazendo com que seu valor de mercado chegasse a US$ 1,0659 trilhão, segundo informações disponíveis no site da Nasdaq.

Já os ativos da Microsoft encerraram o dia em queda de 0,09% - e o valor de mercado da companhia ficou em US$ 1,0655 trilhão.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A diferença, apesar de pequena, representa uma volta da companhia ao topo. No quarto trimestre de 2018, o preço das ações caiu cerca de 30% em meio a preocupações com a queda nas vendas do iPhone.

Mas, neste ano, as ações da companhia já subiram mais de 50%. No último dia do ano passado, os papeis valiam US$ 148,26. Ontem as ações da Apple fecharam o dia a US$ 235,87.

A subida é atribuída principalmente a grandes ganhos no primeiro semestre. No segundo trimestre, a queda nas vendas de iPhones foi compensada por um aumento nas receitas geradas com iPads, iMacs e serviços, e as perdas na China não foram tão grandes quanto o imaginado.

A receita líquida da Apple chegou a US$ 53,8 bilhões no trimestre encerrado em junho, cifra 1% maior que a contabilizada no mesmo período de 2018, de US$ 53,3 bilhões. O resultado ficou ligeiramente acima da média das estimativas de analistas consultados pela Bloomberg, que apontava para receita de US$ 53,35 bilhões.

Por outro lado, o lucro líquido da empresa da maçã caiu 12,8% na mesma base de comparação, para US$ 10,04 bilhões. O lucro por ação, métrica que é acompanhada mais de perto pelos analistas lá de fora, ficou em US$ 2,18 — abaixo dos US$ 2,34 vistos há um ano.

E a agora segunda...

Já a Microsoft também passa por um bom momento. As ações da companhia valorizaram quase 40% este ano. No último balanço trimestral divulgado, a companhia registrou lucro líquido de US$ 13,1 bilhões, um crescimento de 48,6% em relação ao resultado obtido no mesmo intervalo do ano anterior, de US$ 8,8 bilhões.

Na ocasião, o que chamou a atenção do mercado foi o desempenho do setor de computação em nuvem, ou seja, o gerenciamento e armazenamento remoto de dados. Dos US$ 33,7 bilhões de receita, o segmento foi responsável por gerar US$ 11,4 bilhões, um aumento de 18,6% em um ano.

A divisão de produtividade e processos corporativos respondeu por US$ 11 bilhões (+14,3%) e a área de computação pessoal obteve US$ 11,3 bilhões (+4,3%).

Com o fortalecimento da geração de receita em todas as suas divisões, em especial a de computação em nuvem, a Microsoft encerrou o trimestre com lucro operacional de US$ 12,4 bilhões, um crescimento de 19,5% na base anual.

No pré-mercado desta terça-feira, as ações de Microsoft, assim como os papeis da Apple, oscilavam pouco menos de 1%. Veja como deve ser o dia dos mercados na Bula do Mercado. 

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Prós e contras

Vale a pena optar pelo saque aniversário do FGTS?

Nova modalidade permite ao trabalhador ter acesso a uma parte dos recursos do fundo de garantia ainda que não se enquadre em outros pré-requisitos, mas é preciso abrir mão de sacar o fundo em caso de demissão sem justa causa

Nova modalidade

Você já pode optar pelo saque aniversário do FGTS; confira as regras atualizadas

Opção de saque de parte do FGTS anualmente já pode ser feita desde outubro e não é obrigatória; também não há prazo

A Bula do Mercado

Mercado tem ajuste positivo na volta do feriado

Recorde triplo em Nova York, em meio à otimismo com negociações comerciais entre EUA e China, contrata ajuste positivo no mercado doméstico

A Bula do Mercado

A Bula da Semana: Os sinais da economia

Varejo e serviços no Brasil crescem acima do esperado em setembro, sinalizando expansão mais forte do PIB no 3T19

Fusão no horizonte

O megainvestidor Carl Icahn está dando uma mãozinha para a Xerox comprar a HP

Em meio às notícias de que a Xerox estaria interessada em comprar a HP, o megainvestidor Carl Icahn resolveu entrar no jogo para viabilizar a operação

Contrato fechado

Embraer recebe seis novos pedidos por aeronaves; encomendas somam US$ 374 milhões

A companhia aérea nigeriana Air Peace e a arrendadora egípcia CIAF Leasing acertaram novos pedidos de aeronaves à Embraer

Depois da Previdência...

Reforma tributária pode sair em março, diz Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, tem planos para dar encaminhamento à reforma tributária ainda no primeiro trimestre de 2020

Seu Dinheiro no domingo

O fim do mundo como o conhecemos — ao menos, na renda fixa

Com os juros cada vez mais baixos, é hora de buscar alternativas às opções tradicionais de investimento em renda fixa: eis o tema da pensata de hoje, enviada primeiro aos assinantes da newsletter do Seu Dinheiro

Uma gigante chega ao mercado

A Saudi Aramco quer levantar até U$ 25,5 bi com seu IPO e quebrar o recorde da Alibaba

Considerada uma das empresas mais rentáveis do mundo, a petroleira Saudi Aramco divulgou a faixa de preço e a quantia de ações a serem emitidas em seu IPO

O SEGUNDO MAIS RICO DO BRASIL

Jorge Paulo Lemann: conheça a trajetória do bilionário dos resultados

Como o carioca revolucionou o capitalismo brasileiro, comprou grandes ícones americanos como Budweiser, Burger King e Kraft Heinz, e acumulou uma fortuna de US$ 22,4 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements