Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
Seu Dinheiro na sua noite

De olho no seu dividendo

Do pedágio de Doria à reforma da Previdência com militares: confira as principais notícias que mexeram com seu bolso hoje

24 de janeiro de 2019
19:53
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Pouco antes de me juntar à equipe do Seu Dinheiro, recebi uma proposta de emprego de uma empresa que buscava um jornalista para coordenar a área de conteúdo.

Quando chegou a hora de negociar o salário, a empresa propôs um acerto em que, no papel, eu ganharia menos do que onde trabalhava. Mas o dinheiro na conta seria bem maior, porque eu seria contratado como associado e seria pago na forma de dividendos, que são isentos de imposto de renda.

É importante dizer que a prática não é ilegal, mas mostra a criatividade do brasileiro quando o assunto é impostos. Criatividade essa que é derivada diretamente da complexidade do nosso sistema tributário.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já confirmou que pretende mexer nesse vespeiro com uma mudança relevante na forma como as empresas são tributadas. Em linhas gerais, a ideia é cortar pela metade a carga geral paga pelas companhias, mas compensar essa redução com a taxação da parcela dos lucros que vai para o bolso dos acionistas.

Existem hoje duas formas de as empresas distribuírem seus resultados: via dividendos ou juros sobre o capital próprio (JCP). Na segunda, o benefício fiscal é da empresa, que consegue deduzir o valor do imposto a ser a pago.

Toda essa discussão é muito importante para quem investe na bolsa. Afinal, as empresas que mais se valem do JCP podem ter os resultados afetados de forma significativa com a mudança na taxação, o que mexe no preço das ações.

O BTG Pactual divulgou um relatório hoje com o potencial impacto para algumas das principais empresas listadas na B3. Em um dos casos, a queda no lucro projetado para este ano chegaria a 63%! A Bruna Furlani preparou uma reportagem que traz quais as companhias podem ser mais afetadas, segundo o banco. Confira aqui quais são elas.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Pela luz dos olhos teus

Paulo Guedes fala, e os olhinhos dos investidores em bolsa brilham. Bastou o ministro da Economia bater o pé sobre a participação dos militares na reforma da Previdência para que a bolsa rompesse um novo patamar. Agora o Ibovespa está a apenas 2.323 pontos de alcançar os 100 mil. Você pode ler na nossa cobertura de mercados tudo o que mexeu com a bolsa e com o dólar nesta quinta-feira.

Os pedágios de Doria

Uma notícia vinda das montanhas de Davos deu gás para as concessionárias de rodovias que atuam em São Paulo. As ações de empresas como CCR e EcoRodovias subiram forte hoje depois que o governador do Estado, João Doria, anunciar que pode renovar as concessões, o que beneficia diretamente as empresas que venceram a licitação anterior. Saiba mais sobre o impacto da medida para o setor.

O caminho é longo e tortuoso

A perspectiva de aprovação da reforma da Previdência levou muita gente no mercado a sonhar com a volta da condição de grau de investimento pelo Brasil. Mas a diretora-executiva de ratings da S&P, Lisa Schineller, decidiu cortar o barato. Ela apontou que os problemas fiscais da economia brasileira vêm de longe. Mas deu algumas pistas do que o país deve fazer para melhorar a sua avaliação.

Dia do Carteiro

Durante a campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro declarou que os Correios tinham "grande chance" de entrar em um programa de privatizações. Mas hoje, dia do Carteiro, o presidente em exercício, Hamilton Mourão, disse que agora não é o momento de colocar a empresa à venda. Leia aqui o que pensam os homens do governo sobre os Correios, incluindo o ministro Paulo Guedes.

Diário dos 100 dias: dia 24 - "Os pobretões de Davos"

O presidente Jair Bolsonaro encerrou hoje sua participação no Fórum Econômico Mundial em Davos (Suíça). Difícil fazer um balanço de bate pronto, mas olhando o comportamento da bolsa e dólar... (leia mais)

Comentários
Leia também
"Acordo muito bom"

Trump sinaliza otimismo com a China ao dizer que Estados Unidos estão “muito próximos” de um acordo comercial

Em pronunciamento presidente norte-americano voltou a dizer que gosta de tarifas e que os EUA ganharam bilhões de dólares da China por causa delas

Caso Coaf

Investigação sobre Queiroz vai para grupo de combate à corrupção do Ministério Público

Na prática, a mudança na condução do processo indica um aprofundamento nas apurações

Para colocar fim à crise

Bolsonaro decide que vai manter Bebianno em seu governo

Ministro foi pivô de uma crise política depois de ter sido chamado publicamente de mentiroso pelo presidente e seu filho Carlos Bolsonaro

Mudanças no radar

Governo está revendo o Rota 2030, mas não há proposta alternativa, diz secretário

Projeto começou a ser discutido pelo governo Temer com representantes do setor automotivo em 2017 e foi aprovado no fim do ano passado

Bilhões e mais bilhões

Lucro dos grandes bancos passa dos R$ 73 bilhões em 2018 e supera gasto com calotes

No ano passado, o lucro líquido consolidado de Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil subiu 12,77% em relação a 2017

Caso Bebianno volta a assombrar

Para Alcolumbre, tensão política no governo não deve atrapalhar o andamento da reforma da Previdência

Crise entre Bolsonaro e Gustavo Bebianno ocorre no momento em que o Planalto tenta manter coesão para as negociações da reforma no Congresso

Depois do pente fino

Impacto fiscal da reforma da Previdência deve recuar em até R$ 600 bilhões no Congresso

Previsão é de Christopher Garman, diretor da consultoria de risco político Eurasia. Para ele, negociações devem limitar o projeto

Nova gestão

Grupo Heineken no Brasil terá, pela primeira vez, um brasileiro no comando

Mauricio Giamellaro começou na empresa há cerca de sete anos, e desde então havia atuado como vice-presidente de vendas e distribuição.

medidas antidumping

China confirma tarifas de até 32,4% ao frango brasileiro, mas isenta 14 empresas

De acordo com anúncio do Ministério do Comércio local, os importadores do frango brasileiro deverão pagar tarifas de 17,8% a 32,4% a partir do próximo domingo, 17

Por valor não reconhecido

Usiminas diz que continuará com trâmites judiciais sobre dívida da Eletrobras

Empresa conseguiu reverter a inclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e da Cofins, cobranças que foram questionadas pela empresa na Justiça

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu