Menu
Novos rumos

Davos testa antiglobalismo de Bolsonaro

Desde que assumiu o governo, Bolsonaro adotou medidas que destoam da tradição diplomática do país, como sair do acordo de migração da ONU

16 de janeiro de 2019
9:03 - atualizado às 12:35
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro - Imagem: Shutterstock

Meca da globalização, Davos vai testar o tom antiglobalista atribuído ao governo de Jair Bolsonaro. A partir da semana que vem, o Fórum Econômico Mundial recebe a elite das finanças de 70 países, além de ser palco da estreia internacional do novo presidente brasileiro.

Bolsonaro viaja no próximo dia 21, acompanhado do filho, Eduardo Bolsonaro, do chanceler Ernesto Araújo, do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do ministro da Justiça, Sergio Moro.

"Ele (Bolsonaro) será muito bem-vindo e a comunidade global está muito curiosa para ouvi-lo", disse Klaus Schwab, fundador do fórum. Questionado se o presidente brasileiro não teria valores contrários ao de Davos, o executivo minimizou. "Veremos. O que significa ser antiglobal? Ele também tem de trabalhar num cenário global. Caso contrário, não viria para Davos", apontou.

Desde que assumiu o governo, Bolsonaro adotou medidas que destoam da tradição diplomática do País. O Brasil deixou o acordo de migração da ONU, questiona a existência de mudanças climáticas e passou a criar uma secretaria de Soberania no Itamaraty, enquanto o chanceler Ernesto Araújo prolifera textos apontando para um alinhamento com os EUA e tecendo críticas ao globalismo.

Schwab, em seu discurso na terça, 15, para apresentar a edição de 2019 de Davos, também criticou o globalismo. Mas o definiu de uma forma diferente daquela feita pelo governo Bolsonaro. "Temos de diferenciar globalização e globalismo", disse. "A globalização vai continuar, já o globalismo é apenas uma ideologia, em que tudo o que fazemos deve se submeter às leis do mercado. Nunca acreditamos nisso e eu, no passado, já alertei que isso não era sustentável."

Multilateralismo

No fundo, Schwab deseja que Davos se transforme na antítese defendida por alguns setores do governo brasileiro: cooperativo, multilateral, com atores privados e sociedade civil e plural.

O fórum, porém, sabe que esse modelo está sob ataque e que eleições recentes têm colocado no poder líderes que questionam essa onda. "Temos de definir uma nova globalização, mais inclusiva", defendeu Schwab. "Ela gera perdedores e ganhadores. Tivemos, de forma geral, mais ganhadores que perdedores. Mas agora temos de ir atrás daqueles que perderam. Ela precisa ser mais sustentável, num mundo de maior colaboração e mais inclusivo."

Schwab também apontou para uma direção diferente da que vem sendo desenhada pela nova diplomacia brasileira. "Estamos indo de um mundo unipolar para multipolar", insistiu. "Precisamos entender o outro mundo onde não compartilhamos valores, mas compartilhamos interesses", disse.

Com 3,2 mil participantes e 70 chefes de Estado, Davos tem objetivo ambicioso: moldar a agenda futura da globalização. "Esse é o evento mais completo do mundo", defendeu o executivo.

Entre os temas do ano em Davos estará o combate às mudanças climáticas, a busca de soluções comuns, imigração e até mesmo a criação de uma solução para o "déficit de líderes" no mundo.

Desafio

Bolsonaro, segundo Davos, tem um desafio imediato: unificar o Brasil, depois de um processo eleitoral tenso. Respondendo a uma pergunta do Estado, o presidente do evento, Borge Brende, deixou claro que o desafio maior do novo governo é, acima de tudo, político. Davos, portanto, vai querer saber como Bolsonaro fará para superar as divisões no País.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Seu Dinheiro na sua noite

O tenista quer voltar ao topo

Antes de conquistar o mundo das cervejas e dos hambúrgueres, o bilionário brasileiro Jorge Paulo Lemann foi jogador profissional de tênis. Ele revelou recentemente que ainda dá suas raquetadas, e com ninguém menos que o suíço Roger Federer do outro lado da quadra. Aos 79 anos, Lemann é um veterano no mundo dos negócios e […]

Transparência na reforma?

Secretário da Previdência diz a Radio que “não há decretação de sigilo, dados são públicos”

Rogério Marinho também afirmou que a equipe econômica está refinando os números para levá-los à comissão especial de mérito

Nós pagamos

Gasto com subsídios somou R$ 314 bilhões em 2018, ou 4,6% do PIB

Número é elevado, mas marca terceiro ano de queda, depois de somar 6,7% do PIB em 2015. Essa é uma boa ilustração da política de custos difusos e benefícios concentrados

Sem informação, sem acordo

Oposição quer barrar votação da reforma da Previdência na CCJ exigindo divulgação de dados

Parlamentares também avaliam pedir uma nova fase de discussões se o parecer do relator Marcelo Freitas (PSL-MG) for alterado

Com o balanço no forno

A campeã voltou? Calor e Carnaval devem impulsionar resultado da Ambev, diz Goldman Sachs

Analistas do banco americano reiteraram a compra das ações depois de participarem de uma reunião com diretores da cervejaria, que apontaram o crescimento no segmento “premium”

Tensões e farpas no governo

Mourão alfineta Olavo de Carvalho e diz que ele deve voltar para a função de astrólogo

Vice-presidente rebateu o guru do bolsonarismo após um vídeo em que Olavo aparece fazendo duras críticas aos militares

IR 2019

Plantão do IR: como retificar a declaração para incluir um bem que vinha sendo omitido?

A repórter Julia Wiltgen conversou com o advogado tributarista Samir Choaib, da Choaib, Paiva e Justo Advogados, e respondeu às principais dúvidas dos leitores do Seu Dinheiro

lenda viva

As previsões do bilionário Warren Buffett: criptomoedas, ‘terra-planistas’ e a própria morte

Site reúne uma série de “previsões” que o investidor americano fez nas últimas décadas; ele acertou a maior parte

IR 2019

Plantão do IR: como calcular o valor do meu patrimônio se tenho bens junto com meu cônjuge?

A repórter Julia Wiltgen conversou com o advogado tributarista Samir Choaib, da Choaib, Paiva e Justo Advogados, e respondeu às principais dúvidas dos leitores do Seu Dinheiro

"Vai passar bem"

Mesmo com dificuldades na articulação do governo, Maia mantém otimismo sobre reforma ser aprovada na CCJ

Sobre sigilo dos cálculos para a reforma, o presidente da Câmara afirmou que os dados estarão abertos quando o tema for debatido na Comissão Especial

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu