Menu
2019-02-13T15:12:07+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Internacional

Crise da Venezuela se compara ao colapso da União Soviética

Contração do PIB nos últimos anos figura entre os maiores da história. Desafio de retomar o crescimento pode ser maior que debelar inflação de 200% ao mês

12 de fevereiro de 2019
15:52 - atualizado às 15:12
União soviética URSS
Imagem: Shutterstock

Desde 23 de janeiro a Venezuela está no foco na comunidade internacional com “dois governos”. O reempossado Nicolás Maduro e o presidente interino Juan Guaidó. Enquanto o impasse político persiste, os especialistas do Instituto Internacional de Finanças (IIF), resolveram juntar alguns dados para ver o que restou da economia do país. Tarefa um pouco ingrata já que não existem dados oficiais.

A retração econômica é quase sem precedentes na história mundial, comparável, apenas, à crise no Zimbábue (1998) e ao colapso da União Soviética no início dos anos 1990. Para os especialistas do IFF, a profundidade da recessão aumenta o risco de uma incompleta recuperação da economia se e quando ocorrer uma reorientação de regime político. No curto prazo, as sanções dos EUA ao petróleo do país devem acentuara ainda mais a depressão econômica.

As estimativas de inflação seguem elevadas mesmo para padrões tipificados como episódios hiperinflacionários, mas o IIF pondera que o controle de preços pode ser feito de forma relativamente rápida. O desafio mesmo será promover uma retomada da atividade.

O país não publica dados oficiais desde 2016 sobre crescimento, mas uma retração de 37% na produção de petróleo sugere o tamanho da contração. O IIF lembra que os Estados membros da União Soviética levaram, em média, 12 anos para voltar ao patamar de PIB pré-crise, e essa experiência sugere que o cenário de recuperação na Venezuela certamente não será rápido.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Petróleo

O potencial de alavancagem dos Venezuelanos vem das maiores reservas provadas de petróleo do mundo, mas tirar proveito disso vai exigir uma profunda reforma do setor e atração de investimentos externos.

Ainda no segmento, o estudo lembra que os embargos atingem o país de duas formas. Primeiro, pela queda das exportações aos EUA, um dos principais parceiros comerciais. Segundo, o país é dependente da importações de óleo refinado dos EUA, já que produz petróleo “pesado” e sua capacidade de refino está sucateada. Assim, a previsão é uma queda superior a 10% na produção em 2019.

Inflação

No front inflacionário a situação também é crítica com a monetização do elevado déficit fiscal. As estimativas não oficiais de inflação estão elevadas mesmo tendo em conta os episódios de hiperinflação vistos na então União Soviética e Brasil dos anos 1980. Ao contrário do tempo de recuperação do PIB, os dados mostram que os processos desinflacionários foram mais rápidos, levando cerca de 12 meses para uma inflação mensal de 75% recuar para 4,5%.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Cálculos da Firjan

Reforma tributária pode gerar 300 mil vagas por ano

Cálculos efetuados pela Firjan também mostram que a reforma nos impostos do país pode incrementar o consumo em até R$ 122,7 bilhões

De volta à velha política

Governo se rende às indicações políticas para aumentar base

Presidente foi convencido por ministros da área política de que premiar partidos leais a suas propostas seria a única forma de aprovar reformas

Grandes planos

“Vamos lançar nosso banco digital em mil lojas antes da Black Friday”, diz CEO da Via Varejo

Roberto Fulcherberguer tem trabalhado para que o sistema de vendas pela web esteja tinindo para a próxima Black Friday

Passou!

Centauro aprova plano de outorga para opção de compra de ações neste ano

Plano prevê que a quantidade máxima de ações vinculadas será de 7.943.848

Seu Dinheiro no domingo

Quanto rendeu o Seu Dinheiro em um ano?

Você sabe quanto o Seu Dinheiro rendeu em um ano? Não estou falando aqui do montante que você tem aplicado no banco. Mas do Seu Dinheiro mesmo, esse projeto independente de jornalismo e educação financeira que eu coordeno junto com a Olivia Alonso e que tem um time de feras como o Vinícius Pinheiro, o […]

Olhe e copie

5 coisas inteligentes que pessoas com consultores financeiros fazem com o próprio dinheiro que lhes dão uma vantagem

Nem todos querem ou podem pagar um planejador financeiro próprio. Mas que tal dar uma espiada no que eles andam aconselhando?

Enquanto isso, na Assembleia da ONU...

Promessa de ‘afagos’ teria convencido Bolsonaro a aceitar jantar com Trump

No pacote de gestos, a expectativa de auxiliares do Planalto é que Bolsonaro sente-se próximo de Trump

Poucos amigos

Major Olímpio diz que há estratégia no Congresso para desgastar Bolsonaro

Senador afirmou que parlamentares “votam projetos absurdos e depois jogam no colo do presidente a questão de vetar ou não esses dispositivos”

Série: os mais ricos do Brasil

Abilio Diniz: um bilionário bom de briga

Ele transformou a pequena doceria do pai na maior rede varejista do país e aos 82 anos continua na ativa

Papo de poder

Maia conversa com Bolsonaro sobre pauta de votações da Câmara para próxima semana

Entre os itens da pauta está o projeto de lei que trata do registro, posse e comercialização de armas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements