Menu
André Franco
Crypto News
André Franco
É engenheiro e especialista em criptomoedas da Empiricus
2019-08-01T08:29:37+00:00
Crypto News

No universo das criptomoedas, você deve conter a ansiedade e se acostumar com a volatilidade

Na volatilidade normal das moedas virtuais, uma oscilação de 25 por cento não deveria assustar, mas assusta

1 de agosto de 2019
5:59 - atualizado às 8:29
Criptomoedas bitcoin
Imagem: Shutterstock

A ansiedade é um sentimento que tem me acompanhado a vida inteira. Não me lembro de sequer uma fase da minha vida em que não tenha sentido ela bem viva no meu cotidiano.

Na adolescência, os gatilhos eram as provas, os jogos interclasses e o vestibular. Eu sempre acreditava que estava ansioso exclusivamente pelo evento que se aproximava. Ledo engano.

Mais tarde, os gatilhos mudaram para entrevistas de emprego, performance no trabalho e nos investimentos. Hoje vejo que ela vai me acompanhar sempre e é uma característica, e não um bug.

Ao entender isso, ficou mais fácil de conviver com esse sentimento e entender onde ele vai jogar contra e onde vai jogar a favor.

No trabalho de análise, a ansiedade vai jogar a favor se for para entender o ativo em si, mas vai jogar contra se o objetivo for dar o call.

No trading, ela só vai jogar contra. Vai fazer com que eu abra a plataforma da exchange a cada cinco minutos para ver minha posição e, possivelmente, vai causar uma tomada de decisão ruim. Por isso, nem me arrisco.

Da mesma forma que entendo a ansiedade em mim, vejo a volatilidade em cripto, que não pode ser vista como um bug, mas apenas como uma característica intrínseca.

Essas quedas de 30 por cento devem ser consideradas do ativo em si e não podem ser comparadas ao que acontece no mercado de Bolsa tradicional.

Confesso que essa visão sobre volatilidade também faz qualquer um perder a noção do que é uma queda grande ou pequena.

“A Bolsa derreteu hoje...”

“Quanto caiu?”

“Caiu quase 4%! Um desastre”

Não entendo realmente como 4% é um desastre. Não me gera um único nó na garganta essa suposta queda.

Mas, voltando à questão da volatilidade em cripto, os preços não podem ser observados da forma tradicional.

Um exemplo que estamos vivendo agora, neste momento de consolidação do bitcoin, é que, entre 10 mil e 8.800 dólares, estamos falando do mesmo preço na real.

Dada a volatilidade normal do ativo, uma oscilação de 25 por cento não deveria assustar — mas sei que assusta.

Para aprender isso de forma consistente — e ter um comportamento estoico nesse ambiente — é preciso levar muita porrada.

O ano de 2018 foi pra isso.

Se você sobreviveu no ano passado com bitcoin na carteira, e sem largá-lo, merece uma estrelinha. Já se foi louco o suficiente para comprar mais, merece duas.

Em ambas as situações, uma casca grossa foi moldada ao redor da sua pele, depois de levar muitos socos e pontapés, e agora você já consegue passar por quedas de dois dígitos sem se sentir idiota por não ter vendido o ativo antes.

E, se você entende que 250 bilhões de dólares (atual tamanho do mercado cripto) não é o tamanho de algo que pode ser chamado de classe ativos, sabe que ainda há potencial a ser destravado nesse ecossistema.

No mínimo, esse mercado tem um upside de 300 por cento até se dizer que possui, de fato, o tamanho de uma classe de ativos, algo em torno de 1 trilhão de dólares.

Ainda é só o começo. Estamos no mercado certo, chegamos cedo e vamos ser recompensados por isso.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Luz no fim do túnel?

Trump: ‘estamos indo muito bem com a China, e conversando’

Membros da equipe econômica norte-americana afirmam que negociadores das duas maiores economias do mundo irão conversar na próxima semana

Tem que adiar isso daí

Vitorioso nas prévias eleitorais argentinas, Fernández defende renegociação de acordo com o FMI

Alberto Fernández afirmou que o acordo para o pagamento de dívidas junto ao Fundo Monetário Internacional é “impossível de cumprir”

Opinião polêmica

Senadora Simone Tebet: ‘Bolsonaro ainda não vestiu o terno de presidente’

Referindo-se ao presidente, senadora do MDB afirmou “jamais imaginei que pudéssemos chegar onde chegamos”

Na hora de prestar contas

Presidente do Senado briga na Justiça para manter sigilo de gastos parlamentares

Destinadas a cobrir despesas relativas ao exercício do mandato, as cotas variam entre R$ 30 mil e R$ 45 mil, a depender do Estado do congressista

Nem tão hermanos assim

Bolsonaro volta a falar sobre Argentina e diz que país está cada vez mais próximo da Venezuela

Presidente usou sua conta no Twitter para fazer novos comentários sobre o processo sucessório na Argentina

Seu Dinheiro no domingo

Liberais não fazem pacotes

Dentro de mais alguns dias conheceremos o Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre. O resultado será magro e há quem fale em recessão técnica. Na sequência veremos uma nova onda de críticas e demandas na linha: “o governo tem quem fazer alguma coisa! Tem que impulsionar a demanda! Esse BC está errado!”. Sinto desapontar […]

Trilhando caminhos

Jovens precisam ter resiliência e iniciativa, dizem executivos sobre ser um novo empresário

Executivos falam sobre os comportamentos que um jovem ingressante numa grande empresa deve ter para trilhar um caminho profissional de sucesso

Crise partidária

Pedro Simon, ex-governador do RS: ‘existe o risco de o MDB desaparecer’

Em entrevista ao Estadão, o filiado ao MDB desde 1965 diz que seu partido precisa fazer uma “profunda reflexão”

Barrado na embaixada?

Consultoria do Senado diz que indicação de Eduardo Bolsonaro configura nepotismo e senadores se articulam para rejeitar seu nome

Parecer foi embasado no entendimento da Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal, que trata sobre nepotismo

Analisando a situação dos hermanos

Crise Argentina, feitiço do tempo

Os grandes desafios econômicos de Maurício Macri também parecem reimpressões de velhos e bem conhecidos problemas argentinos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements