Menu
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Esquenta dos mercados

Resultado do Ibope deve deixar mercados mais felizinhos nesta terça

Avanço de Jair Bolsonaro e mau desempenho de Haddad na pesquisa divulgada nesta segunda devem se refletir num otimismo maior, sobretudo nas ações de estatais

2 de outubro de 2018
7:30 - atualizado às 10:51
Bolsa caiu na segunda devido à ansiedade eleitoral, mas pode ver retomada nesta terça - Imagem: shutterstock

Depois de fechar ontem em queda, na contramão das bolsas no exterior, a bolsa brasileira deve ver bom desempenho nesta terça (02). O motivo: o avanço do candidato preferido do mercado, Jair Bolsonaro, na pesquisa Ibope divulgada ontem à noite, no "Jornal Nacional".

O Ibovespa abriu a semana em queda de 0,91%, aos 78.623 pontos, enquanto as bolsas americanas subiam em razão do acordo comercial selado por EUA, México e Canadá, mantendo este último no Nafta.

Com o alívio provocado pelo tratado, o dólar perdeu valor frente a diversas moedas, incluindo emergentes, mas no Brasil caiu apenas 0,52%, a R$ 4,0299. Por aqui, os mercados ainda seguiam cautelosos em razão das expectativas em torno da eleição e, sobretudo, da pesquisa Ibope a ser divulgada à noite.

Mercados devem se animar com Ibope

A última pesquisa Ibope mostrou um avanço de Jair Bolsonaro e uma piora de Haddad. Os protestos do fim de semana contra o capitão reformado do Exército parecem não ter tido o efeito desejado.

Enquanto isso, a campanha do petista sofre com a proibição da Justiça à entrevista de Lula pela "Folha" e com a delação premiada de Palocci, que afirmou que Lula sabia do "petrolão" desde 2007 e que esteve envolvido diretamente no esquema de loteamento de cargos entre 2003 e 2004.

Segundo o Ibope, Bolsonaro saltou de 27% para 31% nas intenções de voto e empatou com Haddad no segundo turno, aos 42%. Na pesquisa anterior, perdia por 42% a 38%.

Bolsonaro cresceu mais entre as mulheres do que entre os homens, sobretudo as de maior escolaridade, mas 51% delas ainda não votaria nele de jeito nenhum. Sua rejeição se manteve em 44%, enquanto a de Haddad cresceu para 38%. No primeiro turno, o ex-prefeito de São Paulo não esboçou crescimento, mantendo-se com 21% das intenções de voto.

O avanço do candidato do PSL deve animar os mercados nesta terça (02), já que suas promessas liberais agradam investidores. O impacto maior deve ser sentido nas ações de estatais, que sofreram na segunda-feira diante do temor de ingerência de um eventual governo petista.

E o que mais?

Hoje à noite será divulgado o resultado da pesquisa da Datafolha. No último levantamento, em 28 de setembro, Bolsonaro tinha 28% das intenções de voto contra 22% de Haddad, seguidos de Ciro (11%), Alckmin (10%) e Marina (5%). No segundo turno, Bolsonaro perdia de Haddad por 45%a 39%.

Às 9h, temos a divulgação da produção industrial de agosto, para a qual é esperada ligeira melhora de 0,3%, segundo a mediana das projeções do Broadcast, serviço de notícias do Estadão.

Às 11h serão divulgados os dados de setembro da Anfavea, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, que também pode ser encarado como um indicador de atividade.

Às 17h, ocorre a divulgação do IPC-Fipe, índice de inflação de que deve vir em 0,40%, segundo as projeções do Broadcast, próximo ao índice de agosto, que foi de 0,41%.

Lá fora, poucos eventos, com destaque para os dados de vendas de veículos nos EUA e o índice ISM de condições empresariais em Nova York (com previsão de forte piora para 56,8 em setembro, frente a 76,5 em agosto), e os dados de inflação de agosto na zona do euro pelo Producer Price Index (PPI).

*Com informações do Bom Dia Mercado, de Rosa Riscala. Para ler o Bom Dia Mercado na íntegra, acesse www.bomdiamercado.com.br

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Conteúdo patrocinado por Startse

Milionária sem sair da cama

O caso da inglesa que ficou milionária trabalhando de pijama no quarto – e o número de brasileiros que querem enriquecer da mesma forma.

Tretas à vista?

Maia diz que Guedes tenta intervir na escolha do relator da Previdência

O ataque a Guedes tinha outro alvo, o presidente da República, Jair Bolsonaro

Em viagem a São Paulo

Maia se encontra com Doria e diz que nova Previdência permitirá melhor ambiente fiscal nos Estados

Segundo Maia, seu diálogo com os governadores acontece desde que foi reeleito, mas no caso específico de São Paulo, “Doria se mostra preocupado com a reforma da Previdência”, reforçou.

Hora de receber o dinheiro de volta

Em rede social, Bolsonaro diz que quer endurecer cobrança de dívidas e recuperar R$ 4 bilhões ao ano

Ontem, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) detalhou as medidas previstas no referido projeto de Lei 1.646/2019

Clima está tenso

“O governo é um deserto de ideias”, afirma Maia

Na avaliação do presidente da Câmara, o ministro da Economia, Paulo Guedes, é “uma ilha” dentro do Executivo

Um toma lá da cá

Em discurso, Bolsonaro diz que responsabilidade sobre a previdência está com o Parlamento

“Não é uma questão de governo, e sim de estado, para que nós do Brasil não experimentemos situações que outros países enfrentaram, como na Europa”, disse o presidente

Aliados

Partidos saem em defesa de Maia após crise com governo

Em um gesto de apoio a Maia, o PPS recebeu o presidente da Câmara em sua convenção nacional realizada hoje em Brasília

Águas passadas?

Maia diz que atrito com governo em relação à Previdência é “página virada”

Ele falou com jornalistas antes de uma breve participação em congresso do PPS, em Brasília

Bon Vivant

Saiba quais são as maratonas preferidas de quem trabalha no mercado financeiro

Boston, Chicago, Nova York e Berlim estão entre as competições preferidas, mas a lista inclui também provas exóticas

Tempos ruins para a empresa

Dívida da Avianca dá “salto” e agora é de R$ 2,7 bilhões

A alteração no valor da dívida ocorreu em dois momentos. Em janeiro, a companhia atualizou a primeira lista para R$ 1,3 bilhão por conta própria. Protocolada ontem na Justiça, a segunda modificação, para R$ 2,7 bilhões, veio depois de pedido dos credores

Será que vem chumbo quente por aí?

Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação

Os monitoramentos são feitos pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que tem por missão se antecipar aos fatos para evitar problemas para o governo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu