Menu
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Mercados

Mesmo com Ibope preocupando, dólar fecha em baixa puxado pelo mercado exterior

Câmbio foi impactado positivamente pela melhora nas perspectivas dos mercados emergentes

19 de setembro de 2018
9:39 - atualizado às 22:52
Donald Trump e Xi Jinping - Imagem: Shutterstock

O dólar terminou a quarta-feira (19) em baixa com a melhora no ambiente de negócios para as economias emergentes diante da perspectiva de que as taxas impostas por EUA e China foram mais brandas do que o inicialmente esperado. A moeda norte-americana caiu 0,43%, a R$ 4,124.

Na segunda-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou tarifas de 10% sobre o valor de US$ 200 bilhões em importações chinesas com a previsão de aumentar-las para 25% no início de 2019.

Em menos de 24h, a China anunciou sua retaliação a Washington com tarifas US$ 60 bilhões sobre importações norte-americanas.

Atento e esperando

A influência lá de fora conseguiu conter a volatilidade que o câmbio apresentou nas últimas semanas por conta das eleições de outubro. O resultado do Ibope divulgado ontem, que indica fortalecimento do PT na corrida ao Planalto  apesar de Jair Bolsonaro (PSL) continuar à frente na disputa, assustou alguns e foi visto com cautela por outros. Os investidores devem ficar atentos aos próximos números das pesquisas. Aliás, amanhã é dia de Datafolha.

 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Sem segredos

Para “abrir caixa-preta”, BNDES inaugura nova ferramenta de transparência

Projeto consolidará no site do banco os dados sobre os cinquenta maiores clientes dos últimos quinze anos

Dia 16

Argentina e Suíça

Presidente recebeu Macri e terá palco principal em Davos

Moção de desconfiança vencida

Theresa May livra sua cabeça da degola e convoca nova negociação para um acordo do Brexit

Parlamento britânico salva novamente a cabeça da premiê um dia após uma derrota histórica do governo sobre o acordo do Brexit

Estrela do encontro

Bolsonaro terá espaço privilegiado em Davos e deve abrir sessão inaugural do Fórum Econômico Mundial

Lugar de fala do presidente estava sendo cuidadosamente negociado entre o Itamaraty e os organizadores do evento

Mercados

SPX muda visão sobre juro nos EUA e espera algo concreto do governo Bolsonaro

Gestora diz que errou avaliação sobre aperto monetário americano. No Brasil, postura é de otimismo cauteloso, mas com posição comprada em bolsa

Cannabusiness

Já pensou em ganhar dinheiro com maconha?

Quem decidiu investir em ações relacionadas à cannabis vem recebendo resultados bastante positivos. Veja o que você pode comprar na bolsa para embarcar nessa onda lucrativa.

Redução de burocracias

Em encontro com Macri, Bolsonaro diz que propósito é construir Mercosul “enxuto”, mas que continue a ter relevância

Bolsonaro também disse que, na frente externa, é preciso concluir negociações mais promissoras e iniciar novas negociações

câmbio

Sobrou dólar no país pela primeira vez desde o começo de novembro

Fluxo cambial foi positivo em US$ 1,448 bilhão na segunda semana de janeiro, com ingressos concentrados na conta financeira

Exile on Wall Street

Reminiscências de um operador de risco

É com tristeza que leio textos em jornais ou relatórios distribuídos a clientes falando em alocação de recursos. Uns pagam de pseudointeligentes, enquanto apenas repetem clichês. Outros querem estimular a migração para portfólios arrojados, incentivando o investidor a correr atrás de migalhas

Em preparação final

Países europeus aprovam barreiras contra aço brasileiro

Pela proposta da Comissão Europeia, um total de 26 produtos siderúrgicos seriam taxados; China sofrerá restrições em 16 produtos diferentes, contra 17 da Turquia e 15 da Índia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
#banner-popup .visible-mobile{ display: block; } #banner-popup .visible-desktop{ display: none; } @media (min-width: 1000px) { #banner-popup .visible-mobile{ display: none; } #banner-popup .visible-desktop{ display: block; } } var get_pop_cookie = Cookies.get('cookie_seudinheiro_popup_empiricus'); if(get_pop_cookie == null ){ $.fancybox.open({ src : '#banner-popup', type : 'inline' }); Cookies.set('cookie_seudinheiro_popup_empiricus', '1', { expires: 1 }); } else if(get_pop_cookie == '1'){ $.fancybox.open({ src : '#banner-popup', type : 'inline' }); Cookies.set('cookie_seudinheiro_popup_empiricus', '2', { expires: 1 }); }