Menu
2019-11-27T09:56:05-03:00
Após três altas seguidas

Confiança do comércio cai 0,6 ponto em novembro ante outubro, afirma FGV

Em novembro, a confiança caiu em oito dos 13 segmentos, informou a FGV. O Índice de Expectativas (IE-COM), um dos componentes do Icom, recuou 1,0 ponto, de 101,9 para 100,9 pontos

27 de novembro de 2019
9:56
Comércio
Imagem: Fotos Públicas

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu 0,6 ponto na passagem de outubro para novembro, alcançando 97,8 pontos, informou nesta quarta-feira, 27, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o indicador cedeu 0,3 ponto, interrompendo uma sequência de três altas seguidas.

Para a FGV, o recuo de novembro confirma uma tendência de estabilização do Icom entre 97 e 99 pontos. "A queda no mês foi influenciada pela redução das expectativas dos empresários do setor, sugerindo dúvidas quanto ao ritmo das vendas nos próximos meses. Já a percepção sobre a situação atual ficou estável no mês após uma alta expressiva em outubro", diz a nota divulgada pela entidade.

Em novembro, a confiança caiu em oito dos 13 segmentos, informou a FGV. O Índice de Expectativas (IE-COM), um dos componentes do Icom, recuou 1,0 ponto, de 101,9 para 100,9 pontos. Já o outro componente, o Índice de Situação Atual (ISA-COM), caiu 0,2 ponto, ao passar de 95,1 para 94,9 pontos.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

"Apesar dos percalços, a expectativa para este final de ano segue positiva, sob influência da liberação de recursos do FGTS, mas a manutenção da tendência de recuperação ainda parece incerta, principalmente com relação à sua velocidade", diz a nota.

A pesquisa da FGV sugere ainda que os comerciantes chegarão às vendas de fim de ano com estoques mais ajustados. Em novembro, na série em médias móveis trimestrais, 14,2% dos empresários entrevistados afirmaram estar com estoques excessivos. É o menor valor desde junho de 2017 (13,4%).

"A melhora recente da demanda contribuiu para que os empresários do setor conseguissem reduzir estoques, que haviam se acumulado após um primeiro semestre frustrante", diz a nota da FGV.

A coleta de dados para a edição de novembro da Sondagem do Comércio foi realizada entre os dias 1º e 25 do mês e obteve informações de 830 empresas.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

PRIVATIZAÇÃO

Privatização da Eletrobras será discutida no 1º semestre, diz Ferreira Júnior

“É a primeira vez que o Brasil vai fazer uma operação desse tamanho, temos que ir com calma”, disse durante palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ).

ESTÁ DE SAÍDA

Oi anuncia saída de Eurico Teles da presidência

A saída ocorre no mesmo dia em que a companhia foi alvo da 69ª fase da Operação Lava Jato e que investiga supostos repasses financeiros que teriam sido realizados pela Oi / Telemar em favor de empresas do grupo Gamecorp/Gol

Oferta de ações

XP vende ação acima da faixa indicativa no IPO e estreia na Nasdaq valendo R$ 62 bilhões

Preço por ação da XP na oferta realizada na bolsa americana foi definido em US$ 27, acima do teto da faixa estipulada, que variava de US$ 22 a US$ 25, segundo a Broadcast/Estadão

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Rodada decisiva no jogo das tarifas

Além dos números da economia e das empresas, entender pelo menos um pouco sobre relações internacionais tornou-se fundamental para os investidores desde o início da guerra comercial entre Estados Unidos e China. A disputa, que está mais para um jogo de cartas do que para uma guerra propriamente dita, é acompanhada com tensão pelo mercado porque […]

Jogo tenso

Com as cartas da guerra comercial ainda na mesa, o Ibovespa e as bolsas globais fecharam em queda

O Ibovespa teve a segunda baixa consecutiva, refletindo o clima de cautela que tomou conta dos ativos globais nesta terça-feira. Lá fora, os mercados ficaram de olho nas movimentações da guerra comercial — e, ao menos por enquanto, não há nada definido entre EUA e China

DE OLHO NO GRÁFICO

Sinal amarelo para o S&P 500 e 16 ações para ficar de olho

Neste vídeo, eu analiso o S&P 500, o Ibovespa e outros indicadores americanos e indica 16 ações brasileiras para ficar de olho. A contagem regressiva para o fechamento de minha Última Imersão a preço de Black Friday está terminando. Garanta aqui o seu acesso

BANCO

Presidente do BB diz que não há nenhuma negociação sobre venda do banco para concorrente

Ele destacou que “é mentira” que o Banco do Brasil esteja negociando seu controle com outro grupo econômico. “Isso nunca passou por nossa cabeça”, disse Novaes

NOVIDADES À VISTA

Marfrig lança marca própria de hambúrgueres vegetais

Além dos investimentos na parte de produtos de origem vegetal, a Marfrig quer trazer mais dinheiro para o caixa da empresa. A empresa confirmou no começo deste mês que fará uma oferta subsequente de ações (follow-on)

Altas e baixas

Gol, Azul, Itaú e Banco do Brasil: os destaques do Ibovespa nesta terça-feira

O setor aéreo liderou as perdas do Ibovespa nesta terça-feira, com as ações da Gol e da Azul fechando em queda. Itaú e Banco do Brasil também caíram

AÇO E ALUMÍNIO

‘Já foi sobretaxado aço e alumínio? Então, não tem o que discutir’, diz Bolsonaro

Trump escreveu no Twitter no último dia 2, sobre a intenção de aumentar tarifas sobre aço e alumínio de Brasil e Argentina, como forma de compensar a desvalorização da moeda desses países

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements