Menu
Ivan Sant’Anna
Seu Mentor de Investimentos
Ivan Sant’Anna
É trader no mercado financeiro e autor da Inversa
2019-04-01T14:26:40+00:00
Seu Mentor de Investimentos

Começou o terceiro turno

Com os sinais conflitantes de Bolsonaro e sua equipe, é necessário pensar no período entre a eleição e a posse, no qual são definidos os principais nomes do governo, suas ideias e linhas de atuação

17 de outubro de 2018
14:08 - atualizado às 14:26
jair-bolsonaro
Jair Bolsonaro - Imagem: Wilton Júnior/Estadão Conteúdo

Com a eleição de Jair Bolsonaro já garantida e precificada nos mercados de ações e de dólar, acho bom o caro amigo leitor começar a pensar no terceiro turno. Refiro-me ao período entre a eleição e a posse, no qual são definidos os principais nomes do governo, suas ideias e linhas de atuação.

É lógico que fatores externos poderão influenciar as bolsas e o câmbio no Brasil, mas sobre esses fundamentos Bolsonaro e seus assessores não têm a menor ingerência.

Muitas coisas poderão agradar os eleitores do capitão, tal como a revogação do estatuto do desarmamento, mas terão pouca ou nenhuma influência nos mercados.

O que traders e investidores em geral querem saber é como será tratado o déficit público, qual será a política de privatizações, como e em que dimensão a máquina governamental será enxugada, qual será a política externa, que mudanças tributárias irão ocorrer, como atuará o Banco Central, enfim, aquilo que impactará o mercado de ações.

Desde que se tornou um fenômeno eleitoral, Jair Bolsonaro e seus principais assessores enviaram sinais conflitantes ao mercado. Paulo Guedes, que parece ser o indicado para ocupar o ministério da Economia (reunindo Fazenda e Planejamento), já declarou que gostaria de privatizar a Petrobras, a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil e a Eletrobras.

Bolsonaro descartou a ideia, dizendo que setores estratégicos continuarão sendo estatais. Disse que vai privatizar as empresas inúteis criadas pelos petistas para abrigar petistas. Isso é quase uma obrigação. Só que tem mais efeito psicológico do que prático.

No exterior

Outra definição importante será o relacionamento do Brasil com a China. Até agora, o capitão vem se mostrando pró-Estados Unidos e antichinês.

Uma de suas frases preferidas é que a China compre “no Brasil” mas não “o Brasil”. Essa declaração é meio ingênua. Querer exportar para a China todo mundo quis. E por todo mundo estou me referindo a Michel Temer, Dilma Rousseff, Lula, Fernando Henrique, José Sarney e os militares.

Os chineses, ávidos por investir mundo afora, deveriam ser bem-vindos se quiserem construir portos, hidrovias, hidrelétricas, ferrovias, rodovias, obras de saneamento, etc. É o que estão fazendo na Ásia, por exemplo.

Entre as economias que mais crescem no mundo estão as do Vietnã, Camboja, Mianmar e Laos, todas acima de 6% ao ano. Com investimento chinês.

É até meio infantil da minha parte mencionar isso, mas a China jamais poderá pôr nas costas uma ferrovia ou porto que construiu no Brasil e levá-lo embora.

Erro afobado

Foi um erro de Jair Bolsonaro dizer afobadamente, sem consultar os especialistas do Itamaraty, que irá mudar a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

Os únicos países que fizeram isso até agora foram os Estados Unidos e a Guatemala. Deve ter alguma razão prática para que a União Europeia e a Grã-Bretanha, por exemplo, não tenham acompanhado os americanos.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Nada como a concorrência

Caixa lança o desafio e bancos se movem: BB oferece financiamento imobiliário com taxas de acordo com prazos e Bradesco avalia juros atrelados ao IPCA

Banco do Brasil vai praticar tarifas mais baixas para prazos de financiamento menores, enquanto o Bradesco ainda é reticente com as mudanças

Seu Dinheiro na sua noite

Tupi or not tupi

Há quase um século, o escritor Oswald de Andrade redigia o Manifesto Antropofágico, o clássico (e divertidíssimo) texto no qual defende a valorização de uma cultura verdadeiramente brasileira. A ideia não era se opor à influência estrangeira, mas devorá-la. A zoeira com o monólogo de Shakespeare em Hamlet (“To be, or not to be”) sintetiza […]

No júri

Petrobras tem vitória no Carf em processo envolvendo R$ 5,1 bilhões

Processo administrativo fiscal trata da cobrança de CIDE-Importação sobre remessas ao exterior para pagamento de contratos de afretamento

Crédito mais barato

Caixa apresenta nova modalidade de financiamento com juros atrelados ao IPCA

Taxas de juros da nova modalidade vão oscilar entre 2,95% a 4,95% ao ano mais a variação do IPCA. A demanda estimada pelo produto está na casa de R$ 50 bilhões

Vai tranquilo

Maia sobre reforma tributária: “não estamos com pressa”

Presidente da Câmara diz querer estabelecer um debate sobre o tema de forma tranquila e profunda

De mudança e sob nova direção

Após governo mandar Coaf para o BC, Ricardo Liáo é nomeado novo presidente do órgão

Indicação é vista como uma forma de garantir certa continuidade na administração do Coaf

Sem sinal

Oi perde quase metade do valor na bolsa em apenas quatro dias

Com mais de 37,5 milhões de clientes no país, Oi passa a ser avaliada em apenas R$ 4,4 bilhões na B3; só hoje, as ações ordinárias da operadora registraram uma desvalorização de 27%, cotadas a R$ 0,73

DE OLHO NO GRÁFICO

Queda do Ibovespa, S&P e as ações para ficar de olho

No De Olho no Gráfico de hoje, Fausto Botelho fala de suas expectativas para o Ibovespa, o S&P, o Nasdaq, o dólar e o desempenho das ações para as quais tem recomendação de venda

Primeiro texto

Relator da reforma da Previdência no Senado diz estar fazendo esforço para entregar relatório na sexta-feira

A presidente da CCJ, Simone Tebet, já havia dito que essa era a previsão, sendo que a leitura do documento será feita no dia 28

Siga o dinheiro

Fluxo do gringo na bolsa em 2019 ainda é positivo e eu posso provar

Dados disponibilizados pela B3, que mostram saída de R$ 19 bilhões até 15 de agosto, não contabilizam valores movimentados em ofertas de ações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements