Menu
2019-01-16T17:59:16+00:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.

Incertezas à vista! Citibank rebaixa para “venda” os papéis de Cemig, Copasa e Sabesp

Na avaliação do analista Marcelo Britto, há um risco de queda no preço dos papéis das três companhias após o rali de eleições, mesmo que ocorra a privatização das empresas

16 de janeiro de 2019
11:25 - atualizado às 17:59
Citi: Segundo maior banco estrangeiro do Brasil mira três segmentos
Imagem: Shutterstock

Após o banco Morgan Stanley elevar em 50% o preço-alvo das ações da Cemig ontem (15), o Citibank optou por rebaixar para "venda" os papéis da companhia e de outras duas grandes empresas, a Sabesp e a Copasa, um dia depois (16). Na avaliação do analista Marcelo Britto, há um risco de queda no preço dos papéis das três companhias após o rali de eleições.

Britto rebaixou os papéis da Cemig (código CMIG4) para venda, com preço-alvo de R$ 11,50, e afirmou que isso implicaria potencial de baixa de 17% em relação ao último fechamento. O preço-alvo médio das ações é de R$ 13,04. Por volta das 11h desta quarta-feira, a ação preferencial da empresa caía 1,59%.

A Copasa (código CSMG3), por sua vez, também foi rebaixada para venda, com preço-alvo de R$ 53,40, o que implica potencial baixa de 19% em relação ao último pregão. O preço-alvo médio da ação está em R$ 56,02. Ao redor das 11h de hoje, a ação ordinária da empresa caía 3%.

As ações ordinárias da Sabesp (código SBSP3) seguiram a mesma recomendação de venda, com preço-alvo de R$ 40,20. A mudança implica potencial de queda de 3,4% em relação ao último pregão. Por volta das 11h desta quarta-feira, os papéis ordinários da empresa estavam apresentando queda de 0,72%.

Companhias mineiras

Em sua justificativa, o analista disse que o Estado de Minas Gerais enfrenta problemas fiscais e que provavelmente tentará a venda das duas companhias mineiras Cemig e Copasa para aliviar o impacto negativo nas contas públicas.

Porém, no caso da Cemig, "a privatização não é fácil e nem rápida de ser alcançada devido a barreiras políticas e legais, mas pode ser necessária no caso de um acordo de renegociação das dívidas do Estado".

O problema é que mesmo que a privatização seja aprovada não está claro se os minoritários colheriam o "grosso dos retornos". Britto se mostrou preocupado com os minoritários.

No documento, o especialista destacou que os acionistas menores que não tem direito a voto e que não tem direito ao tag-along (mecanismo de proteção aos acionistas menores no caso de mudanças no controle da companhia) podem não se beneficiar de eventual prêmio pago pelo controle da empresa.

O analista também disse que o ato de tornar a Copasa uma empresa privada seria um desafio. Britto afirmou que a Prefeitura de Belo Horizonte precisa aprovar qualquer intenção de privatizar a companhia. Com isso, seria mais difícil conseguir a mudança de controle do Estado para o setor privado.

Sapesp

No caso da empresa paulista, o analista destacou que o atual governador de São Paulo, João Doria falou que iria privatizar a companhia em entrevistas. E que, recentemente, outras autoridades de Estado manifestaram interesse semelhante.

Segundo Britto, o ponto é que há muitas barreiras políticas e legais, assim como as demais estatais mineiras (Cemig e Copasa). Ele também destacou que não vê a possibilidade de que o "grosso" dos ganhos de eficiência sejam divididos com os consumidores, o que pode gerar um custo para cobrir tais "buracos" e menos retorno para os acionistas.

Durante a análise das três empresas, o analista disse que a subida no preço dos papéis teve como maior combustível o rali eleitoral, mas questionou como será o cenário para as ações das companhias analisadas após o período eleitoral e em cenários de bear e bull market.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Vai ficar no papel?

Alcolumbre diz que há receio em autorizar privatização da Eletrobras

Presidente do Congresso relatou que 48 senadores do Norte e do Norte são contra, o que tornaria inviável a aprovação de um projeto com esse modelo

Acelerou

Preço médio dos imóveis residenciais sobe 0,36% em agosto

Dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança

Ainda não é suficiente

Secretário da Previdência diz que para reforma ser sustentável, “precisamos de camada de capitalização”

Equipe econômica, no entanto, já trabalha em outras medidas como combate à fraude na concessão de aposentadorias e pensões e na gestão dos sistema

Será que vai melar?

Parlamento da Áustria aprova resolução obrigando governo a vetar UE-Mercosul

Movimento ocorre a poucos dias das eleições parlamentares na Áustria, antecipadas para o próximo dia 29 de setembro

Clima tenso entre os brothers

UE está pronta para impor tarifas retaliatórias contra os EUA, diz ministro da França

Bruno Le Maire comentou que a UE se prepara para eventuais sanções contra os EUA por causa de uma disputa sobre subsídios no setor de aviação

De olho na reforma

Câmara e Senado construirão proposta conjunta sobre reforma tributária, diz Maia

O presidente da Câmara também não descartou a ideia de criação de uma comissão mista (com senadores e deputados) para tratar da reforma tributária

O futuro da energia

Shell diz que seu plano é investir US$ 3 bilhões por ano em renováveis no mundo

Presidente da petroleira no Brasil afirmou que não há um prazo para definir os investimentos e que o importante é que os projetos “façam sentido”

De olho nas contas públicas

Governo deve descontingenciar entre R$ 12 bilhões e R$ 13 bilhões, diz secretário

Com a arrecadação maior nos últimos meses, a ideia é liberar parte do orçamento, que foi contingenciado nos meses anteriores

Será que cai mais?

Na contramão do mercado, Itaú mantém projeção para Selic em 5,0% no fim do ano

Segundo relatório da instituição, o banco seguirá observando os dados para a inflação e a taxa de câmbio do Banco Central para decidir por uma nova reavaliação

'impacto nulo'

Relator da reforma da Previdência apresenta novo parecer e acata apenas uma das 77 emendas

Emenda acatada retira do texto ponto que obrigava os servidores que entraram antes de 2003 a contribuírem por 35 anos, no caso dos homens, e 30 das mulheres, para ter direito à totalidade de gratificação por desempenho

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements