Menu
2018-10-10T20:09:16+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Eleições 2018

Ciro Gomes ainda está na parada?

Um risco de cauda que pode provocar perdas extremas

10 de outubro de 2018
20:09
Ciro Gomes chegando ao debate do SBT
Ciro Gomes chegando ao debate do SBT - Imagem: Marcelo Chello/Seu Dinheiro

Estava com amigos no boteco aqui perto de casa, ontem, e ouvi de um deles, advogado, uma tese que foi prontamente rechaçada por todos os presentes: “É, não sei não, mas não duvido que o Haddad possa abrir mão da candidatura em favor do Ciro Gomes”.

Além do descrédito geral com a tese, a minha pergunta seguinte foi: “Mas pode?”. No que ele prontamente respondeu: “Claro que pode”.

Lembrei desse corriqueiro diálogo ao me deparar com a seguinte informação no “Twitter” da revista “Crusoé”.

Por menor que seja a possibilidade disso acontecer, é sempre bom lembrar que o "impossível" por vezes acontece. São os riscos de cauda, o cisne negro, eventos extremamente raros, mas devastadores. Guardadas as proporções, alguém achava que o Lehman Brother iria quebrar? Ou melhor dizendo, 99,9% do mercado achava que o Lehman Brothes iria quebrar?

E o "cisne Ciro" é um risco que está fora de qualquer cenário de mercado, que vem ampliando as apostas de vitória de Jair Bolsonaro no segundo turno. Mas essas apostas e posicionamento em bolsa, câmbio e juros consideram Fernando Haddad como adversário. A eventual entrada de Ciro Gomes mudaria tudo e, claro, o preço relativo de todos os ativos.

Se o mercado temia alguém mais que Lula/Haddad esse é Ciro Gomes, visto como mais intervencionista e menos disposto a levar adiante uma agenda de ajuste fiscal.

Pode-se argumentar que o PT jamais desistiria da candidatura ou que Lula não deixaria isso acontecer. Até porque Lula rifou Ciro, que tinha se oferecido como opção de "esquerda" agora em 2018, logo no começo das articulações eleitorais. Mas o que está em jogo pode ser maior que as vaidades pessoais e partidárias. Parafraseando José Dirceu, seria uma forma de tomar o poder, que é diferente de ganhar eleições.

E pode mesmo?

Segue a transcrição do paragrafo quarto, do artigo 77 da Constituição. “Se, antes de realizado o segundo turno, ocorrer morte, desistência ou impedimento legal de candidato, convocar-se-á, dentre os remanescentes, o de maior votação."

 

 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mais perto do que se imagina

Sem reformas, País deve violar “regra de ouro” em 2020 e ter recessão, diz OCDE

Organização acredita que não aprovação das reformas resultaria em custos de financiamento mais altos e consequentemente um crescimento mais baixo

A volta da esquerda?

Quatro a cada 10 norte-americanos apoiam o socialismo, diz pesquisa

Levantamento da Gallup mostra que 43% das pessoas acreditam que o socialismo é algo bom para o País, enquanto para 51% ainda é algo ruim; números contrastam com pesquisa de 70 anos atrás

Fraudes em fundos de pensão

Justiça ratifica denúncia de Operação Rizoma contra desvios no Postalis e Serpros

Entre os acusados estão o empresário Milton Lyra, o “operador do MDB”, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o empresário Arthur Mario Pinheiro Machado

Blog da Angela

Grandes fundos emprestaram uma bolada de dinheiro para o governo. Por que isso é ruim?

Patrimônio de fundos sob gestão dos maiores administradores do país está comprometido em 80% com títulos públicos; ações respondem por 3,5% e aplicações no exterior por 0,5% do total

Bateu o pé

Presidente da Comissão Especial reafirma calendário da reforma da Previdência e diz que relatório sai até dia 15

Prazo para apresentação de emendas, que encerraria nesta quinta-feira, 23, deve ser adiado para o dia 30

De olho no gráfico

É hora de comprar Ambev, BB, Petrobras e outras blue chips da Bolsa?

Coluna traz vídeos sobre análise gráfica e dicas de investimentos. Terças e quartas o tema é o mercado de ações. Quinta-feira é a vez das criptomoedas

Aliança ambiciosa

EDP e Engie assinam memorando para criação de joint venture no setor eólico

Em nota, a EDP informa que as duas empresas combinarão seus ativos eólicos offshore e os projetos em desenvolvimento na recém-criada joint venture, que deve estar em operação até o fim de 2019

Câmbio

BC rola mais US$ 1,25 bilhão em leilão linha com compromisso de recompra

Operações foram anunciadas na sexta-feira. Ontem, rolagem também foi de US$ 1,25 bilhão e ainda teremos mais uma operação amanhã

Nada muda (ufa!)

Fitch reafirma rating do Brasil em “BB-“, com perspectiva estável

Nota do País segue limitada pelas fraquezas nas finanças, perspectivas de crescimento fracas, corrupção e um ambiente político turbulento

menos linhas

Mesmo com reformas, texto da Constituição tem de ser reduzido, diz presidente do STF

Para o ministro Dias Toffoli, se forem aumentados números de dispositivos na Constituição, a possibilidade de judicialização das questões é maior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements