Menu
2019-07-16T14:44:15+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
polêmica da criptomoeda

Calibra não compartilhará dados de transações com outras empresas, diz executivo do Facebook

Em depoimento ao Senado, David Marcus declarou também que os dados coletados pela provedora de serviços financeiros em Libra não serão usados pelo Facebook para direcionamento de propagandas

16 de julho de 2019
14:40 - atualizado às 14:44
Criptomoeda Libra Facebook
Imagem: Shutterstock/Wit Olszewski

O executivo do Facebook responsável pela criptomoeda Libra, David Marcus, afirmou que a subsidiária do Facebook Calibra - provedora de serviços financeiros em Libra - não irá compartilhar dados de transações financeiras com nenhuma companhia.

Marcus depôs nesta terça-feira, 16, ao Senado dos Estados Unidos. Ele disse que a monetização da Calibra será feita por meio da expansão de seus serviços para atender companhias que desejam usar a Libra como pagamento. O executivo declarou também que os dados coletados pela Calibra não serão usados pelo Facebook para direcionamento de propagandas.

O executivo disse que a criptomoeda não será usada para competir com poupanças em bancos ou rendimento de juros. Segundo ele, a ideia é expandir o acesso a formas modernas de pagamento por parte da população.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Marcus reiterou ainda que a moeda digital obedecerá a todas as regulações aplicáveis a instituições financeiras e informou que a Calibra não será a única provedora de serviços financeiros com a criptomoeda.

Segundo ele, o Facebook abdicou da exclusividade sobre a propriedade intelectual da tecnologia da Libra. A ideia é permitir o surgimento de outras operadoras de pagamentos dispostas a intermediar transações com a moeda.

Registro para o uso da criptomoeda

O executivo do Facebook informou que a Calibra irá exigir que usuários forneçam documentos oficiais de identificação para cadastrar uma carteira digital. Segundo ele, a medida tem o objetivo de promover a prevenção a crimes como lavagem de dinheiro, financiamento de terrorismo e fraudes.

Mas a fiscalização dessas medidas e a obediência a sanções e "listas negras", por exemplo, será de responsabilidade das operadoras de pagamentos em Libra. O executivo reiterou que a Libra não será lançada até que todas as questões relativas a segurança e regulação estejam resolvidas.

Perguntado sobre a competição entre essas carteiras digitais, o executivo declarou que o Facebook não irá adotar medidas para impedir a competição com outras companhias, mas admitiu que as plataformas do Facebook, como o Messenger e o WhatsApp, oferecerão suporte somente à Calibra.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Entrevista

Criador da CVM diz que mercado brasileiro não precisa de mais regulação

Para Roberto Teixeira da Costa, momento é de libertar a capacidade criativa das pessoas; em entrevista ao Seu Dinheiro, ele fala sobre mercado de capitais, economia brasileira e a figura do analista de investimentos

Seu Dinheiro na sua noite

Lucro, pra que te quero?

Podem me chamar de antiquado ou de romântico, mas sou do tempo em que empresa boa é empresa que dá lucro. Mas reconheço que, diante das mudanças abruptas na forma como consumimos produtos e serviços, olhar para a chamada última linha do balanço das companhias ficou meio fora de moda. No lugar do lucro, o […]

Xiiii...

Oi avisa Anatel que pode ficar sem dinheiro para operar a partir de fevereiro

Diagnóstico da situação da empresa indicou que o dinheiro em caixa da operadora chegou ao “mínimo necessário”

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: O furacão das eleições na Argentina e o fantasma da recessão mundial

Seu Dinheiro traz um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

Gás na economia

FGTS deve ter impacto positivo sobre o PIB em 0,20 ponto percentual em 2019, diz consultoria

Considerando saques de R$ 36,5 bilhões no total até março de 2020, 4E Consultoria também projeta impacto de 0,08 ponto percentual no PIB do ano que vem

Tango (ainda mais) triste

Fitch rebaixa rating da Argentina de ‘B’ para ‘CCC’

Agência de classificação de risco afirma que rebaixamento reflete “elevada incerteza de políticas” após os resultados das eleições primárias

Balanço dos balanços

Petrobras lidera ranking de maiores lucros no 2º trimestre entre empresas de capital aberto; Oi é lanterninha

Resultado líquido positivo de R$ 18,8 bilhões registrado pela estatal foi quase três vezes maior do que o segundo colocado no ranking

estratégia que dá certo

‘Meu pai me ensinou a comprar com desconto’, diz Klein sobre Via Varejo

Comprar quando o setor ou o vendedor está em crise é estratégia de Michael Klein, a mesma usada para arrematar, em junho, 1,6% das ações da Via Varejo

Líder da negociação

Maia diz saber onde está ‘problema político’ de cada reforma tributária

Presidente da Câmara também disse não saber qual das reformas que estão na mesa é tecnicamente melhor

tá difícil

Economia opera abaixo da capacidade em todas as regiões do País, diz BC

Avaliação consta no Boletim Regional divulgado pelo Banco Central nesta sexta-feira, 16. Confira os detalhes por região

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements