Menu
2019-04-20T14:02:29+00:00
incerteza

Briga na Apex ameaça presença brasileira no Festiva de Cannes

Episódio é mais um capítulo na rixa interna que coloca, de um lado, o presidente da Apex, Mário Vilalva, próximo ao grupo de militares do governo Bolsonaro, e do outro, a diretora de Negócios, Letícia Catelani, e o diretor de Gestão Corporativa, Márcio Coimbra, ligados ao ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, indicado ao cargo pelo escritor Olavo de Carvalho

4 de abril de 2019
9:20 - atualizado às 14:02
Bolsonaro, Ernesto Araújo e Mário Vialva
Presidente Jair Bolsonaro, Ernesto Araújo (à dir) e Mário Vilalva (à esq) - Imagem: Reprodução/Twitter

A disputa de poder na Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) pode comprometer a participação do Brasil no Festival de Cannes, a ser realizado em junho. Até agora, não há nem mesmo definição sobre se a agência vai ao evento, o mais importante na área de publicidade e propaganda no mundo.

A participação brasileira em Cannes era parte de um convênio firmado entre a Apex-Brasil e Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (Siaesp). Esse convênio, de acordo com a Apex, não foi renovado por decisão da diretora de Negócios Letícia Catelani.

Nos últimos anos, a Apex fez uma série de ações no Festival de Cannes, levando empresas e promovendo a publicidade brasileira. As contratações e preparações para o evento começavam meses antes. A Apex chegou a ganhar prêmios em Cannes, no ano passado, por uma campanha feita para o Festival de 2017.

A presidência da Apex defende a presença em Cannes nos mesmos moldes dos anos anteriores, mas o assunto é uma decisão da diretoria de Catelani.

O episódio é mais um capítulo na rixa interna que coloca, de um lado, o presidente Mário Vilalva, próximo ao grupo de militares do governo Bolsonaro, e do outro, Catelani e o diretor de Gestão Corporativa, Márcio Coimbra, ligados ao ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, indicado ao cargo pelo escritor Olavo de Carvalho.

Nesta quarta-feira, 3, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que Vilalva publicou portaria retirando poderes dos outros dois diretores para contratar e dispensar pessoal e representar a Apex em juízo ou fora dele e prover cargos comissionados em funções de confiança. Ao menos três indicações feitas pela diretora de negócios não se concretizaram.

Ao jornal, a Apex informou que "a diretora de Negócios da Apex-Brasil se encontra em viagem e poderá prestar mais esclarecimentos sobre o assunto em seu regresso". Catelani fez parte da comitiva presidencial a Israel, que retornou ontem à noite ao Brasil. Interlocutores da diretora afirmam que o processo técnico de escolha será realizado sem interferência de qualquer "viés ideológico".

Nomeações
O presidente da Apex, Mário Vilalva, encaminhou ontem uma nota ao Estado na qual afirma que as informações sobre disputa interna na agência são "ilações indevidas e equivocadas". No caso das indicações para a diretoria de Letícia Catelani, a presidência "solicitou e aguarda informações sobre a motivação da criação dessas áreas, antes de nomear seus titulares".

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

À jato

Guedes promete medidas imediatas de estímulo após reforma da Previdência

Governo mira projetos como simplificação de tributos federais, privatizações e a quebra do monopólio em segmentos do petróleo e gás

Estatal

Petrobras garante à ANP que terá bunker com baixo enxofre a partir de 2020

Estatal diz que está apta a produzir combustível de navio (bunker) com baixo enxofre em volume suficiente para atender a demanda do Brasil

Setor de aviação comercial

Joint-venture entre Embraer e Boeing se chamará Boeing Brasil – Commercial

Venda de 80% da divisão de aviação comercial da fabricante brasileira de aviões para a americana foi fechada no começo de julho do ano passado

Tá complicado!

Funcionários da Avianca anunciam nova greve para esta sexta-feira

Paralisação vai atingir os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro

De olho no gráfico

Como comprar bitcoin com outras criptomoedas – e é uma boa comprar?

Coluna traz vídeos sobre análise gráfica e dicas de investimentos. O tema é o mercado de ações e criptomoedas.

Agora vai?

EUA modificam posição e formalizam apoio à entrada do Brasil na OCDE

Sem dar detalhes, secretário-geral da OCDE, José Ángel Gurría, confirmou a informação de que o grupo tem uma posição diferente sobre o Brasil

Reformas

Presidente e relator da Previdência jogam ‘policial bom, policial ruim’ nas suas declarações

Depois de aceno conciliador dado por Samuel Moreira na segunda-feira, Marcelo Ramos sobe à tribuna, critica o governo e pergunta: “Vamos transformar isso aqui em uma Venezuela?”

Enfim, passou!

Câmara conclui votação da MP dos ministérios e medida segue para análise do Senado

Senado tem até a próxima semana para votar a medida, antes que ela perca sua validade, em 3 de junho

Private equity

Para fundos que compram empresas, momento é bom para fazer negócio

Fundos que investem em participações em companhias para vendê-las com lucro posteriormente fecharam o ano passado com R$ 39,3 bilhões disponíveis para investir no Brasil

Um polvo da construção

Duratex anuncia a compra da Cecrisa por R$ 1 bilhão e amplia ainda mais seu espaço no mercado

Anúncio feito nesta quinta-feira está em linha com o modelo de negócio da companhia, que espera estabelecer um sistema “one stop shop” no setor de materiais de construção

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements