Menu
2019-12-03T12:09:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Agora vai

Brasil já está crescendo com maior vigor, diz Ministério da Economia

Secretaria de Política Econômica avalia que PIB divulgado hoje mostra o aquecimento da atividade, que deverá ser reforçado no fim deste ano

3 de dezembro de 2019
12:01 - atualizado às 12:09
brasil ranking
Imagem: Shutterstock

Na avaliação da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia, o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre divulgado hoje evidencia que a desaceleração da atividade ficou para trás e que a economia já está crescendo com maior vigor.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB teve crescimento de 0,6% sobre o trimestre anterior, e 1,2% no comparativo anual. Resultado que superou as expectativas do mercado, que rondavam os 0,4%.

Em nota, a SPE destaca o crescimento robusto do investimento e a retomada do consumo das famílias, enquanto o gasto do governo retraiu novamente, o que reforça a tendência de crescimento do PIB privado em substituição do PIB do setor público.

Segundo a SPE, a implementação de medidas de ajuste fiscal, o encaminhamento de reformas estruturais, em especial com a aprovação da reforma da Previdência, e as propostas legislativas que apresentam formas adicionais de correção da má alocação dos recursos da economia foram preponderantes para que as expectativas e os indicadores econômicos superassem o pior momento em agosto/2019. “A economia brasileira saiu do fundo do poço, com inflação sob controle e juros baixos.”

Ainda na avaliação da SPE, a liberação do saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) contribuiu para a melhora da atividade e da confiança no período.

Além disso, o ajuste do setor público abriu espaço para a queda dos juros futuros e para a expansão do setor privado (efeito crowding-in), de forma que o ritmo do PIB do setor privado já se aproxima do patamar de 2% ao ano.

1% está garantido

Nas contas da SPE, com o resultado do terceiro trimestre, o carryover, ou carregamento estatístico, ficou em 0,98% para 2019. Isto indica que, se o PIB ajustado sazonalmente mantiver esse nível do terceiro trimestre para o último trimestre de 2019, haverá crescimento de 0,98% do PIB neste ano.

Mas o aceno da SPE é que o resultado pode ser melhor, já que os indicadores disponíveis do quarto trimestre sinalizam continuidade do movimento de recuperação consistente da economia brasileira. “A confiança continua em alta, com as melhores condições de emprego, de crédito e inflação sob controle.”

2020

Encerrando a nota, a SPE destaca que o grande ganho de credibilidade, que se refletiu na melhora das expectativas dos consumidores e empresários, é fruto de medidas estruturais que corrigem a má alocação dos recursos e “da posição firme do governo sob a liderança do ministro Paulo Guedes e do apoio do presidente Jair Bolsonaro de manter a austeridade fiscal, a meta de resultado primário e do teto de gastos, contrariando muitos analistas de mercado que sugeriam a sua flexibilização”.

Para a SPE, o efeito dessas medidas vai propagar ao longo de 2020 e o PIB setor privado continuará acelerando, “confirmando um crescimento substancialmente superior ao observado nos últimos anos”.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Segundo mês de avanço

Volume de serviços sobe 0,8% em outubro ante setembro, afirma IBGE

Resultado ficou acima das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam desde uma queda de 0,4% a um avanço de 0,6%, com mediana positiva de 0,2%

na esteira da selic

Caixa anuncia redução de juro no crédito imobiliário e no cheque especial

Para o crédito imobiliário, a taxa passa para TR + 6,50% ao ano; para o cheque especial da conta salário, a taxa cair para 4,95% ao mês

Mais decisão de BC

BCE mantém política monetária inalterada em estreia de Lagarde na presidência

BCE disse ainda que manterá o programa de relaxamento quantitativo, através do qual vem comprando 20 bilhões de euros em ativos mensalmente desde novembro

Exile on Wall Street

Nota triste — a XP quer mesmo democratizar os investimentos no Brasil?

A XP seguiu os mesmos passos da Vitreo e lançou, depois, dois fundos próprios para investir em suas ações, com direito a matéria no InfoMoney. Matéria da XP, sobre fundos da XP, para comprar ações da XP.

Injeção de otimismo

Ibovespa abre em alta e dólar cai; mercados reagem bem ao Copom e à S&P

O Ibovespa sobe e recupera os 111 mil pontos, impulsionado pelos sinais do BC em relação à Selic e à visão positiva da S&P Global quanto ao Brasil

Mercado de capitais

IPO de empresas brasileiras no exterior deixa gosto amargo, diz presidente da B3

Com o avanço da tecnologia, o Brasil precisa ter uma regulação flexível senão corre o risco de perder o bonde, segundo Gilson Finkelsztain

sem negócio fechado?

Venda de ativos de dona da Ambev na Austrália é questionada por regulador

Órgão avaliou de maneira preliminar que a venda vai reduzir a concorrência no mercado de cidra e, possivelmente, no de cerveja

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

em busca de recursos

Eneva emite R$ 650 milhões em debêntures

Os recursos obtidos pela empresa vão ser usados para investimento, pagamento futuro ou reembolso relacionados ao projeto Parque dos Gaviões

arrumando as contas

País paga dívida com ONU e banco do Brics

Não pagamento à ONU poderia fazer com que o Brasil, pela primeira vez, perdesse o direito a voto no órgão a partir de 1.º de janeiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements