Menu
2019-05-10T17:32:29+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
depois da Previdência

Para Guedes, pacto federativo será aprovado “relativamente rápido”

Segundo o ministro da Economia, medida fará parte de uma agenda positiva que será lançada após a conclusão da reforma da Previdência

10 de maio de 2019
14:41 - atualizado às 17:32
06/05/2019 Reunia?o com o Ministro da Economia, Paulo Guedes
Para o ministro, governos anteriores não quiseram enfrentar o conflito que é promover uma reforma como a de Bolsonaro - Imagem: Isac Nóbrega/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, diz acreditar que não terá dificuldade de aprovar um pacto federativo. Para ele, governadores e prefeitos concordam sobre a necessidade de promover mudanças.

Segundo Guedes, o pacto fará parte de uma agenda positiva que será lançada após a conclusão da reforma da Previdência.

Entre as mudanças previstas, o ministro citou a desvinculação de receitas e despesas dos orçamentos de Estados e municípios e também a redução da alíquota de imposto de importação, que deve cair 10% em média. A redução deve ser gradativa, ano a ano, segundo o ministro.

O ministro falou durante uma palestra no 31º Fórum Nacional, que acontece em escritório do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no Centro do Rio.

Dinâmica virtuosa

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta sexta-feira, 10, que o Brasil está vivendo uma dinâmica virtuosa. Para ele, essa é mais uma razão para "atacar" a Previdência Social.

"Tenho convicção de que estamos numa dinâmica virtuosa, por isso que tem que atacar a reforma da previdência ou vai explodir o teto, se formos pelo caminho da Argentina, ou da Venezuela", disse.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Guedes afirmou que os governos anteriores não quiseram enfrentar o conflito que é promover uma reforma como pretende o governo de Jair Bolsonaro, e que antes da atual gestão "quebraram tudo para ver o que acontece no final", referindo-se aos déficits nas contas de estatais, municípios e estados herdados dos governos anteriores.

Ele criticou também o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico (BNDES) pelos empréstimos que fez nos governos passados, que, segundo Guedes, poderiam ter sido feitos por qualquer banco privado.

Segundo o ministro, o Banco Central foi a única instituição que conseguiu ficar fora de uma administração lesiva porque aperfeiçoou os seus algoritmos (modelos).

"O BNDES tem que ter os algoritmos do BC, tem que trabalhar o aperfeiçoamento dos algoritmos de vocês", disse ao lado do presidente do banco, Joaquim Levy, ressaltando que foi justamente para fazer isso que trouxe Levy de fora do País para o cargo.

Para Guedes, o banco tem que ser mais seletivo nos seus empréstimos e analisar a necessidade do País, não apenas dos empresários.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Economia aquecida?

Empresários esperam queda na inadimplência e mais investimentos até o fim do ano

Pesquisa também mostra que 55% das empresas têm a intenção de aportar recursos em novos produtos e serviços, 53% querem dar um upgrade tecnológico e 46% capacitar seus profissionais

Seu Dinheiro na sua noite

O elefante na loja de cristais dos mercados

No seu livro Princípios – leitura obrigatória (ao lado do meu romance Os Jogadores, é claro…) –, Ray Dalio afirma que o importante para quem investe não é prever o futuro, mas captar mudanças no ambiente econômico enquanto elas estão acontecendo. O bilionário gestor do maior “hedge fund” do mundo sabe que é natural os […]

Sete blocos envolvidos

MPF entra com ação para impedir leilão de petróleo ao lado de Abrolhos

MPF na Bahia sustenta que blocos não deveriam ir a leilão sem os devidos estudos ambientais prévios

Papel passado

Bolsonaro sanciona com vetos MP da liberdade econômica

Presidente disse durante a cerimônia de sanção que o governo avalia projeto para incentivar a abertura de empresas

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: A Selic caiu novamente. E agora, como ficam os seus investimentos?

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

A grana tá solta

Governo libera R$ 12,459 bilhões do Orçamento de 2019 e educação leva a maior fatia do bolo

Parte desse dinheiro não poderá ser distribuída livremente já que, do total, R$ 2,6 bilhões vêm das receitas recuperadas por meio da Operação Lava Jato

Tesourada no governo também

Ministério da Economia corta projeção da Selic em 2019 de 6,2% para 5,9%

Projeção para o câmbio médio deste ano passou de R$ 3,8 para R$ 3,9. Já a estimativa para a alta da massa salarial passou de 5,5% para 4,9%

Meio ambiente em jogo

Amazon entra na onda verde e assina acordo ambicioso para combater mudanças climáticas

Como parte do plano, Bezos disse ainda que vai adquirir 100 mil vans de entregas elétricas da startup de veículos elétricos Rivian e que elas vão começar a rodar a partir de 2021

O céu é o limite?

Ações da Braskem disparam na bolsa após notícias sobre venda pela Odebrecht

Construtora teria recontratado a empresa Lazard para dar continuidade às negociações de venda da sua participação na Braskem

Nova tecnologia

Tim prepara novos polos de testes do 5G no Brasil

“Queremos disponibilizar a tecnologia o quanto antes para que os desenvolvedores comecem a projetar aplicações. Quando o 5G chegar, elas já estarão disponíveis”, explicou, em entrevista ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements