Menu
2018-12-14T18:06:29+00:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Gringos de olho

Bradesco diz que gringo pode trazer mais de US$ 100 bilhões para a bolsa, se Bolsonaro ajudar

A concretização desse cenário depende, é claro, da aprovação da reforma da Previdência. E levaria a um efeito em cascata, com a alta das ações e do real, o que ajudaria a manter a inflação baixa e os juros estáveis

14 de dezembro de 2018
17:32 - atualizado às 18:06
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco
Octavio de Lazari, presidente do Bradesco - Imagem: Divulgação/Bradesco

Ao avaliar os seus primeiros meses no comando do Bradesco, Octavio de Lazari acabou fazendo um bom resumo do que foi o ano de 2018. Para ele, um investidor estrangeiro que visitasse o Brasil em janeiro, fosse embora e tornasse a avaliar apenas agora os principais ativos jamais desconfiaria da confusão que o país atravessou nesse meio tempo.

Afinal, os níveis do câmbio e das taxas de juros hoje são praticamente os mesmos do começo do ano. Isso com toda a volatilidade durante o processo eleitoral e de eventos como a greve dos caminhoneiros.

"Apesar de todo esse cenário, o banco soube extrair resultados das oportunidades que se apresentaram", disse Lazari, que assumiu a presidência do Bradesco em março deste ano. Ele e os demais executivos da cúpula do banco participaram de um almoço com a imprensa hoje.

O tema do investidor estrangeiro voltou à pauta quando os executivos foram questionados sobre as perspectivas para o país a partir de 2019. Para o Bradesco, a cautela do gringo vem diminuindo e pode se traduzir em uma entrada relevante de recursos para a bolsa brasileira no ano que vem. Pelas projeções do banco, esse volume pode passar dos US$ 100 bilhões.

A concretização desse cenário depende, é claro, da aprovação da reforma da Previdência pelo governo Bolsonaro. Se não for a reforma necessária, que seja a "possível", como defendeu o presidente do conselho de administração do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi. Desde que seja suficiente para mostrar um maior controle da situação fiscal.

De onde vem o dinheiro

Pouco mais da metade dos recursos estrangeiros previstos para entrar o Brasil deve vir do bolso dos investidores de mercados emergentes.

O Brasil chegou a ter 16% no portfólio desses investidores. Esse número chegou a cair para 5% e deve encerrar o ano entre 7% a 8%. Se retornar aos maiores níveis históricos, serão US$ 57 bilhões a mais no mercado brasileiro, pelas contas do Bradesco.

"Isso tem um efeito em cascata, pois joga a bolsa para cima, aprecia o real, o que ajuda a manter a inflação baixa e taxas de juros estáveis", disse o vice-presidente do Bradesco, Marcelo Noronha.

O Bradesco promoveu no mês passado um evento para investidores em Nova York. Na ocasião, Noronha se encontrou com dois grandes gestores globais de fundos. E ambos voltaram a falar em investir no Brasil - um deles depois de cinco anos fora.

Nas contas do Bradesco, fundos como esses têm potencial para injetar mais US$ 50 bilhões na bolsa brasileira.

Infraestrutura

Além do dinheiro para o mercado de ações, o estrangeiro está de olho em investimentos diretos e na área de infraestrutura. Pelos cálculos do Bradesco, esse número pode chegar a US$ 200 bilhões ao longo dos próximos de cinco anos.

"Os investidores estão olhando com curiosidade e disposição para voltar ao mercado brasileiro", disse Noronha aos jornalistas.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Seu Dinheiro na sua noite

Insiste em zero a zero e eu quero um a um

Você disse que não sabe se não. Mas também não tem certeza que sim. Se Djavan fosse um analista de mercado, representaria o sentimento dos investidores sobre o que vai acontecer com as taxas de juros no país. Para muita gente, não é mais uma questão de “se”, mas de “quando” a Selic vai cair. […]

Tá liberado!

Governo amplia setores autorizados a trabalhar aos domingos e feriados

A partir de hoje, 78 setores estão autorizados a funcionar nesses dias. Entre os novos segmentos está o comércio em geral

Agora vai?

Leilão de ativos da Avianca Brasil acontecerá no dia 10 de julho

Colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo liberou a decisão sobre a na manhã de ontem

Preenchendo a vaga

À espera de aprovação do nome de Montezano, BNDES nomeia presidente interino

Nome do atual diretor de finanças da instituição, José Flávio Ferreira Ramos, foi indicado para ocupar o posto provisoriamente

O rombo em forma de dados

Mansueto: dos 26 Estados mais DF, 14 gastam acima do limite de 60% com pessoal

Percentual abordado pelo secretário o Tesouro Nacional foi estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal

Olha eles aí outra vez

Deputados favoráveis à reforma da Previdência defendem volta da capitalização e de Estados

Sessão para debates sobre o relatório na comissão especial da reforma da Previdência na Câmara contou com várias defesas dos pontos retirados

negócio fechado

Embraer assina cooperação estratégica com a Elta para desenvolver P600 AEW

Com o acordo, as duas empresas criam um novo segmento de mercado, o de AEW; aeronave de última geração foi concebida para atuar em um novo segmento do mercado

acelerou! (um pouquinho)

Preço médio dos imóveis residenciais sobe 0,29% em maio em 10 capitais, diz associação

A Abecip avaliou, em nota, que as altas nos preços dos imóveis residenciais na maioria das capitais ainda não resultam em uma recomposição dos valores dos imóveis em termos reais.

temos um impasse

Virtualmente demitido, presidente dos Correios diz que só deixa o cargo com pedido formal

Bolsonaro disse na última sexta-feira que demitiria o presidente dos Correios pelo comportamento “sindicalista”; mas ele não deixou o cargo: ontem foi trabalhar normalmente e disse, em palestra, que só sai com formalização da demissão

Blog da Angela

Nativos e gringos soltam o verbo e mercados comemoram

Discurso afinado de relator sobre capitalização na Previdência anima; Draghi levanta a bola e Trump corta com categoria – para o Federal Reserve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements