Menu
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Fórum Econômico Mundial

Bolsonaro dará mensagem de combate ao crime, respeito às leis e responsabilidade fiscal

Assessor internacional do presidente também avalia que após Davos, mundo sairá mais convicto de uma “refundação da economia” brasileira

22 de janeiro de 2019
11:08 - atualizado às 14:12
Jair Bolsonaro a bordo do avião VC1 durante viagem à Suíça.
Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, Sergio Moro e Ernesto Araújo. - Imagem: Alan Santos/PR

O assessor especial para assuntos internacionais do presidente Jair Bolsonaro, Filipe G. Martins, usou sua conta no “Twitter” para explicar qual a mensagem o governo quer deixar ao participar do Fórum Econômico Mundial, que acontece em Davos, Suíça.

Segundo o assessor, ao escolher Davos como primeiro destino internacional, Bolsonaro demostra seu compromisso com a agenda econômica e a disposição de engajar o Brasil nas grandes discussões que determinarão os rumos do mundo neste século.

“Sua mensagem será uma defesa do combate ao crime e à corrupção; do respeito ao império das leis; da redução de gastos e da diminuição do Estado; da responsabilidade com as contas públicas e com as reformas estruturais; da desburocratização e da liberdade”, escreveu Martins.

Podemos inferir que essa linha da mensagem tem o “dedo” do ministro da Economia, Paulo Guedes, pois são pontos defendidos pelo ministro desde o período de campanha e reafirmados no seu discurso de posse.

Na avaliação de Martins, após o evento, o mundo sairá ainda mais convicto de que Bolsonaro trabalhará pela estabilidade macroeconômica, com equilíbrio das contas públicas, inflação baixa, juros de mercado, flutuação cambial e reforma tributária com o objetivo de reduzir a carga fiscal de modo sustentado.

Aqui temos uma defesa do chamado tripé macroeconômico e a reafirmação de algo que também constará nas falas de Guedes, que é “tirar o Estado do cangote de quem produz”.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Martins segue dizendo que haverá maior convicção que o governo trabalhará pela competitividade, com a eliminação de carteis e monopólios, privatização de empresas públicas, abertura dos setores financeiro e de comunicações, eliminação de regulações e diminuição da burocracia.

No lado do comércio internacional, a mensagem que se quer passar é que a política externa será caracterizada pela abertura econômica e liberalização comercial “com a firme disposição de fazer comércio com o mundo todo, sem qualquer viés ideológico”.

Por fim, diz o assessor, o “presidente demonstrará que a refundação da economia brasileira -- essencialmente patrimonialista e oligárquica desde a sua fundação -- só será possível devido a grande mobilização popular causada por sua agenda conservadora”.

Transmitir e convencer que todas essas mensagens são para valer não parece tarefa fácil. Essa missão começa com a fala do próprio presidente, prevista para as 12h30, e deve ser reforçada pelos outros ministros que também estão em Davos.

A expectativa com o discurso presidencial é grande, incluindo algumas expectativas pouco condizentes com a realidade, como um detalhamento da reforma da Previdência. Esse não seria o fórum adequado para falar de idade mínima, sistema de capitalização e participação ou não de militares. Esse tema deve ficar para volta e pelo pouco que se sabe, a intenção é apresentar um texto primeiro aos parlamentares, no que seria um importante gesto político.

O desafio do presidente não será apenas reafirmar compromissos com uma agenda econômica liberal, mas também tentar galgar a simpatia de parte da comunidade internacional, que mantém uma visão de que sua chegada ao poder seria uma “ameaça à democracia”, como se martelou com relativo sucesso durante o período de campanha eleitoral.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Partido Comunista Chinês diz que economia enfrenta pressões negativas

Dificuldades econômicas se devem a mais fatores estruturais e sistêmicos que cíclicos, diz o partido

Guerra das maquininhas

Ofensiva da Rede chancela discurso do Itaú que defendia pagamento em dois dias

Ao isentar a taxa de antecipação de recebíveis para alguns clientes, a Rede faz um contra-ataque agressivo para ganhar escala; Associação Brasileira de Instituições de Pagamentos, presidida por um diretor da Stone, vê prática anticompetitiva

Enquanto isso, no WhatsApp

Plano de Guedes para gás mais barato encontra resistência na Petrobras

Setores da Petrobras resistem ao plano do ministro da Economia, Paulo Guedes, de abrir o mercado de gás e acabar com o monopólio da estatal

Petrobras

Alta da gasolina este ano é superior à do óleo diesel

Petrobras, contudo, não repassou integralmente os ajustes da cotação do petróleo no mercado internacional, e gasolina aumentou menos do que deveria

Reforma da Previdência

Centrão diz que pode votar reforma na CCJ na terça, mas espera novo relatório

De acordo com parlamentares ouvidos pela reportagem, há avanços para a retirada de quatro pontos do relatório

IPO

Rede social Pinterest estreia na bolsa com alta de 28%

IPO da rede social na bolsa de Nova York ocorreu na última quinta. A valorização fez a empresa ser avaliada em US$ 16 bilhões

TUDO QUE VAI MEXER COM SEU DINHEIRO HOJE

Hora do acerto de contas

Caro leitor, Desde que eu comecei a cobrir finanças pessoais e investimentos, o mês de abril tem sido de especial agitação. E isso não apenas por causa do meu inferno astral, já que meu aniversário é no começo de maio, mas também porque se avizinha o fim do prazo para entregar a famigerada declaração de […]

Disputa pelos ares

Cade analisará Latam e Gol no caso Avianca

Órgão de defesa da concorrência abre processo para investigar conduta anticompetitiva de Gol e Latam. A suspeita é que companhias tenham entrado na disputa de forma a tirar a Azul da jogada

Vídeo

Por que a política tem tanta influência na bolsa brasileira?

Nas últimas semanas, canetadas presidenciais mexeram com o Ibovespa. Entenda por que quem investe em ações no Brasil tem que ficar mais de olho na política do que o normal

IR 2019

Como declarar o imposto de renda 2019: tudo que você precisa saber para prestar contas ao Leão

Neste guia, você encontra o caminho das pedras para preencher e entregar a sua declaração de imposto de renda, mesmo que seja a sua primeira vez

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu