Menu
2019-04-04T14:18:55+00:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Saldão no mercado

BNDES deve mesmo vender R$ 12 bilhões em ações que hoje são controladas pelo BNDESPar

Projetos vão causar grandes movimentos na bolsa, já que o banco é um dos maiores investidores institucionais do Brasil

6 de dezembro de 2018
15:09 - atualizado às 14:18
Dyogo Oliveira
Dyogo: "o banco que vou entregar está financeiramente saudável e se tornou mais ágil" - Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil -

O pessoal do BNDES está mesmo decidido a vender boa parte das ações que hoje estão nas mãos do BNDESPar. Isso porque o presidente do banco, Dyogo Oliveira, reafirmou nesta quinta-feira, 6, que a meta é vender cerca de R$ 12 bilhões em participações acionárias. Esse é um daqueles projetos que podem causar movimentos grandes na bolsa, já que o banco é um dos maiores investidores institucionais do Brasil.

Segundo Dyogo, até outubro, a BNDESPar vendeu R$ 8 bilhões. O destaque foram as vendas de ações da Petrobras, concentrados no primeiro semestre, como já mostraram as demonstrações financeiras do banco. Houve mais vendas em novembro, mas Oliveira não quis detalhar valores.

Mais dinheiro para o governo?

Em evento no Rio de Janeiro, Dyogo aproveitou para dizer que a transição no comando do BNDES (que passará a ser presidido por Joaquim Levy) está indo "superbem". Falando em futuro, ele evitou detalhar o debate sobre ampliação do valor a ser devolvido pelo BNDES ao Tesouro em 2019, mas sinalizou que as estimativas do valor que o banco poderá desembolsar no próximo ano dependerá disso.

"O BNDES pode aumentar um pouco o desembolso, mas a nossa principal aposta é que haja um crescimento da participação do mercado privado no financiamento ao investimento", Dyogo Oliveira, presidente do BNDES.

Questionado sobre de quanto poderia ser o aumento do desembolso, o executivo respondeu: "Depende um pouco dessa questão da devolução."

A ampliação nas devoluções do BNDES é uma das estratégias da equipe do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, para reduzir a dívida pública bruta.

O diretor de Finanças do BNDES, Carlos Thadeu de Freitas, estimou em entrevista ao Broadcast/Estadão no mês passado que seria possível ampliar a devolução em R$ 40 bilhões, além dos R$ 26,6 bilhões já acordados com o Tesouro, se os desembolsos do BNDES em 2019 ficarem entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões.

Nesta quinta-feira, Oliveira reafirmou a expectativa de desembolsos na casa de R$ 70 bilhões também em 2018.

Agilidade e eficiência

Dyogo teve tempo até para vender o seu peixe ao fazer propaganda do tempo médio de análise para aprovar operações diretas no BNDES, que caiu de 250 dias em 2017 para 200 dias em 2018. Segundo o executivo, o aumento da eficiência como um dos pontos positivos de sua gestão.

"O banco que vou entregar teve uma mudança de foco muito importante, que está financeiramente muito saudável e se tornou um banco mais ágil", resumiu. Segundo Oliveira, medidas adotadas em sua gestão levarão a uma redução "ainda maior" no tempo de análise em 2019.

*Com Estadão Conteúdo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Não está sendo fácil

Deu ruim pra Cielo! Empresa retira projeção de lucro e corta dividendos dos acionistas

Projeções de lucro entre R$ 2,3 bilhões e R$ 2,6 bilhões foram extintas, enquanto o percentual de distribuição de dividendos caiu para 30%

Só assim resolve!

Se não aprovar a Previdência, só chamando um ministro da Alquimia, diz Bolsonaro

Segundo presidente, mídia tenta criar atrito, mas casamento com Paulo Guedes segue mais forte que nunca. Ministério da Economia solta nota oficial

Seu Dinheiro na sua noite

Paisagem na janela

O mercado financeiro tem todo um linguajar próprio, com uma penca de termos em inglês. Alguns deles já foram “tropicalizados”, por assim dizer, e fazem parte do dia a dia de quem acompanha as negociações. É o caso do IPO, que é a sigla para oferta pública inicial (ou initial public offering), como é chamada […]

Tudo pelo teto de gastos

FMI diz que ajuste fiscal depende de idade mínima e redução de benefícios de servidores

Fundo afirma que uma reforma robusta e medidas adicionais na área fiscal são necessárias para colocar a dívida pública em trajetória sustentável

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast: Natura e Avon no mesmo pote e o dia depois do ‘tsunami’

Semana foi marcada por negócio bilionário no segmento de beleza, briga pela Netshoes e novidades no front político.

Conquistando aliados

Entidades assinam manifesto pró-reforma da Previdência

Empresários alegam ter confiança na aprovação do texto e dizem que as mudanças são um primeiro passo para a retomada da confiança

Cenário de emprego misto

Caged aponta criação de 129 mil empregos formais em abril; serviços lideram vagas

Resultado divulgado pelo governo, em linha com as expectativas de mercado, foi o melhor para o mês desde 2013

Se quiser ir, vai

Ninguém é obrigado a ficar como ministro, diz Bolsonaro sobre fala de Guedes

Na linha defendida por seu ministro da Economia, presidente voltou a dizer que sem a reforma previdenciária “será o caos na economia”

Privatizações

“Brasil é locomotiva atolada no brejo, precisamos colocá-la sobre os trilhos”, diz Salim Mattar

O secretário responsável pelas privatizações do governo Bolsonaro afirmou mais uma vez que não conhece nenhuma estatal eficiente. “Se alguém encontrar me manda um WhatsApp.”

Mais casos de corrupção

Líder do governo Bolsonaro no Senado está entre os alvos da Lava Jato com bens bloqueados

Senador Fernando Bezerra Coelho é acusar de cometer desvios em negócios relacionados ao esquema de corrupção na Petrobras

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements