Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-07-22T19:38:04-03:00
O Seu Dinheiro na sua noite

Atrás do trio elétrico

22 de julho de 2019
19:38
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Questionado certa vez sobre quem seria o “novo Caetano Veloso”, o cantor e compositor baiano respondeu: “o novo Caetano Veloso sou eu.”

Na época, a música popular brasileira apresentava uma renovação com nomes como Lenine, Zeca Baleiro e, principalmente, Chico César. O paraibano era apontado como o principal candidato a herdar o trono do baiano, graças a sucessos como “À Primeira Vista” e “Mama África”.

Se fosse uma ação, Caetano seria aquela que já subiu bastante e tem uma posição de liderança consolidada. Chico César seria a que traz um produto novo e com potencial de ganhar o mercado das marcas estabelecidas.

Difícil estabelecer uma comparação quando se trata de gostos pessoais. Mas se levarmos em conta um critério objetivo, como o número de execuções no Spotify, quem “investiu” em Caetano se deu melhor do quem apostou em Chico César.

A discussão sobre se uma ação está cara ou barata é constante na bolsa. Ainda mais nesses tempos de rápida mudança nos hábitos do consumidor.

Vejamos o caso dos frigoríficos e empresas de proteína animal. As ações do setor, como JBS BRF, estão entre as maiores altas do ano entre as que fazem parte do Ibovespa, o principal índice da bolsa.

Quem ficou de fora desse rali e pensa em investir deve estar em busca de outras ações com potencial de alta. Mas para os analistas do Itaú BBA, as “novas” JBS e BRF são elas próprias. Isso significa que ainda dá para correr atrás desse trio elétrico, como mostra esta reportagem do Victor Aguiar.

Patina, mas sobe

Eu poderia muito bem copiar o texto de mercados de qualquer outro escrito nos últimos dias. Os investidores seguem com o dedo no gatilho, mas ainda não sabem ao certo se disparam “compra” ou “venda”. Na falta de novidades sobre a reforma da Previdência ou nas disputas comerciais e geopolíticas do governo americano, a bolsa segue patinando, mas hoje encontrou espaço para engatar uma pequena alta. Saiba mais sobre o dia dos mercados na nossa cobertura.

De volta para o futuro

Vem aí a próxima geração da telefonia celular. Trata-se da tecnologia 5G, que vai substituir a rede que leva os dados que compartilhamos em aplicativos como WhatsApp e Facebook. A expectativa é que o leilão das frequências, previsto para acontecer no começo do ano que vem, movimente cerca R$ 20 bilhões. Mas a importância do 5G vai além das cifras e tem o potencial de mudar toda a forma como nos relacionamos com a tecnologia. Quer saber como? Então confira essa entrevista com Vicente Aquino, conselheiro da Anatel.

Onde está o dinheiro?

Quando a situação aperta, a gente já sabe. É hora de cortar aquele almoço fora nos fins de semana, ou aquela carne de primeira no churrasco com os amigos, ou até mesmo a cervejinha no bar. Assim como você, o país passa por apertos e não é de hoje. Para cumprir a meta fiscal, o governo anunciou que vai segurar R$ 1,4 bilhão do Executivo e mais uma boa grana dos demais Poderes. A razão para tal medida é simples, mas, no contexto atual, houve um fator especial que estimulou o contingenciamento, como mostra o Eduardo Campos.

Hakuna Matata

Quem me acompanha há algum tempo aqui no Seu Dinheiro sabe da minha paixão por cinema. Ainda não consegui me programar para acompanhar o remake do clássico O Rei Leão com meus filhos, mas já andei lendo que a nova versão não agradou muito os críticos. Mas os investidores no mercado financeiro não dão muita bola para os especialistas, principalmente quando o público também não liga. O Victor Aguiar fez uma “crítica financeira” sobre as bilheterias e as ações da Disney nas savanas da bolsa de Nova York. Vale a pena a leitura!

Olha o que ele (não) fez

Agora uma breve provocação: você sabe me dizer o que Jair Bolsonarofez de bom desde o início do governo? O Datafolha fez a mesma pergunta em uma pesquisa e constatou que, para 39% da população, o presidente não fez “nada” nesses seis meses que fosse digno de nota. Outros 19% responderam “não saber” quais medidas favoráveis foram tomadas pelo capitão. Mais do que um julgamento sobre o governo, os números mostram que a comunicação ali em Brasília tem espaço para melhorar. Saiba mais sobre o levantamento.

Guerra? Que guerra?

Você já deve ter lido, inclusive aqui no Seu Dinheiro, sobre o tal “risco geopolítico”. Ou seja, da possibilidade de que um conflito armado ou comercial envolvendo os Estados Unidos coloque fim ao período de bonança nos mercados. Na coluna desta semana, o Ivan Sant’Anna nos lembra que crise e mercado financeiro vivem quase sempre juntos. Mas ele não espera nem um agravamento nas disputas entre o país de Donald Trump com a China nem uma possível guerra com o Irã. Saiba as razões no texto (como sempre imperdível) do Ivan.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

UM DOS IPOs DO ANO

Presidente da XP diz que não descarta listar a companhia na bolsa brasileira

O executivo disse que a ideia sempre foi fazer uma listagem no Brasil, visto que a empresa sempre se posicionou “como disruptora do mercado local, democratizando investimentos”

POLÍTICA

Justiça derruba suspensão de deputados do PSL; Joice pode perder liderança

Nesta quarta-feira, Joice foi confirmada líder do PSL na Câmara e em sua primeira coletiva no cargo afirmou que vai buscar uma pacificação na bancada

Até que enfim!

Agência de risco S&P eleva perspectiva para nota do Brasil para “positiva”

Embora atrasada, a decisão da S&P abre caminho para a recuperação no selo de bom pagador do país, perdido em setembro de 2015

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

A última superquarta do ano

Nesta última superquarta de 2019, o mercado ficou em compasso de espera pelas decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, e do Banco Central brasileiro. No meio da tarde, o Fed anunciou a manutenção das taxas de juros, interrompendo um ciclo de três reduções consecutivas. Mas como o resultado já […]

Sessão tranquila

Sem surpresas com o Fed, dólar cai a R$ 4,11 e Ibovespa fecha em leve alta

A primeira parte do script imaginado pelos mercados foi cumprida à risca: o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) manteve a taxa de juros no país na faixa de 1,50% e 1,75% ao ano, conforme era esperado pelos agentes financeiros. E, sem nenhuma surpresa, o dólar à vista encontrou espaço para continuar caindo, enquanto […]

Menor juro da história

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 4,5% ao ano

Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central cortou a Selic mais uma vez

Juros

Banco Central reduz juros para 4,5% ao ano, mas não garante novos cortes

Com a nova redução de 0,5 ponto percentual em decisão unânime tomada pelo Copom, a Selic renova a mínima histórica

Antes tarde do que nunca?

No dia do IPO da XP, CVM lança proposta para facilitar listagem de BDR

Se já estivesse em vigor, a regra permitiria a listagem de recibos de ações da XP na bolsa brasileira. CVM também pretende liberar investimento em BDR para o varejo

SEM BUROCRACIAS

Em evento na CNI, Bolsonaro faz acenos ao empresariado ao criticar “burocracias”

“Cada instrução normativa deve ser muito bem pensada. Deve atender ao interesse do Brasil. Não de grupos”, disse o presidente

MAIS MAGRINHA

Venda de 51% da Gaspetro com 20 distribuidoras deverá ser por IPO, diz Petrobras

“As conversas continuam com a Mitsui e a nossa expectativa é realizar a transação no mercado de capitais. Em 2015 a Petrobras vendeu 49% da empresa para a Mitsui e agora vamos vender nossa parte em bolsa”, disse Castello Branco

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements