Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
2019-05-22T10:31:25+00:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Aproveite a montanha-russa

Veja os destaques do Seu Dinheiro nesta manhã

22 de maio de 2019
10:31
O Melhor do Seu Dinheiro
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Na terça-feira da semana passada (14), escrevi por aqui que pensava em comprar BOVA11, o fundo de índice que tem o Ibovespa como referência. Nas seguintes palavras: “se eu tiver uma brecha entre uma confusão e outra aqui na redação, vou aproveitar a maré baixa para comprar um pouco de BOVA11. Se você ainda acredita no potencial da bolsa de valores e tiver estômago para aguentar os solavancos do mercado, talvez a maldição de maio seja uma 'benção' e um bom ponto de entrada.”

Aquele dia não deu trégua para mim e esqueci completamente do BOVA11.
No dia 14, o Ibovespa fechou aos 92.092 pontos. Chegou a cair mais alguns dias depois e foi abaixo de 90 mil pontos. E nessa hora eu poderia pensar: “ainda bem que eu não comprei”. Nada disso. Ainda estou lamentando… Ontem o Ibovespa fechou em 94.485 pontos.

O índice deu um rápido mergulho e logo voltou. Eu fiquei de fora, mas muita gente graúda aproveitou a queda recente para colocar a bolsa no bolso. O gestor Marcos Mollica, do Opportunity, por exemplo, ampliou a posição comprada em Bolsa e vendida em dólar.

Em entrevista exclusiva ao repórter Eduardo Campos, contou sua estratégia. Ele entende que não é hora de abraçar uma posição e ficar esperando o cenário se materializar. A conjuntura política brasileira e as incertezas da economia internacional prometem muitos altos e baixos do mercado.

Em outras palavras: o gestor do Opportunity quer aproveitar a volatilidade do mercado para ganhar dinheiro. Afinal, o sobe e desce da bolsa abre uma série de oportunidades para aquele trade clássico: comprar na baixa e vender na alta. Se você tem estômago forte, respire fundo e embarque na montanha-russa.

Olho na Taurus

Não durou muito a alegria da Taurus, que ontem divulgou que o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro no último dia 7 dava margem para que pessoas comuns comprassem o fuzil T4, de uso exclusivo de militares e das Forças Armadas. Segundo a empresa, mais de 2 mil clientes já estavam na fila para levar um fuzil para casa. As ações da Taurus embarcaram em um rali após o decreto de Bolsonaro. Só que agora ele foi alterado justamente para vetar o armamento pesado para civis. Fique de olho nas ações da Taurus hoje.

Ficou com a Valid

O governo chegou a uma solução para a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano. A Valid, empresa de capital aberto, será responsável pela diagramação, manuseio, embalagem, rotulagem e entrega aos Correios dos cadernos de provas e instrumentos de aplicação do exame. A solução veio após polêmicas envolvendo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) - que teve quatro presidentes desde a posse de Jair Bolsonaro - e a falência da Gráfica RR Donnelley, responsável até então pelas impressões. Os detalhes da negociação e a reação do mercado você confere aqui.

À espera da autorização para voar

Com a saída iminente da Avianca, há novas empresas de olho no setor aéreo brasileiro. Na tarde de hoje, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deve avaliar um pedido da Air Europa para operar voos domésticos no País. Só que há ainda um entrave regulatório: hoje a legislação veta companhias aéreas estrangeiras no país. A MP que libera o setor para os estrangeiros passou ontem na Câmara, mas ainda precisa ser aprovada pelo Senado.

A reforma do Centrão

Numa tentativa de demonstrar que o Congresso tem agenda econômica própria, a Câmara dos Deputados decidiu levar adiante sua própria reforma tributária. Sem aguardar o texto em elaboração pela equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, os deputados querem votar hoje a admissibilidade da proposta na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). No entanto, Maia (que ontem rompeu publicamente com o líder do governo na Casa, Major Vitor Hugo) tem um acordo com Guedes para que a discussão sobre impostos só chegue ao plenário após a votação da reforma da Previdência.

A Bula do Mercado: foco na agenda positiva

A movimentação intensa em Brasília, com a votação de diversas medidas na Câmara, cria expectativas para o andamento da reforma da Previdência e ajuda a criar um ambiente mais favorável aos negócios.

Os deputados parecem mais dispostos a apreciar medidas de interesse do Executivo. Ontem, foi aprovada a MP que libera a participação de 100% de capital estrangeiro na aviação. A expectativa hoje está na votação da MP 870, que reestrutura o número de ministérios. Na CCJ da Câmara, a reforma tributária deve avançar, mesmo sem ouvir a posição do governo sobre a pauta.

Enquanto isso, o exterior pode acabar minando o otimismo local. As idas e vindas da guerra comercial confirmam a percepção de que a disputa pode terminar sem vencedores, inibindo o apetite por ativos de risco. Os índices futuros amanheceram no vermelho em Nova York e as bolsas asiáticas operaram com cautela.

Ontem, o Ibovespa fechou o dia com alta de 2,76%, aos 94.484,63 pontos, o melhor pregão em dois meses. O dólar encerrou a sessão com queda de 1,36%, a R$ 4,0478. Consulte a Bula do Mercado para saber o que esperar de bolsa e dólar hoje.

Agenda

Índices
- CNI divulga dados da indústria brasileira em abril
- Reino Unido divulga inflação de abril
- Banco Central divulga dados semanais sobre o fluxo cambial

Mercados
- Cade faz sessão ordinária em Brasília e pode votar caso envolvendo Petrobras e Comgás

Bancos Centrais
- Fed divulga ata de sua última reunião de política monetária

Política
- Comissão especial da reforma da Previdência na Câmara faz audiência pública sobre a aposentadoria rural
- CCJ da Câmara deve votar proposta de reforma tributária
- Theresa May responde a perguntas no Parlamento

 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O CLIMA ESQUENTOU

Bolsonaro ameaça demitir Levy por nomeação de diretor que trabalhou no governo PT

Na sexta-feira, 14, durante café da manhã com jornalista, Bolsonaro demitiu o presidente dos Correios, general Juarez Cunha

RALI

Nada de Bitcoin: criptomoeda que valorizou 330% em 2019 tem outro nome

Segundo analistas, há pelo menos duas razões claras para o movimento de alta do Litecoin. Entenda o que está causando esse fenômeno

ENTREVISTA

“Não vou impor uma solução e destruir a reforma”, diz Samuel Moreira

Relator da proposta conta ter abdicado inclusive de convicções próprias em favor da construção de um texto com apoio suficiente das lideranças

NOS TRILHOS

Rumo avaliará participar de Fiol e Ferrogrão

Ferrovias estão entre os mais importantes projetos ferroviários para o escoamento de commodities, como grãos e minério de ferro, do Brasil

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: Sai da minha aba, Estado

O Estado é aquele gigante metido que mais atrapalha do que ajuda. Os empreendedores precisam tirar ele do seu caminho. Confira as mais lidas da semana no Seu Dinheiro

O FRUTO DA CANNABIS

Cofres cheios de verde: Colorado atinge US$ 1 bilhão em arrecadação com maconha

Pioneiro na legalização do comércio da erva, estado americano comemora cifra e quer atrair empresas para expandir e lucrar ainda mais com o setor

MAIS UM PRA CONTA

Bolsonaro demite terceiro militar em uma semana

Segundo o presidente, Cunha “foi ao Congresso e agiu como sindicalista” ao criticar a privatização da estatal e tirar fotos com parlamentares da oposição

"Cash is king"

O risco “oculto” que deixa até famílias ricas sem dinheiro para pagar as contas

Já pensou ter milhões em imóveis, mas nem um tostão para o dia a dia? A falta de liquidez é um vilão até para os mais ricos. Saiba como fugir dessa armadilha

Olha ele aí

Michael Klein confirma compra de 1,6% de ações da Via Varejo em leilão da B3

Com o movimento, Klein agora se torna o maior acionista de referência da companhia de varejo

De costas para o ministro

Ramos: não nos contaminaremos pela fala de Guedes num momento bom da reforma

Ministro da Economia, Paulo Guedes, fez críticas nesta sexta-feira, 14, aos deputados depois da apresentação do relatório da reforma

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements