Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
2019-05-27T10:16:50+00:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Algo cheira mal no país

Veja os destaques do Seu Dinheiro nesta manhã

27 de maio de 2019
10:16
O Melhor do Seu Dinheiro
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Tenho que falar de um cheiro ruim que está no ar. Não, não me refiro (ainda) ao clima político do Brasil ou a alguma traquinagem de empresa corrupta. É o esgoto nas ruas mesmo. Você sabia que um terço das residências no Brasil não tem escoamento para a rede geral? Pois é...

O saneamento é provavelmente um dos setores com menor presença da iniciativa privada. Os serviços públicos estão nas mãos de estatais que não dão conta do recado. Falta dinheiro público para fazer os investimentos que o país precisa e uma regulação retrógrada dificulta a entrada da iniciativa privada.

O Congresso parece ignorar o odor desagradável das ruas. Uma medida provisória que traz um novo marco regulatório para o setor deve caducar na semana que vem. É água no chope (ou seria esgoto…) para quem esperava um sinal verde para investir em um setor que tem quase tudo para fazer.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A mudança também poderia dar combustível para as ações das estatais de saneamento, como Sabesp e Copasa. A repórter Daniele Madureira conta o que está em jogo e qual o impacto para as ações na bolsa nesta reportagem.

Multidão verde-amarela

A Copa América ainda não começou, mas os brasileiros já tiraram do armário suas camisas verde-amarelas e foram para as ruas. É uma demonstração de que a população está disposta a sair de casa e cobrar a classe política. No domingo, milhares de pessoas participaram de atos a favor do presidente Jair Bolsonaro e em defesa de pautas como a reforma da Previdência. Nos cartazes das ruas, apareceram também cobranças ao Congresso e críticas ao Centrão. Como bem apontou o Eduardo Campos, mais importante que o fato, são as versões do fato e suas possíveis consequências. Veja a análise do Edu sobre as interpretações para os atos de domingo.

Mercado tirou a camisa

A avaliação do governo entre agentes do mercado financeiro desabou. É o que mostra uma sondagem feita pela XP Investimentos, entre os dias 22 e 24. Segundo levantamento, a percepção “ótima ou boa” do governo caiu de 86% dos entrevistados em janeiro para 14%. Enquanto isso, o nível de "ruim ou péssimo" saltou de 1% para 43%. Confira os números.

Cada vez pior

Não é mais surpresa que a confiança na capacidade de crescimento da economia brasileira não é das melhores. O boletim Focus, publicação semanal do Banco Central que reúne estimativas de economistas, projeta agora uma alta de 1,23% no PIB do País em 2019, ante 1,24% da semana passada. Essa é a 13ª queda consecutiva da projeção dos especialistas.

Magalu reage

Após a Centauro entrar na briga pela Netshoes na quinta-feira, o Magazine Luiza reagiu. A varejista elevou em 50% a oferta pelo site de produtos esportivos, para US$ 3,00 por ação. É mais do que os US$ 2,80 que a Centauro ofereceu. Vale lembrar que na semana passada as ações da Netshoes dispararam depois da oferta da Centauro. Hoje elas devem buscar o patamar da nova proposta do Magalu. A briga deve seguir até o dia 30, quando os acionistas da Netshoes se reúnem em assembleia.

A Fiat está de olho na Renault

A tendência de consolidação no setor automotivo segue forte. A Fiat Chrysler (FCA), anunciou hoje uma proposta de fusão com a Renault. Se o acordo for concretizado, a nova empresa será a terceira maior montadora do mundo em produção e terá valor de mercado de cerca de US$ 37 bilhões. A proposta ainda será avaliada pelo conselho de administração da Renault.

Trump quer mais briga

Em mais um capítulo da guerra comercial entre China e Estados Unidos, o presidente Donald Trump disse hoje que seu governo ainda não está pronto para fechar um acordo com os chineses. Trump, porém, ressaltou acreditar que os dois países chegarão a um entendimento no futuro. A afirmação foi feita durante visita ao Japão. Na ocasião, o presidente americano afirmou também que Washington fechará um acordo com Tóquio.

A Bula do Mercado: foco na política interna

A semana começa com o noticiário político local em destaque. Feriados no exterior deixam as sessões esvaziadas, dando espaço para o mercado local repercutir as manifestações do último domingo. Os protestos não foram tão fortes quanto os ocorridos em 15 de maio, mas o governo espera que os atos pressionem a aprovação de medidas no Congresso. Para os investidores, o que importa não é a dimensão das manifestações, mas sim as suas demandas.

Os feriados que paralisam as bolsas nos Estados Unidos e no Reino Unido enxuga a liquidez dos mercados. Na Ásia, os investidores elevam a cautela em meio à visita de Donald Trump ao Japão. Já na Europa, as principais bolsas começam a semana em alta, refletindo o resultado das eleições do Parlamento Europeu.

Na sexta-feira, o Ibovespa fechou o dia com queda de 0,30%, aos 93.627,80 pontos, um ganho acumulado de 4,04% na semana. O dólar encerrou a sessão com baixa de 0,80%, a R$ 4,0152, um recuo semanal de 2,07%. Confira a Bula do Mercado para saber o que esperar de bolsa e dólar hoje.

Agenda

Índices
- Às 8h, FGV divulga INCC de maio
- FGV divulga sondagem da construção de maio, às 8h
- Argentina divulga vendas no varejo de março, às 17h
- China: NBS: Índice de gerentes de compras (PMI) industrial de maio, às 22h
- Balança comercial (semanal)
- Feriado mantém fechados mercados dos EUA  e Reino Unido.

Bancos Centrais
- Boletim Focus, às 8h25
- Banco Central divulga transações correntes e investimento estrangeiro de abril, às 10h30.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Mais magrinha

Petrobras negocia venda de participações em áreas onde descobriu gás em SE

Como o foco do seu plano de negócios atualmente é o pré-sal, localizado na região Sudeste do País, o investimento em outras áreas, como em Sergipe, está atrelado à adoção de soluções financeiras que não comprometam o orçamento da companhia e também não gerem mais dívida

EUA x China

Qual o custo da guerra comercial? Para a Huawei, serão US$ 30 bilhões a menos em receita

O presidente da Huawei, Ren Zhengfei, passou estimativas quanto aos impactos que a guerra comercial trará para a empresa. E tanto a receita quanto as vendas internacionais de smartphones serão fortemente afetadas

Grave crise

Odebrecht pode fazer pedido de recuperação judicial nesta segunda-feira

Com dívida de R$ 80 bilhões e com execuções em curso, a empresa está sem alternativas para resolver seu problema de liquidez financeira

em busca da previdência perfeita

Guedes quer ajustar relatório da reforma

Ministro vai buscar negociar ajustes no relatório da reforma da Previdência com o relator da proposta, deputado Samuel Moreira; o relator e o secretário Especial de Previdência, Rogerio Marinho, já conversaram informalmente neste fim de semana

Boas novas!

Nubank levanta R$ 375 milhões para financiar expansão e emplaca captação inédita

A fintech estreou a nova modalidade com uma oferta de R$ 75 milhões e que atraiu cinco investidores institucionais. Na mesma operação, o Nubank captou outros R$ 300 milhões via letras financeiras sênior

em busca do primeiro bilhão

Como Rihanna se tornou a artista feminina da música mais rica do mundo

Cantora pop acumulou uma fortuna de US$ 600 milhões, mas para isso ela teve de investir mais do que em música

segue o jogo

Caso Levy não atinge a Câmara, diz Rodrigo Maia

Maia fez o comentário em entrevista à emissora BandNews ao ser questionado sobre o pedido de demissão do agora ex-presidente do BNDES Joaquim Levy

Cortar ou não cortar?

Ex-diretores do BC se dividem sobre juros

Os que defendem ao menos um aceno ao corte no comunicado dão ênfase à avaliação da modelagem que considera a longa permanência da taxa de desemprego elevada e a ociosidade da economia

No vermelho

Economia parada deixa brasileiro refém das dívidas

Início de ano costuma ser um período de aperto no orçamento por causa do acúmulo de contas a pagar, mas neste ano o movimento está mais forte por causa da estagnação da economia

direto do posto

Etanol recua em 17 Estados e no DF, diz ANP; preço médio cai 0,80% no país

Na média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP houve recuo de 0,80% no preço médio do etanol na semana passada ante a anterior, de R$ 2,859 para R$ 2,836.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements