Menu
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Esteja preparado

A Selic nem subiu ainda e o cenário para alta dos juros ao consumidor já está montado

Custo de captação de recursos pelos bancos cresceu em agosto pela terceira vez nos últimos quatro meses e se igualou a níveis de 2017

26 de setembro de 2018
15:47
Aumento do custo de captação dos bancos acende um sinal amarelo para os consumidores - Imagem: Shutterstock

A alta na taxa Selic pelo Copom ainda está só no campo das ideias, mas muita gente no mercado já começou a aumentar suas tarifas e custos para disponibilizar dinheiro aos bancos. Dados divulgados pelo Banco Central mostram que a taxa paga pelas instituições financeiras paga captar recursos no mercado subiu três vezes nos últimos quatro meses e bancos já estão tendo que lidar com taxas comparáveis a um ano atrás.

No mês de agosto, a taxa paga pelos bancos para conseguir capital no mercado ficou em 6,9% ao ano. O número é  0,2 ponto porcentual superior ao observado em julho e 0,7 ponto maior que o praticado em março e abril, quando a taxa atingiu o menor patamar dos últimos meses. A taxa média de captação do mês passado foi a mesma observada em setembro de 2017.

Esse sinal de mudança pode significar juros mais altos para o consumidor nos próximos meses. O Banco Central, no entanto, nega que exista uma tendência de alta e diz que essa elevação de custos para os bancos podem ser reflexos de incertezas no cenário econômico, com a aproximação das eleições.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu