2022-01-27T12:18:08-03:00
Camille Lima
FIM DO CARPE DIEM

Engole o choro, Zuckerberg: projeto de criptomoeda do Facebook fracassa e é posto à venda

Depois de ter seus planos de criação da Diem frustrados, a Diem Association, fundada pela Meta, está cogitando a venda de seus ativos por cerca de R$ 1 bilhão

27 de janeiro de 2022
12:18
Mark Zuckerberg
Imagem: Shutterstock

Talvez nomear a criptomoeda da Meta (antes chamada de Facebook) como Diem não tenha sido uma das melhores decisões de Mark Zuckerberg.

Afinal, a famosa frase “Carpe diem” (traduzindo para o português, "aproveite o momento") não parece caber muito bem para o projeto, que nem teve tempo de comemorar seu aniversário de dois anos.

Na tentativa de construir seu próprio universo digital no metaverso — um mundo paralelo, que une os dois extremos da realidade, a virtual (VR) e a aumentada (AR) —, o CEO agora vê seus esforços para desenvolver sua própria moeda digital caindo por terra.

Isso porque os planos não aguentaram a pressão de órgãos reguladores e começaram a desmoronar, dando lugar ao adeus ao projeto e cogitando a venda da tecnologia.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Plano frustrado vira plano de venda

Com seus planos frustrados, Mark Zuckerberg não teve alternativa a não ser pensar em vender seus ativos, em um último esforço para capturar qualquer valor que tenha restado.

A Diem Association, do Facebook, passou a conversar com banqueiros de investimento sobre os próximos passos, considerando até mesmo a venda de sua propriedade intelectual, segundo informações da CNBC.

De acordo com o Wall Street Journal, a Diem se prepara para vender seus ativos e sua tecnologia para a Silvergate Capital, sediada na Califórnia, por aproximadamente US$ 200 milhões (ou R$ 1,08 bilhão, caso prefira em reais).

A venda provavelmente vai permitir que a empresa devolva aos seus membros fundadores o capital investido. No início, os membros se comprometeram a pagar US$ 10 milhões para participar.

Para o WST, caso o negócio fosse fechado, a maior incursão em finanças da Meta andaria em direção a uma “conclusão contundente”.

Diem, a nova libra

A Diem Association foi fundada em 2019 pelo Facebook e era apoiada por 25 empresas e grupos sem fins lucrativos. A iniciativa procurava viabilizar a criação e operacionalização do token digital para a criptomoeda.

Desde então, a empresa de Zuckerberg liderou os planos da moeda digital, antes chamada de libra. No começo, a moeda global seria composta por uma cesta de ativos, como dólar e títulos de Treasures.

Depois disso, as ambições do executivo mudaram — e o nome da moeda também: a ideia passou a ser criar uma rede de pagamentos com um stablecoin (ativo digital estável) para cada país, lastreado em dólar. Já o criptoativo assumiu o nome de Diem.

Oposição ao Facebook

Desde o começo, em junho de 2019, o projeto passou por uma forte oposição de formuladores de políticas, como banqueiros centrais e políticos. 

Os gestores tinham medo de que a nova moeda global pudesse desfazer seu controle sobre o sistema monetário, além de facilitar os crimes como lavagem de dinheiro e prejudicar a privacidade dos usuários.

Mark não viu outra solução senão mudar o nome da criptomoeda para Diem, em busca por aprovações regulatórias.

A sua ambição global também foi minada, e Zuckerberg teve que se concentrar nos Estados Unidos, com o lançamento de uma stablecoin em dólar.

Recentemente, seus planos também foram feridos internamente. David Marcus, o executivo de tecnologia financeira do Facebook responsável por supervisionar o desenvolvimento da Diem, anunciou sua saída da empresa para começar a trabalhar em algo novo.

*Com informações de The Wall Street Journal e CNBC

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

OS SOBREVIVENTES

Putin vê mais um primeiro-ministro britânico cair, mas ainda precisa comer muita farinha antes de alcançar a rainha Elizabeth II

7 de julho de 2022

Boris Johnson é o quinto primeiro-ministro a cair com Putin na presidência da Rússia, mas a monarca britânica já viu muito mais que isso

FINO EQUILÍBRIO

Bitcoin (BTC) tenta começar o segundo semestre com o pé direito e criptomoedas acumulam altas na semana; confira oportunidades

7 de julho de 2022

Na semana, a maior criptomoeda do planeta acumula avanço de mais de 8%, mas investidores continuam à espera de um milagre

REESTRUTURAÇÃO

TIM anuncia plano de transformação: confira se as mudanças vão atingir os negócios da TIM Brasil (TIMS3)

7 de julho de 2022

A reestruturação tem o objetivo de reduzir a dívida da operadora na Itália; as operações no Brasil não serão afetadas, de acordo com a TIM

RECONECTANDO

Após três semanas fora do ar, Binance volta a negociar criptomoedas em reais; problemas com BC serão resolvidos com nova parceira?

7 de julho de 2022

Em nota enviada à reportagem, a exchange afirma que “atua em total acordo com o cenário regulatório do Brasil”

O PIOR JÁ PASSOU?

As ações da Cielo (CIEL3) já subiram 74% neste ano. Para o JP Morgan, o papel pode avançar ainda mais

7 de julho de 2022

O banco americano revisou o preço das ações da Cielo (CIEL3) para R$ 5,50, um potencial de valorização de 44,3%; a recomendação é de compra