Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2022-01-17T17:14:23-03:00
Carolina Gama
GESTORA

Adeus ou até logo? ‘Monstro do Leblon’ vende mais ações, e Banco Inter (BIDI11) dispara após novo leilão na B3

O Ponta Sul já havia se desfeito de units do banco digital na semana passada, quando reduziu a participação de 12% para 7%

14 de janeiro de 2022
17:34 - atualizado às 17:14
Sede do Banco Inter stone
Sede do Inter - Imagem: Divulgação

Ao que tudo indica o "Monstro do Leblon" atacou novamente em uma possível tentativa de estancar perdas e fazer caixa. A gestora carioca Ponta Sul, de Flávio Gondim, teria voltado a se desfazer de units do Banco Inter (BIDI11). 

Um novo  leilão nesta sexta-feira (14) movimentou 300 milhões de ações do banco digital, com um giro de R$ 700 milhões, e o mercado especula que o Ponta Sul esteve mais uma vez na ponta vendedora.

Após o leilão e sem pressão sobre os papéis, BIDI11 voltou a subir e encerrou o dia com avanço de 7,92%, a R$ 23,85 - a maior alta do dia na bolsa. Antes do leilão, os papéis recuavam mais de 3%.

Dessa vez, a operação começou com 20 milhões de units a R$ 19 e chegou ao final com 30 milhões de units a R$ 23,50 cada, segundo informou o site Brazil Journal.

Monstro de garras afiadas

Toda vez que as ações do Inter apresentam uma trajetória incomum, as atenções do mercado se voltam para o Ponta Sul e Gondim, também conhecido como “Monstro do Leblon”.

Na semana passada, a gestora carioca vendeu R$ 740 milhões em ações do banco digital, fazendo com que sua participação caísse de 12% para 7%

No auge, a fatia no Inter chegou a 20%. Com o leilão de hoje, a tendência é que esse percentual volte a cair. 

Banco Inter e o 'Monstro do Leblon'

Gondim ganhou o apelido de “Monstro do Leblon” pela forma agressiva como opera no mercado, com posições bastante alavancadas — maiores que o patrimônio do fundo.

O Ponta Sul entrou em 2021 com R$ 3,3 bilhões, mas, no dia 6, o patrimônio da carteira chegou a cair para R$ 788 milhões, uma desvalorização de 76% em 12 meses, de acordo com dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). No último dia 12 estava em R$ 1 bilhão

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Sinal amarelo

Marfrig (MRFG3) confirma participação em oferta da BRF (BRFS3), mas não poderá assumir o controle da empresa; entenda

Segundo um comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários hoje, as compras da Marfrig estarão limitadas a sua participação acionária atual

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa no azul apesar da volatilidade, bitcoin no vermelho e imbróglios com FII e Oi: o que marcou o mercado nesta sexta

Numa semana marcada pela escalada das tensões entre Rússia e Ucrânia, decisão de juros nos Estados Unidos e um discurso mais hawkish (duro contra a inflação) por parte do presidente do banco central americano, Jerome Powell, o Ibovespa conseguiu, mais uma vez, acumular alta. E as bolsas americanas – pasme – também. A sexta-feira (28) […]

DESINVESTIMENTOS

Em negócio bilionário, Petrobras (PETR4) vende ativos na Bacia Potiguar para subsidiária da 3R Petroleum (RRRP3); saiba quanto entrou nos cofres da estatal

A bola da vez é um conjunto de 22 concessões de campos de produção terrestre e de águas rasas, juntamente à sua infraestrutura de processamento, refino, logística, armazenamento, transporte e escoamento

SACO DE PANCADAS PRESIDENCIAL

Petrobras (PETR4) recua quase 4% após críticas de Lula; petista condenou pagamento de dividendos e política de preços da estatal

Embalados pela alta do petróleo, os papéis operavam em alta mais cedo, mas, após a nova rajada de críticas, passaram a registrar uma queda brusca

Fechamento da semana

Ibovespa tem dia de realização de lucros e fecha em queda, mas acumula alta de 2,72% na semana; dólar fecha em R$ 5,39

Semana foi marcada pela volatilidade nas bolsas internacionais, mas estrangeiro continuou buscando ações brasileiras

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies