2022-01-28T17:23:14-03:00
Camille Lima
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
MERCADOS HOJE

Ibovespa recua em dia de realização de lucros, apesar de alta em NY; dólar fecha abaixo de R$ 5,40

Inflação americana em linha com o esperado tirou um pouco da pressão das bolsas, e no início da tarde, bolsas americanas passaram a subir

28 de janeiro de 2022
10:34 - atualizado às 17:23
Imagem: Shutterstock

O Ibovespa bem que tentou subir, mas o mau humor externo contaminou os negócios por aqui, e após uma semana positiva, o principal índice da B3 se firmou em queda no fim da manhã desta sexta-feira (28).

Perto das 17h, o Ibovespa recuava 0,66%, aos 111.864 pontos. Ainda assim, o índice caminha para fechar a semana em alta. Já o dólar à vista fechou em baixa de 0,62%, a R$ 5,39.

As bolsas internacionais começaram o dia no vermelho, o que fez a bolsa brasileira virar o sinal por aqui. As bolsas europeias fecharam em baixa, mas perto da hora do almoço, Nova York virou para o azul. Mas depois de tantos pregões em alta, o Ibovespa não conseguiu acompanhar, e hoje passa por uma realização de ganhos.

Os dados de inflação medidos pelo PCE, índice usado como referência pelo Federal Reserve para a política monetária americana, vieram em linha com o esperado, o que tirou um pouco a pressão de Wall Street e também sobre a moeda americana.

Os bons resultados da Apple puxam o Nasdaq. Há pouco, o Dow Jones subia 0,63%, o S&P 500 tinha alta de 1,20%, e o Nasdaq ganhava 1,65%.

Os juros futuros por aqui passaram o dia em queda, seguindo o desempenho do dólar e beneficiados também pelo IGP-M abaixo do esperado e pelo veto do presidente Jair Bolsonaro à PEC dos Combustíveis, o que tirou um pouco a pressão sobre o fiscal.

Na reta final, porém, as taxas mais curtas viraram para alta e fecharam com movimento levemente positivo. Veja os fechamentos dos principais vencimentos:

  • Janeiro/23: alta de 12,233% para 12,245%;
  • Janeiro/25: alta de 11,318% para 11,35%;
  • Janeiro/27: queda de 11,327% para 11,325%.
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

Inflação dos EUA

O índice de preços de gastos com consumo, conhecido como PCE, subiu 0,4% em dezembro ante novembro. O núcleo do índice, que exclui itens voláteis, como alimentos e energia, avançou 0,5%, em linha com as projeções do mercado. Em termos anuais, o PCE aumentou 5,8%, e seu núcleo, 4,9% em dezembro.

O segmento Renda Pessoal teve alta de 0,3%, levemente abaixo do esperado pelos analistas do The Wall Street Journal, que era de alta de 0,4%, enquanto os gastos com consumo caíram 0,6%, contra uma previsão de recuo de 0,7%.

O fato de que o indicador veio em linha com as expectativas do mercado traz certo alívio para os ativos de risco, indicando que o Federal Reserve não precisará de uma postura ainda mais dura na política monetária.

Na última quarta-feira, o banco central americano já havia sinalizado uma possível alta dos juros já na reunião de março, quando também seria encerrada a compra de ativos.

O presidente da instituição, Jerome Powell, manifestou em seu discurso grande preocupação com a inflação, e disse que havia muito espaço para aumentar os juros sem afetar o mercado de trabalho, o que deixou o mercado em alerta.

PEC dos combustíveis

No cenário doméstico, destaque para a desistência do governo federal de criar um fundo de estabilização dos preços dos combustíveis, na tarde de ontem.

Com a decisão, a PEC dos Combustíveis, proposta de emenda à constituição que se propõe a baixar os preços dos combustíveis por meio de corte de impostos federais, conseguiria abranger apenas o óleo diesel e o gás de cozinha.

De acordo com o jornal Valor Econômico, Bolsonaro acabou por vetar a PEC em reunião com seus ministros e os desautorizou a avançar com a proposta. 

Resultado do Tesouro

As contas do Governo Central registraram déficit de R$ 35,073 bilhões em 2021, equivalente a 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB). Foi o menor déficit primário desde 2014. Já as contas do Tesouro Nacional - incluindo o Banco Central - registraram um superávit primário de R$ 212,265 bilhões em 2021.

Dados de emprego e IGP-M

A agenda econômica interna desta sexta-feira reserva ainda os números do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), divulgados pela FGV, e os dados de desemprego pela Pnad Contínua de novembro, publicados pelo IBGE.

A inflação medida pelo IGP-M avançou 1,82% em janeiro, uma aceleração em relação ao índice de 0,87% em dezembro. Ainda assim, o resultado ficou abaixo da mediana das expectativas do mercado colhidas pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Estadão, que era de 2,00%, variando de 0,80% a 2,34%.

O IGP-M em 12 meses desacelerou de 17,78% em dezembro para 16,91% em janeiro, também abaixo da mediana do levantamento, que era de 17,10%.

A taxa de desemprego caiu de 12,1% no trimestre encerrado em outubro para 11,6% nos três meses terminados em novembro, em linha com as projeções dos analistas consultados pelo Broadcast.

A renda mostrou forte queda de 4,5% no comparativo trimestral e de 11,4% na base anual, com o Rendimento Médio Real Habitual fechando em R$ 2.444,00.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

NOVO MODELO DE NEGÓCIOS

Varejo adota ‘loja-contêiner’ para fugir dos custos de shoppings e aluguéis; conheça o que são os estabelecimentos modulares

A estreante no formato é a Chilli Beans, de óculos de sol. “Acho que não teria uma Eco Chilli se não houvesse pandemia”, afirma o CEO, Caito Maia

NÃO MEXE NO MEU QUEIJO

Membros do mercado financeiro defendem Lei das Estatais em documento enviado ao ao Congresso; revogação seria ‘retrocesso’

O texto também cita o relatório de 2020 em que a OCDE afirma que a Lei das Estatais deixou os conselhos de empresas públicas mais independentes de interferências

NESTA SEGUNDA-FEIRA

Governador de São Paulo fará coletiva nesta segunda-feira após Bolsonaro aprovar isenção do ICMS sem garantia de compensação aos estados

O presidente da República vetou o fundo de ajuda aos estados após sancionar o teto do imposto estadual

SEU DOMINGO EM CRIPTO

‘Compre na baixa’ anima e bitcoin (BTC) busca os US$ 22 mil; criptomoedas aguardam semana de olho no Fed

Entre os destaques da próxima semana estão o avanço dos juros nos Estados Unidos e um possível default da Rússia

DE OLHO NO FUTURO

Goldman Sachs quer entrar no mundo da ‘renda fixa’ em criptomoedas e lidera grupo para comprar a Celsius por US$ 2 bilhões

O staking vem crescendo nos últimos meses e é motivo de certa preocupação após o caso da Celsius — e o banco de Wall Street quer um pedaço dele