Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-27T15:11:51-03:00
Maria Eduarda Nogueira
Podcast Mesa pra Quatro

Ficar rica nunca passou pela minha cabeça, diz Fafá de Belém

No podcast Mesa pra Quatro, a cantora paraense revela ser uma pessoa tradicional no mundo das finanças e tece críticas à indústria musical

15 de agosto de 2021
10:43 - atualizado às 15:11
Fafá de Belém, cantora
Imagem: Divulgação

Fafá de Belém é, sobretudo, uma pessoa autêntica. E ela faz questão de reforçar isso: “A minha vida é muito clara. Eu não faço o que eu não acredito”. Em novo episódio do podcast Mesa pra Quatro, apresentado por Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, a cantora fala sobre sua relação com dinheiro, “puxa a orelha” das plataformas de investimentos, comenta sobre o cenário musical e muito mais. 

Você pode dar play abaixo ou procurar por “Mesa pra Quatro Empiricus” na sua plataforma de podcasts preferida:

Quanto ao dinheiro, Fafá de Belém diz: “Sempre gastei tudo”

Após receber seu primeiro cachê, com 18 anos, Fafá foi direto abrir uma conta no banco. A emoção de receber seu primeiro talão de cheque foi inesquecível, como ela mesmo relata. Desde então, a cantora já recebeu muitos cachês e se tornou um nome importante da música brasileira. Apesar de sempre ter amado cantar, desde os 9 anos de idade, ela conta que nunca tinha se imaginado como cantora profissional.

“Duas coisas nunca passaram pela minha cabeça: vou ficar rica ou vou me casar”, diz Fafá de Belém ao Mesa pra Quatro. 

A paraense afirma que sua relação com dinheiro sempre teve muito a ver com a independência e liberdade financeira, para não ter que pedir emprestado para ninguém. Além disso, ela revela não ter grandes conhecimentos sobre grana e que sempre “gastou tudo”. 

Vinda de família portuguesa, Fafá de Belém se define como uma pessoa tradicional no mundo das finanças. Ela afirma que gosta de ter imóveis como investimentos. E esse não é seu único investimento “físico”. Ela também já comprou jóias, mas infelizmente foi roubada. Até antes da pandemia, a cantora ainda usava cheques como forma de pagamento. 

Para ela, “2020 foi um ano de muita aprendizagem”, incluindo em termos de grana. A cantora relata que sofreu algumas “rasteiras” e afirma: “O artista é facilmente lesado porque ele não está tocando a vida dele”. 

Tanto na música quanto nos investimentos, é preciso pensar no público mais velho

Durante 2020, Fafá de Belém teve que se dedicar para aprender a mexer em aplicativos e plataformas de investimento, com ajuda de suas netas e filha. Por isso, ela “puxa a orelha” e diz que é preciso olhar para o público mais velho. Tanto no mundo dos investimentos quanto no próprio cenário musical. 

A cantora relata que, na diversidade de lives promovidas por cantores de sertanejo e funk, resolveu fazer lives focadas no público 60+, mas teve dificuldade de encontrar patrocinadores no início. Em sua opinião, os departamentos de marketing, compostos por muitos jovens, acabam deixando a audiência mais velha de lado. 

Fafá também é bem enfática ao tecer críticas ao seu mercado de trabalho. “O negócio da música não tem nada a ver com a música”, diz ela. Além disso, a paraense também diz reprovar as práticas de algumas plataformas de streaming, que não creditam os nomes de todos os músicos envolvidos nas músicas. 

“Eu acho que as gravadoras perderam a ousadia, perderam o criativo”, afirma Fafá de Belém.

A cantora, que está passando um tempo em terras portuguesas, finaliza sua participação no podcast afirmando: “eu acho que o Brasil tem que olhar Portugal com mais respeito em relação às artes, à cultura, à música”

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mais uma na lista

Corretora de criptomoedas Huobi Global, uma das maiores do mundo, restringe negociações na China

A plataforma também informou que retirará gradualmente as contas existentes no gigante asiático até o fim de 2021

Uma nova gigante tech

Infracommerce (IFCM3) dispara 10% com “aquisição transformacional”; outras techs sentem o baque e caem

A Infracommerce (IFCM3) acertou a compra da Synapcom, ganhando escala no B2B — e pagando um preço relativamente baixo pela rival

NOVO SUSTO

Em crise de liquidez, concorrente da Evergrande esboça pedido de apoio a governo de cidade chinesa

Notícia provocou queda acentuada nas ações da Sunac, que fecharam hoje no nível mais baixo em 4 anos

Crédito disponível

Com juros salgados, Caixa libera empréstimo de até R$ 1.000 no aplicativo Caixa Tem; veja condições

O crédito ficará disponível para assalariados, autônomos, beneficiários de programas sociais e de políticas públicas de distribuição de renda

Bolsa hoje

Destaques do Ibovespa: frigoríficos e empresas ligadas a commodities lideram altas em dia de recuperação; Locaweb (LWSA3) é maior queda

Confira os destaques do pregão desta segunda-feira (27) e não deixe de acompanhar as principais notícias do dia na nossa cobertura de mercados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies