2021-11-22T13:26:39-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
VÍDEO

A Oi (OIBR3 e OIBR4) do futuro: cinco pontos para entender a reestruturação da empresa

A Oi (OIBR3 e OIBR4) está perto de concluir a recuperação judicial; neste vídeo, listamos 5 pontos para entender o futuro da empresa

25 de outubro de 2021
15:50 - atualizado às 13:26

A Oi (OIBR3 e OIBR4) está em recuperação judicial desde 2016 — quando deu entrada no pedido, suas dívidas chegavam à impressionante marca de R$ 65 bilhões. Mas, passados cinco anos desde o começo do processo, a empresa está cada vez mais próxima de uma volta por cima: vendeu ativos, equacionou os compromissos financeiros e reestruturou as operações. Levando em conta toda essa mudança, preparamos um vídeo com os cinco pontos fundamentais para entender o futuro da Oi:

A questão fundamental diz respeito ao novo modelo de operação da Oi daqui para frente: ela deixará o segmento de telefonia móvel, focando-se na prestação de serviços de internet e conectividade ultra rápida aos consumidores residenciais, via fibra ótica.

Pois é: os dias da Oi enquanto operadora de celular ficaram para trás. Tanto é que a divisão de telefonia móvel já foi vendida para um consórcio formado por Vivo, Tim e Claro; o programa de desinvestimentos também incluiu torres, data centers, imóveis e outros ativos.

Oi, BTG e V.tal: a infraestrutura da fibra

Outra questão crucial é a parceria com o BTG na V.tal, empresa de infraestrutura de fibra ótica. A Oi vendeu 57,9% da companhia ao banco, por R$ 12,9 bilhões — a entrada de um novo investidor é fundamental para viabilizar a expansão da V.tal e a instalação de uma rede cada vez maior de cabos.

Essa rede, aliás, é neutra: a fibra ótica da V.tal podendo ser usada por quaisquer provedoras de conectividade banda larga. Assim, a Oi vai atuar tanto na infraestrutura da fibra quanto na prestação de serviços de internet através da rede passada pela V.tal.

Os R$ 12,9 bilhões arrecadados com a venda do controle da V.tal somam-se aos R$ 16,5 bilhões arrecadados com o leilão da divisão de telefonia móvel, compondo os dois elementos principais do programa de desinvestimentos. Ao todo, as vendas de ativos já movimentaram R$ 34,6 bilhões.

Alguns desses processos ainda dependem da aprovação dos órgãos regulatórios

OIBR3 e OIBR4: para onde vão as ações

As ações da Oi, tanto as ONs (OIBR3) quanto as PNs (OIBR4), estão entre as preferidas dos investidores pessoa física: ambas são baratas e estão cotadas abaixo dos R$ 2,00; além disso, o progresso rápido na venda de ativos e a expectativa de término da recuperação judicial fazem com que muitos tenham interesse em montar posição para aproveitar uma eventual valorização intensa dos papéis.

Dito isso, há um evento importante no horizonte da Oi e que tende a mexer com os papéis no curto prazo: o parecer do Cade quanto à venda da divisão de telefonia móvel para Tim, Vivo e Claro. O órgão já sinalizou que essa é uma transação complexa; a aprovação ou não é vista pelo mercado como um 'divisor de águas' na tese de investimento.

Para saber os detalhes dessa questão e os demais pontos importantes para entender o futuro da Oi, basta dar play no vídeo:

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

FIM DA SUSPENSÃO

Volta do sistema do Banco Central para consulta de dinheiro ‘esquecido’ em bancos já tem data marcada; veja quando o SVR estará novamente no ar

Quem tiver valores a receber também será informado sobre a data em que poderá solicitar a transferência dos recursos para sua conta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa resiste em alta, as ofertas de ações da Arezzo e da Equatorial e uma pedra no sapato dos FIIs: veja as principais notícias desta quinta

Após o discurso duro do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, na tarde de ontem, o que desencadeou uma forte queda nas bolsas americanas, hoje foi dia de ajuste nas bolsas globais. O Ibovespa começou o dia novamente com uma alta substancial, ainda movido pela entrada de recursos estrangeiros na bolsa brasileira, aproveitando-se dos descontos […]

OLÉ!

Apple dribla crise de chips e justifica protagonismo entre big techs com trimestre histórico; confira desempenho da maçã e a reação do mercado

Os últimos três meses do ano são de extrema importância para a empresa, pois fornece a Wall Street uma visão de como seus produtos podem se comportar no ano seguinte

Fechamento Hoje

Em dia de ajuste pós-Fed, Ibovespa fecha em alta de mais de 1% e testa os 113 mil pontos; dólar cai

Piora em NY chegou a desacelerar as altas na bolsa brasileira, que conseguiu se recuperar na reta final do pregão

QUE GOLAÇO!

Token do Santos será o primeiro a pagar “dividendos” a investidor após negociação do atacante Yuri Alberto; entenda e saiba como receber

Revelado pelo Santos e destaque no Internacional, Yuri Alberto faz parte de uma cesta de atletas que podem gerar algum lucro para quem tiver os Tokens da Vila