2021-09-30T00:17:02-03:00
Fim da pandemia

CEO da Pfizer prevê que voltaremos à vida normal dentro de um ano, mesmo com novas variantes do coronavírus

Albert Bourla acredita que vacinações contra a covid-19 se tornarão anuais, para cobrir novas variantes, e que vacinas durarão um ano

26 de setembro de 2021
18:16 - atualizado às 0:17
Imagem ilustrativa de vacina da Pfizer contra o coronavírus. - Imagem: Shutterstock

O CEO da Pfizer, Albert Bourla, disse neste domingo (26) que acredita que a vida retornará ao normal dentro de um ano, mesmo que novas variantes de coronavírus continuem a surgir no mundo.

"Eu concordo que dentro um ano seremos capazes de retomar a vida normal", disse Bourla em entrevista à emissora americana ABC News. "Eu não acho que isso signifique que as variantes vão parar de surgir, nem que nós seremos capazes de viver nossas vidas sem vacinação", acrescentou.

Segundo Bourla, provavelmente será necessário se vacinar contra a covid-19 todos os anos, a fim de incluir a proteção contra as variantes que surgirem ao redor do mundo.

"O cenário mais provável para mim - já que o vírus se espalhou pelo mundo todo - é o de que nós continuaremos a ver novas variantes surgirem, e também que nós teremos vacinas que vão durar pelo menos um ano", disse o CEO da Pfizer. "Acho que o cenário mais provável são vacinações anuais. Mas nós não sabemos realmente. Precisamos esperar pelos dados."

CEO da Moderna deu previsão semelhante

Na semana passada, o CEO da farmacêutica Moderna - que, assim como a Pfizer, também desenvolveu uma vacina contra a covid-19 -, Stéphane Bancel, já havia dado previsão semelhante de que a pandemia terminaria "em um ano".

"Se você olhar para a expansão da capacidade de produção da indústria nos últimos seis meses, doses suficientes devem estar disponíveis na metade do ano que vem de forma que todo mundo no planeta possa ser vacinado", disse Bancel ao jornal suíço Neue Zürcher Zeitung, segundo a Reuters.

O CEO da Moderna ainda acrescentou que as pessoas que não se vacinarem acabariam "se imunizando naturalmente" porque a variante delta é altamente transmissível.

"Desta maneira, acabaremos numa situação similar à da gripe. Você pode se vacinar e ter um bom inverno; ou não se vacinar e correr o risco de ficar doente e possivelmente até parar no hospital", acrescentou Bancel.

*Com informações do Business Insider.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

MUDANDO A RECOMENDAÇÃO

Itaú BBA vê Gerdau (GGBR4) como ação defensiva, mas a siderúrgica que pode subir mais de 50% é outra; confira as apostas do banco

A queda de mais de 39% das ações da Usiminas abriram um bom ponto de entrada, segundo os analistas do Itaú BBA

Análise SD

Jogou a toalha? Azul (AZUL4) critica plano de recuperação da LATAM e dá a entender que não vai aumentar a proposta

A Latam pretende injetar mais de US$ 8 bi com as medidas de seu plano de recuperação judicial, cifra superior à proposta pela Azul (AZUL4)

bitcoin (BTC) hoje

Alívio com variante da covid-19 chega primeiro ao mercado de criptomoedas e bitcoin (BTC) volta aos US$ 57 mil

O mercado de criptomoedas, que não para nunca, sentiu o alívio ainda no final do sábado (27) e segue em alta hoje

Radiocash

“Esses 4 milhões de pessoas na Bolsa vieram para ficar”, diz Gustavo Cerbasi

Com 16 livros publicados e 1,5 milhão de seguidores no Instagram, o ex-professor universitário encara com cautela a fama, e rejeita alguns rótulos

Ao acionista com carinho

Ação da Petrobras (PETR4) pode render 100% só em dividendos nos próximos cinco anos

Relação ‘risco-recompensa’ é como comparar um formigueiro ao Everest, avalia o UBS