Menu
Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
2021-05-13T14:24:35-03:00
SEXTOU COM O RUY

O que uma pesquisa no Google diz sobre as ações com maior potencial na reabertura da economia

De maneira geral, as pessoas estão com vontade de sair de casa, até mesmo para fazer coisas que nem gostavam tanto assim — como ir ao teatro, no meu caso

14 de maio de 2021
5:52 - atualizado às 14:24
google pesquisa teatro
Imagem: Reprodução

Para ser bem sincero, eu não sou o maior fã de teatro que existe no mundo. Não me entenda mal: respeito muito o trabalho de todos os envolvidos, mas essa simplesmente não é a minha praia. 

Sou mais um cineminha em uma poltrona confortável, com um balde enorme de pipoca na mão, ou então maratonar uma série no domingão tomando a minha cervejinha gelada, fazer o quê?

No entanto, eu me surpreendi comigo mesmo nesta semana. Quando a Paloma me perguntou se poderíamos ir ao teatro quando tudo voltasse ao normal, a minha resposta foi um retumbante "sim, ótima ideia!".

Demanda reprimida

É claro que ainda falta um tempo para que as coisas voltem ao normal por aqui.

Mas essa minha enorme vontade de ver uma peça mesmo sem ser muito fã de teatro mostra muito bem um fenômeno que vai começar a provocar uma mudança de hábitos de consumo que está prestes a acontecer em vários países.

De maneira geral, as pessoas estão com vontade de sair de casa, seja para comer fora, visitar lojas, viajar, curtir uma festa, beber com amigos e até mesmo para fazer coisas que nem gostavam tanto assim (como ir ao teatro, no meu caso).

É verdade que a pandemia provou que podemos fazer quase tudo pela internet  sem sair de casa: pedir comida, comprar roupa, trabalhar, ver filmes, etc. 

Mas, ao contrário do que muitos analistas estão pensando, eu não acho que as pessoas vão deixar de sair de casa simplesmente porque descobriram todas essas facilidades. Por exemplo, os shoppings seguem bastante descontados com essa tese de que as pessoas agora só vão pedir comida pelo app, comprar roupa online e nunca mais vão ao cinema porque descobriram o Netflix.

Não é tão simples! Também somos seres sociáveis e muito curiosos. Precisamos sair com a família, ver amigos, viajar, tocar nos produtos, conhecer pessoas novas, dar risada com os colegas do trabalho na hora do almoço e, apesar de nos ajudar muito, as maravilhas da internet ainda não resolvem todas essas necessidades. 

Se você também pensa dessa maneira, saiba que as ações do Iguatemi (IGTA3) estão bem abaixo dos níveis pré-pandemia.

Eu não estou sozinho

Pelo jeito, eu não sou o único que pensa assim. 

Em um estudo recente, a Arbor Research mostrou que os termos pesquisados no Google por norte-americanos mudaram radicalmente nos últimos meses. 

Enquanto nos primeiros meses da pandemia a procura foi muito grande por  termos relacionados ao confinamento dentro de casa (como equipamentos de exercício, entrega de comida, móveis domésticos, etc), nos últimos meses houve uma migração das buscas para temas relacionados à reabertura (hotéis, restaurantes, cinemas, passagens aéreas, etc).

É óbvio que nem tudo vai voltar a ser como era antes. Algumas mudanças estruturais vão continuar o seu curso, como por exemplo, a digitalização cada vez maior do varejo, que apenas foi acelerada pela pandemia e que continuará beneficiando a Magazine Luiza (MGLU3) no longo prazo. 

Mas essa mudança nos termos pesquisados deixa muito claro que as pessoas não mudaram totalmente seus hábitos só porque tiveram que ficar um ano dentro de casa.

Algumas coisas simplesmente não conseguem ser resolvidas na internet.

Bebendo a água na fonte

A esta altura você deve estar me perguntando: OK, Ruy, mas como eu posso me aproveitar disso?

O shopping Iguatemi, como eu já disse, é uma boa pedida. Mas mais para o médio prazo, dado que ainda é preciso ver um avanço relevante na vacinação aqui no Brasil para reduzir as chances de novas ondas de contágio.

No entanto, se você quer nomes que estão se aproveitando neste momento da reabertura nos Estados Unidos, a série as Melhores Ações do Mundo está com uma carteira muito bem preparada para capturar essa tese.

Lá você vai encontrar uma das companhias que mais se aproveita do aumento dos pagamentos fora de casa, uma empresa de petróleo que se beneficia bastante da retomada da venda de combustíveis para aviões (que finalmente vão voltar para o ar), a grande vencedora do setor de viagens e outra companhia que é destino certo de turistas, além de muitas outras. 

Além dessas ações diretamente ligadas à reabertura, o João Piccioni está convidando você para conhecer outros três papéis nos quais Warren Buffett está apostando pesado atualmente. 

Se quiser conferir de perto cada uma dessas várias oportunidades, deixo aqui o convite.

E lembre-se: um pouco mais de paciência e logo chegará a nossa vez!

Um grande abraço e até a próxima!

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

seu dinheiro na sua noite

IPO da Smart Fit: vai sair da jaula o monstro!

Eu nunca fui muito de academia, confesso. Já tive meus tempos de malhar regularmente, mas nunca consegui tomar gosto pela coisa. Exercícios repetitivos não me cativam, meu negócio sempre foi dançar, de preferência em turma, com professor e horário, se não eu falto. Como você deve imaginar, entre meus colegas jornalistas não é muito diferente. […]

atenção, acionista

Vale eleva valor de dividendo a ser em pago em 30 de junho para R$ 2,189 por ação

No dia 17 de junho, a empresa tinha informado o pagamento de R$ 2,177 de dividendo por ação; demais condições da distribuição não serão alteradas

de olho na inovação

Moeda digital é nova forma de representação da moeda já emitida, diz Campos Neto

Segundo ele, ela não se confunde com os criptoativos, como o bitcoin, que não têm característica de moeda, mas sim de ativos

em audiência

Yellen diz esperar apoio do G-20 para proposta de imposto corporativo global

Grupo das 20 maiores economias do mundo se reúne em julho e deve debater o assunto

retomada

PIB da Argentina sobe 2,6% no 1º trimestre

Na comparação com igual período do ano passado, o avanço foi de 2,5%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies