Menu
O melhor do Seu Dinheiro
Kaype Abreu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-25T12:10:27-03:00
o melhor do seu dinheiro

Mercados na semana: O destino da Evergrande, uma análise da Vale e seis ações indicadas por analistas

25 de setembro de 2021
12:10
fachada da incorporadora chinesa Evergrande
Fachada da Evergrande: na quinta, incorporadora perdeu o prazo de pagamento de um título denominado em dólares.

A semana que termina nos mercados foi marcada pela incerteza quanto ao futuro da incorporadora chinesa Evergrande e seus desdobramentos sobre a economia global.

A crise na empresa, que tem um passivo oscilando à beira da insolvência, é consequência do aperto monetário e regulatório sobre o setor promovido pelo governo chinês desde o final do ano passado para fazer frente à especulação imobiliária.

O temor dos mercados é de que haja uma reação em cadeia, afetando o setor imobiliário e provocando instabilidade social — cerca de 1,5 milhão de pessoas já começaram a pagar por imóveis ainda não entregues pela companhia.

A Evergrande negocia com bancos para evitar o calote da rolagem da dívida. Na quinta, a incorporadora perdeu o prazo para o pagamento de juros de um título denominado em dólares e deixou os investidores estrangeiros no escuro.

Com isso, os mercados voltaram a operar no vermelho durante a sexta-feira, e o Ibovespa terminou o dia em queda de 0,69%, aos 113.282 pontos. Veja nesta matéria os destaques da semana nos mercados.

Ao que tudo indica a crise da incorporadora deve continuar ecoando nas bolsas de todo o mundo. Neste texto você confere quatro possíveis resoluções para o caso da Evergrande.

1 - O que esperar da Vale

A desaceleração da China impacta na demanda por minério de ferro, refletindo nos preços da commodity e na cotação das ações da Vale.

Mas o que é ruído nessa história e o quanto a queda dos papéis é justa? O repórter Victor Aguiar apurou com analistas o potencial da empresa e conta neste vídeo o que ele ouviu.

2 - Três ações promissoras para os próximos três anos

Não dá para prever qual empresa vai ter as melhores oportunidades no longo prazo, mas é possível confiar em uma gestão que saiba aproveitar os momentos inesperados e com grande potencial. É o que diz o colunista Ruy Hungria.

O especialista elencou três ações de companhias com gestão “fora de série”, na avaliação dele. O texto faz parte de uma série especial de aniversário do Seu Dinheiro sobre três investimentos para os próximos três anos.

3 - ESG na carteira

Quem também indicou três ações foi a analista Larissa Quaresma. Ela escolheu empresas que, na visão dela, realmente se importam com as boas práticas ESG e estão a preços convidativos.

A especialista diz também que, antes de a bolsa melhorar, de forma a ser mais corretamente precificada, a situação pode piorar. Por isso, diz ela, é interessante ter algum nível de dólar na sua carteira como, no mínimo, uma proteção. Veja aqui as indicações.

4 - Bitcoin no topo

Todo aniversário do Seu Dinheiro a gente prepara o ranking dos melhores e piores investimentos desde o dia em que o site entrou no ar. A lista deste ano mais uma vez comprova que, apesar de todos os altos e baixos, correr algum risco valeu a pena.

Dos ativos que costumamos acompanhar nos nossos balanços de investimentos, o bitcoin foi disparado o mais rentável dos últimos três anos. Em reais, a principal criptomoeda do mundo rendeu quase 800%, saindo do patamar dos R$ 27 mil para quase R$ 240 mil.

A bolsa não está no pódio, mas aparece em quarto lugar: o Ibovespa acumulou um ganho de quase 44% nos últimos três anos, tendo saltado dos 80 mil para os 114 mil pontos. Veja o ranking.

5 - CDB 100% do CDI pode ser melhor que Tesouro Selic?

Com a taxa Selic elevada nesta semana para 6,25% ao ano, e os investimentos conservadores de renda fixa voltando a ter chance de ganhar da inflação daqui para frente, a sua reserva de emergência não está mais fadada a ficar na "perda fixa".

Se com a Selic nas mínimas não fazia muita diferença em qual aplicação de baixo risco você aplicaria o seu colchão financeiro ou as reservas destinadas a objetivos de curto prazo, agora esse debate volta a fazer sentido. A Julia Wiltgen explica nesta matéria e conta se o CDB 100% do CDI pode ser melhor que o Tesouro Selic.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Ora, pois

Bradesco deve abrir base em Portugal para ‘seguir’ milionários brasileiros

Movimento de migração de famílias clientes do segmento private do banco após a pandemia levou à retomada dos estudos para entrar no mercado lusitano

De volta aos dois dígitos

Mercado já vê juros de até 11% em 2022

Drible no teto de gastos gerou movimento generalizado nas instituições financeiras para revisar para cima suas projeções para a taxa de juros

Óleo e gás

3R Petroleum (RRRP3) certifica reservas provadas de 185,1 milhões de barris

Companhia divulgou resultado da certificação de reservas do Campo de Papa-Terra, na Bacia de Campos, cuja participação foi adquirida da Petrobras

Valor intangível

As 10 marcas mais valiosas do mundo em 2021 – a líder vale US$ 408,2 bilhões

Apple lidera ranking da Interbrand, seguida de outras big techs; com alta de 184%, Tesla foi a marca com maior salto no seu valor no último ano

Contrata-se

Fintechs fazem mercado de vagas crescer 466%, com foco em tecnologia

Startups de tecnologia para o mercado financeiro procuram talentos sobretudo na área de TI, e alguns processos seletivos são exclusivos para mulheres

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies