O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2021-10-02T11:59:17-03:00
Bombou no Seu Dinheiro

Melhores da Semana: dragões, gigantes e monstros marinhos

Setembro foi marcado pelo dragão da inflação, o calote da Evergrande e o risco fiscal no país. Nesta seleção de textos, destacamos os investimentos que puderam navegar bem no período.

2 de outubro de 2021
11:55 - atualizado às 11:59
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Se alguém quisesse romantizar o universo macroeconômico, as notícias de negócios ou o trabalho no mercado financeiro, poderia transformá-los numa epopeia repleta de figuras mitológicas.

No mês de setembro, encerrado na última semana, os heroicos investidores brasileiros, que já vinham enfrentando o dragão da inflação, precisaram ainda se haver com o gigante Evergrande e seu superlativo calote, além dos monstros marinhos do risco fiscal brasileiro, que teimam em agitar os mares dos mercados locais.

E as embarcações dos investidores ficaram bastante danificadas com a tempestade. Felizmente, o mês de outubro trouxe um raio de sol, tanto aqui como no exterior, dando uma trégua para toda aquela agitação.

Tivemos até a notícia de um medicamento aparentemente eficaz (finalmente!) para tratar a “peste” do coronavírus, pano de fundo da nossa saga. A taberneira Jasmine Olga conta um pouco sobre como foi o pregão de sexta-feira e faz um breve balanço da semana nesta matéria.

A seguir, eu fiz uma seleção das notícias mais entoadas pelos bardos do Seu Dinheiro ao longo da semana que se passou:



1 - E setembro não foi melhor…

Quando agosto terminou, eu desejei a você, aqui nesta newsletter, um mês de setembro melhor nos investimentos, mas não foi o que aconteceu. Os ativos de risco e os títulos públicos mais voláteis continuaram sofrendo, e até o bitcoin apanhou. Quem se deu bem foram o dólar e alguns investimentos de renda fixa. Veja o ranking completo dos melhores e piores investimentos e a retrospectiva de tudo que afetou os diferentes mercados no mês que se passou.

2 - Voos altos para o bitcoin

Faltam apenas três meses para o ano acabar, mas os investidores ainda devem viver muitas aventuras até lá. Uma das promessas é a de ver nosso Ícaro voar sem que suas asas derretam.

Mesmo com o desempenho ruim em setembro, o bitcoin ainda tem potencial de triplicar de preço até o fim do ano. Pelo menos é nisso que acredita Helena Margarido, especialista em criptomoedas entrevistada pelo repórter Renan Sousa no Papo Cripto desta semana. Ela também acha que o Ethereum pode subir 300% nos próximos três meses. Você pode conferir a entrevista em vídeo na íntegra neste link do nosso canal de YouTube.

3 - Tijolo para construir o seu castelo

Um dos textos mais populares da nossa série comemorativa dos três anos do Seu Dinheiro foi a coluna do Caio Araujo, analista de fundos imobiliários da Empiricus. Ele indicou três FIIs para investir pelos próximos três anos, de olho na valorização das cotas e também na renda em forma de rendimentos periódicos. Estamos falando de fundos cujos retornos de dividendos podem chegar aos dois dígitos ao ano! Conheça os nomes selecionados.

4 - Para enfrentar as amazonas do e-commerce

Numa semana em que as ações de empresas de tecnologia viram suas cotações despencarem, um nome menos conhecido do grande público se destacou na bolsa brasileira: a Infracommerce (IFCM3), cujos papéis dispararam com o anúncio de uma aquisição que pode levar a empresa para outro patamar.

A companhia responsável por oferecer todos os serviços de e-commerce para varejistas que desejam ganhar o mundo digital quer crescer agressivamente e partir para a competição com as grandes do segmento, como Magalu e Amazon. O Victor Aguiar conversou com Kai Schoppen, CEO da Infracommerce, para saber mais sobre os planos da companhia. Recomendo a leitura!

5 - Um fundo de ações que rendeu 20% no ano

Enquanto o Ibovespa fechou setembro com uma perda de 6,5% no ano, este fundo de ações rendeu mais de 20% no acumulado de 2021. Navegar pelos mares revoltos da bolsa brasileira não tem sido fácil, mas a jovem gestora Helius Capital, nascida no ano passado, está conseguindo driblar os monstros marinhos e as sereias com apostas muito vencedoras.

O Vinícius Pinheiro bateu um papo com o gestor William Leite para entender o que o seu Helius Lux Long Biased fez para entregar um retorno tão atrativo aos seus cotistas até agora. Confira os principais trechos da entrevista.

Um ótimo fim de semana para você!

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: notícia sobre possível baixa eficácia das vacinas contra ômicron derruba mercados, em dia de discurso de Powell e votação dos precatórios

O investidor local ainda permanece de olho nas falas de Roberto Campos Neto e Paulo Guedes em eventos separados hoje

SÓ NO SAPATINHO

Dividendos: Arezzo (ARZZ3) vai distribuir R$ 60 milhões aos acionistas; veja como participar

Serão R$ 33,78 milhões em JCP e R$ 26,22 milhões em dividendos a serem depositados até 31 de janeiro de 2022

INCERTEZAS NO RADAR

CEO da Moderna levanta dúvidas sobre eficácia de vacinas contra a ômicron e provoca reação negativa nos mercados

Stéphane Bancel disse que cientistas consultados por ele esperam ‘queda significativa’ na eficácia dos imunizantes contra a nova cepa

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Os investidores agora viraram virologistas: os impactos da Ômicron sobre os mercados

Ainda não sabemos o bastante para decidir se esta é uma oportunidade de compra, mas parecemos estar mais preparados como sociedade para enfrentar o problema

VAREJO DECEPCIONADO?

Black Friday supera prévias, mas vendas do fim de semana ainda perdem para os números registrados em 2019

Segundo índice calculado pela Cielo, as vendas cresceram 6,9% em relação ao ano passado, mas foram 3,8% inferiores ao período pré-pandemia